Últimas notícias:

Loading...
EM ALTA

Trem para Morretes é passeio imperdível para fazer em Curitiba

A viagem já foi eleita como uma das dez mais bonitas do mundo

Curitiba é daquelas cidades que merecem mais do que um fim de semana para explorá-la. A capital paranaense é repleta de atrações que devem ser contempladas calmamente, sem se preocupar com o relógio.

Além dos pontos turísticos mais famosos que merecem uma visita, como a Ópera de Arame, Palácio de Cristal (Jardim Botânico), Memorial Ucraniano e o Bosque Alemão, uma viagem à Curitiba não será completa sem incluir no roteiro o famoso passeio de trem para Morretes.

Trem Curitiba - Morretes
Crédito: Divulgação/Serra Verde Expresso passeio de trem mais famoso do Brasil volta a operar em calendário de alta temporada com saídas diárias

A experiência é daquelas que merece ser vivenciada ao menos uma vez na vida. O passeio já foi considerado um dos dez mais bonitos do mundo pelos jornais The Guardian, do Reino Unido, e The Wall Street Journal, dos EUA.

Viagem é uma volta ao passado

O passeio dura cerca de 4h, em ambos sentidos (Curitiba- Morretes e Morretes-Curitiba), num percurso de 65 km. O trem passa por 41 pontes, dezenas de pontilhões, 13 túneis, penhascos, cachoeiras, tudo isso emoldurado pela maior área preservada de Mata Atlântica do Brasil.

Curitiba Morretes
Crédito: DivulgaçãoO trajeto entre Curitiba e a cidade histórica de Morretes corta a Serra do Mar

A viagem é uma verdadeira volta ao passado. Todo o percurso é feito pela ferrovia Paranaguá-Curitiba, que tem mais de 135 anos. Ela foi inaugurada em 1884 com a presença da princesa Isabel.

O ponto alto do passeio é sem dúvida a passagem pela ponte metálica São João, construída na Bélgica e montada no local. Ela tem 112 m de extensão, 70 m de vão livre e 55 m de altura. É de assustar e ao mesmo tempo se encantar com tamanha beleza.

Quem faz o passeio de trem para Morretes

A Serra Verde Express, concessionária dos trens turísticos na ferrovia Paranaguá, é quem realiza os passeios de trem pela Serra do Mar paranaense, que podem ser feitos em diversos tipos de vagões, desde a classe turística até os mais luxuosos, como as litorinas. Tem até um dedicado aos pets –o Bovo.

O recomendado é optar por apenas um dos trechos, assim a experiência será ainda mais enriquecedora. Dependendo das condições climáticas, a ida ou a volta de van ocorre pela bela estrada da Serra da Graciosa, com seus 33 km calçados em paralelepípedos e inúmeras curvas bem sinuosas.

Diversos receptivos oferecem serviços de vans, como a própria Serra Verde, e passeios para Antonina.

Alguns dos pacotes ainda incluem um almoço típico com o famoso barreado em um restaurante instalado num casario colonial de Morretes. Não deixe de experimentar esta iguaria, que é uma delícia

O ideal é ir de van e voltar de trem, já que a viagem de ida contempla uma parada no Hisgeopar –optativo (ingressos R$ 30), espeço onde é possível conhecer a história e a geografia do estado do Paraná, bem como a construção da ferrovia, numa maquete animada, e um passeio por Antonina, no litoral paranaense.

Na volta, a depender do tempo, dá para contemplar um belo pôr do sol entre as curvas da ferrovia que corta a Serra do Mar.

Os pacotes da classe turística incluem kit lanche e uma bebida gratuita (água ou refrigerante), guia e serviço de bordo (pago à parte).

Já os pacotes da Litorina, a mais luxuosas, oferecem ‘welcome drink’ (espumante moscatel), lanche diferenciado, bebidas (água, café, chá, refrigerante e cerveja), parada no Mirante do Santuário de Nossa Senhora do Cadeado e guia bilíngue.

Compartilhe:

?>