Brexit: o que muda para a Irlanda a saída do Reino Unido da UE?

A Irlanda continua sendo um atrativo para estudantes que precisam melhorar o inglês

Por: Redação

Em junho de 2016 o Reino Unido realizou um referendo para que os britânicos votassem a favor ou contra a saída da União Europeia. A maioria aprovou a saída, mas as coisas não foram tão fáceis para o Reino Unido. Existia a questão da Irlanda do Norte x República da Irlanda.

Como seria resolvida a questão uma vez que com a saída havia o risco de novos conflitos entre os territórios? A solução apresentada não satisfez o bloco da União Europeia que exigiu um plano melhor elaborado para tratar a questão entre as duas Irlandas. Começou aí uma discussão que durou por longos três e meio anos.

Crédito: Leonid Andronov/iStockVista de Dublin, na Irlanda; país é destino de intercambistas

Após várias tentativas frustradas de acordos que custou o cargo de Theresa May, apenas em 2019 com Boris Johnson assumindo e tendo a maioria dos votos, é que uma “solução” foi apresentada de forma plausível sendo então autorizada a saía do Reino Unido do bloco. A saída oficial aconteceu na última sexta-feira, 31 de janeiro de 2020. Contudo, ainda tem um período de adequação e transição que durará 11 meses.

Mas com isso, como fica a República da Irlanda? Algo muda?

Por enquanto, apenas há especulação dos especialistas sobre o que vai acontecer neste ano de 2020, mas fato é que a República da Irlanda tem sido beneficiada com o Brexit por ter conseguido aproveitar a saída do Reino Unido do bloco para fazer acordos favoráveis ao país.

Nos últimos anos a economia tem crescido consideravelmente. Novas áreas de emprego foram criadas. A Irlanda recebe mais intercambistas e cidadãos europeus procurando novas oportunidades.

A Irlanda continua sendo um atrativo para estudantes que precisam melhorar o inglês porque é o único país que permite trabalhar enquanto estuda. Sobre este ponto nada mudará.

A saída do Reino Unido da União Europeia tende a beneficiar ainda mais o mercado irlandês, e apesar de alguns especialistas estarem preocupados com uma crise no país, neste momento, isto parece pouco provável.

A tendência é aumentar o número de estudantes e empresas que irão para a Irlanda em buscas de ótimas oportunidades. O que coloca o país num patamar bastante confortável diante do mercado europeu.

É importante lembrar também que a Irlanda possui um dos mais altos salários mínimos do bloco. Portanto apesar das especulações, não há motivos para preocupações futuras.