Informar

Jornalista espalha cartas pela Europa para filhos lerem no futuro

Por: Redação | Comunicar erro

A jornalista mineira Tábita Martins, 31 anos, adora fazer das palavras um estilo de vida. Durante o intercâmbio de cinco meses na Irlanda, ela queria registrar todas as experiências e aprendizado que estava tendo, de uma forma, no mínimo inusitada.

Passou, então a enviar cartões postais para ela mesma, em sua residência no Brasil, em datas alternadas, registrando o que queria guardar, de tudo o que vinha experimentando.

tabita_postais
A jornalista mineira Tábita Martins espalhou cartas pela Europa para seus filhos e netos lerem no futuro

Dentre nomes de lugares especiais, receitas, memórias, reflexões e até mesmo broncas e repreensões para deixar a protelação de lado. A viagem era um momento sabático para que ela encontrasse sua missão no mundo. Com tanto aprendizado, a jovem acabou tendo uma nova ideia.

Durante visitas em países da Europa e África, a mineira decidiu espalhar e enterrar cartas secretas em alguns lugares para o futuro. As cartas são direcionadas aos seus filhos e netos que ainda nem existem.

Tábita também criou um mapa com os “tesouros” escondidos. Vale lembrar que a jovem ainda não tem filhos, tampouco netos, mas o objetivo dela é incentivar os descendentes a se aventurar e explorar o mundo, juntos celebrando o amor em família ou separados, cada um em sua própria jornada.

tabita_africa
Tábita durante viagem à África

As cartas contêm conselhos, reflexões e aprendizados para que os filhos e netos também se sintam mais próximos da “avó e mãe” quando ainda jovem. Os locais para esconder as cartas também foram escolhidos com cuidado. Em geral, locais significativos ou que contassem uma história sobre ela, como nome de ruas, locais favoritos ou bustos e estátuas de autores prediletos. Numa espécie de “game” histórico e muito pessoal.

Ela conta que não foi muito fácil enterrar ou guardar as cartas. Em alguns locais foi necessário pedir permissão, mas na grande maioria das vezes era preciso apenas tentar não chamar atenção na hora de escondê-las. Algumas foram guardadas em garrafas de vidro e outras em envelopes plásticos. Dependendo do local e espaço disponível.

Tábita em Paris
Tábita em Paris

A jornalista, formada pela PUC-MG e que vive no interior de São Paulo, está produzindo um livro de contos poéticos para ser lançado no próximo ano. Ela também já está de volta ao Brasil e vem recebendo os postais (confira o relato aqui) que enviou para si mesma. Já em relação ao mapa, a mineira decidiu emoldurá-lo e guardá-lo por enquanto e pretende entregar uma cópia aos filhos ou netos quando nascerem na expectativa que vivam suas próprias aventuras.

Compartilhe: