Conheça Selina, a rede hotéis que vem mudando conceito hoteleiro

Rede tem diárias que vão de R$ 40 a R$ 1.300

Por: Redação | Comunicar erro

Com cara de albergue, decoração jovem e descontraída, a rede panamenha de hotéis Selina chega ao Brasil ainda esse ano com as primeiras localidades em Florianópolis, Rio de Janeiro, São Paulo e uma proposta bem diferente de tudo já visto. Eles misturam a vibe de albergues e ‘surf camps’, o conforto e a qualidade do serviço em hotéis, com espaços de coworking, meditação, ioga e muitas atividades que envolvem a comunidade local.

Isso dá uma cara única ao conceito da rede, que pretende investir forte na América do Sul. As próximas localizações aqui no Brasil são os estados do Ceará, Bahia e Rio Grande do Norte, parte dos mais de US$ 60 milhões que o grupo planeja investir no país em um período de até cinco anos.

hotéis Selina
Crédito: DivulgaçãoA rede de hotéis Selina terá unidades em Florianópolis, Rio de Janeiro, São Paulo

O conceito inovador surgiu depois de dois amigos, Daniel Rudasevski e Rafael Museri, se hospedarem em mais de 140 albergues pelo mundo. Com um modelo de negócio inovador, de hospedagem e investimento baixo, eles já expandiram a rede para oito países, entre eles Portugal, EUA, México, Colômbia e Peru.

rede Selina
Crédito: DivulgaçãoBarracas do La Fortuna, na Costa Rica, um dos hotéis da rede Selina

O espaço é perfeito para quem é nômade digital, público que é o grande foco da rede. Além de espaços de coworking para quem já tem seu projeto próprio projeto, é possível trabalhar com voluntariados e outros serviços na rede, em troca de acomodação. Uma das grandes aspirações deles é a de poder “dar de volta” à comunidade aonde estão inseridos, através de trabalhos voluntários e valorização da arte local, como forma de agradecimento.

Hotéis Selina
Crédito: DivulgaçãoEmpreendimentos são uma mistura de hotel com espaço de coworking

Você pode se hospedar por valores tão baixos quanto US$ 10 ou tão alto quanto US$ 300. Um dos grandes atrativos é, justamente, esse grande leque de ofertas que abrange todos os tipos e estilos de viajantes. Isso proporciona aos hóspedes um mix de experiências, e a convivência com diferentes estilos de vida, já que independentemente do valor do quarto, todos tem acesso ao mesmo café da manhã, espaços de trabalho e de lazer.

Com 25 unidades já espalhadas em oito países, suas primeiras e principais locações na América Central, em países como Costa Rica e Panamá, a rede Selina pretende expandir para o mundo todo e oferecer pelo menos 40 locações até 2019.

Por Vanessa Kern, do blog Viagem & Rango

Compartilhe:

1 / 8
1
04:47
Entenda como o fogo na Amazônia virou uma crise internacional
O fogo que consome a Amazônia, maior floresta tropical do mundo, já representa 52,5% de todas as queimadas registradas no …
2
02:58
Como se prevenir de doenças
Você sabe o que são as doenças crônicas não transmissíveis? Hoje, a Dra. Aline Oliveira, médica de família, fala sobre ações …
3
03:13
Kinoplex: o cinema sem defeitos em São Paulo!
Quem disse que cinema de shopping é tudo igual? São Paulo acaba de ganhar um espaço exclusivo, com seis salas …
4
08:59
Vinicius Poit defende Salles como ministro do Meio Ambiente
O deputado federal Vinicius Poit (NOVO-SP) defendeu a permanência de Ricardo Salles como ministro do Meio Ambiente no Governo Bolsonaro. …
5
02:28
Quais são os sintomas que são gerados pelo estresse?
Com a correria do dia-a-dia somos facilmente pegos pelo estresse. E o nosso corpo indica sinais de que estamos fisicamente …
6
03:52
Surge o BolsoLula: os mesmos vícios da velha política brasileira
No vídeo, o jornalista Gilberto Dimenstein explica o conceito da expressão 'BolsoLula' e analisa as consequências da interferência política exercida …
7
04:15
Como os Beatles mudaram minha vida: parte 1
Como seria o mundo sem a inovação e energia que a música ganhou pós-Beatles. Imaginou? E se as pessoas também …
8
03:02
Jair Bolsonaro é louco, ignorante ou irresponsável?
O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nesta quarta-feira, 21, apontando que ONGs poderiam estar por trás das queimadas na …