Por que chefs apostam em cannabis na gastronomia pelo mundo?

No Brasil, CBD só pode ser importado com autorização do governo e receita médica

Ouça este conteúdo

Ilegal no Brasil e estrela no exterior. A cannabis já é parte da gastronomia e medicina em muitos lugares pelo mundo.

Atenção, cannabis não é, necessariamente, maconha, planta rica na substância THC, que dá barato.

Há vários tipos da planta. A médica Ailane Araújo, uma das maiores especialistas do assunto por aqui, explica que a espécie é como os cítricos.

“Dentro do gênero cítrico há laranjas, limões e tangerinas. Assim, dentro do gênero cannabis, há várias plantas diferentes”, conta.

Crédito: Andrea Miramontes/ Lado B ViagemGastronomia raw food em Londres, do Wild Food Cafe, tem salada com sementes de cannabis

CBD

Algumas dessas plantas têm THC. Mas outras, como o cânhamo, são ricas em CBD.

CBD, ou canabidiol, uma das substâncias extraídas do cânhamo, é um superalimento.

“Semente do cânhamo tem propriedades que, inclusive, fazem bem ao coração. Entre outros benefícios, é rica em proteínas,  aminoácidos, antioxidante, ferro, vitaminas e fibras”, ressalta Ailane Araújo.

Na medicina, é usado para tratamento dores crônicas, ansiedade, inflamações e muitas doenças, como esclerose múltipla, Parkinson e Alzheimer. Inclusive, CBD é muito utilizado para tratar doenças e dores em pets.

Em cosméticos, CBD tem propriedades hidratantes e anti-inflamatórias excelentes, como conta a médica Andrea Godoy, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e dermatologista da AD Clinica, que atende famosas.

“CBD tem emolientes, refaz a barreira cutânea e é rico em omegas 3/6/9. Anti-inflamatório, é indicado pra acne e rosácea. Ainda não tem liberação para uso em cosméticos no Brasil, mas é algo muito esperado”, ressalta Andrea.

Ela conta ainda que, em vários locais do mundo, são feitos xampus, condicionadores e máscaras, géis, cremes e loções com CBD.

Comida com cannabis

Chefs antenados se aproveitam dos benefícios da planta, riquíssima em nutrientes, para colar receitas criativas.

Descubra aqui o que vai neste drink feito com cannabis.

Provei drink com cannabis do restaurante Farmacy Kitchen, em Londres

Em lugares onde a cannabis foi legalizada, medicamentos, cosméticos e produtos para culinária são abundantes. São produzidos desde farinha de cânhamo, leite, sucos, shakes, tortas até whey feito com as sementes.

Chefs usam folhas e sementes em saladas, drinks, refogados, pastas, entre outros. Exemplos podem ser provados em restaurantes londrinos, no Canadá e na Califórnia (EUA).

Pode usar CBD no Brasil?

Não. Provar CBD na gastronomia só é possível onde a cannabis foi legalizada, em viagem, depois que a pandemia passar.

Por enquanto, o produto só pode ser importado para fins medicinais e com autorização do governo.

“Com receita médica, a pessoa faz um cadastro no site do governo, solicita a autorização e importação do produto, junta documentos e aguarda. Em 7 dias a Anvisa emite um certificado para importação”, explica dra. Ailane.

Uma das primeiras médicas a prescrever cannabis no Brasil, a médica é membro da International Cannabinoid Research Society e fundadora do Centro Brasileiro de Referência em Medicina Canabinóide (CBRMC).

O centro treina profissionais da área da saúde para prescrever a substância no País. Para saber restaurantes no exterior que têm receitas com CBD clique aqui.

ladobviagem

Em parceria com ladobviagem

Andrea Miramontes, jornalista, viajante e curiosa. Sou vegetariana e jamais divulgo atrações que escravizem animais :) Faço os sites Lado B Viagem e Patas ao Alto. Seja muito bem-vindo!

Compartilhe:

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário Lado B Viagem

A Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.