Xô, frio! Caia na piscina em pleno inverno no Brasil

Com água a até 42°C, há lugares no Brasil onde cair na piscina em pleno inverno não é uma loucura, mas um agradável prazer

Fernando Victorino, do Como Viaja

Não é porque o inverno está aí que aquele desejo de cair na piscina tenha de ser congelado (perdão pelo trocadilho infame). Enquanto muitos procuram destinos de inverno no Brasil para ir nessa época do ano, uma turma de viajantes quer mais é estar com pouca roupa, na beira da piscina.

Para esse segundo grupo, algumas opções de viagem caem como uma luva (ops, uma havaiana), pois mesclam diversão e descanso na água quentinha. Em área coberta ou ao ar livre, alguns desses lugares fazem você acreditar que o inverno no Brasil não passa de uma ilusão.

Novidades e mais novidades em Atibaia

Publicado aqui recentemente, o post De Campos a Campina Grande, 7 cidades para viajar no frio traz a pequena Atibaia entre as sugestões. O município a 50 km de São Paulo é meio camaleão. Se, por um lado, suas montanhas seduzem os amantes das baixas temperaturas, por outro, ficam na cidade dois hotéis com parques aquáticos climatizados.

Parque aquático indoor do Tauá, em Atibaia
Créditos: Fernando Victorino @ComoViaja
Parque aquático indoor do Tauá, em Atibaia

Com inauguração prevista para julho no Bourbon Resort Atibaia, o Acqua Kids é focado na diversão de crianças de 3 a 10 anos. A piscina de 30 cm de profundidade tem escorregador, balde gigante e esguichos de água, cuja temperatura varia entre 30°C e 32°C. Com capacidade para 300 pessoas, o novo complexo é totalmente fechado.

Cenário semelhante é encontrado no Tauá Atibaia Resort, dono do maior parque aquático indoor da América Latina. Lá, os viajantes encontram água quente nas piscinas, no rio lento e nos toboáguas. O resort passa por ampliação. Além de mais quartos, o parque aquático vai ganhar até dezembro de 2023 uma piscina com ondas e uma montanha-russa aquática inédita no Brasil.

Em Olímpia, quarto perto da água quente

Imagine sair do quarto, pegar o elevador e andar nem 100 metros para encontrar água quente. É assim que a coisa toda funciona no Hot Beach Resort. Acha que é cascata (fria ainda por cima)? Leia Hot Beach Olímpia: como é o parque aquático no interior de SP e pare de duvidar de mim.

O complexo é abastecido com águas termais do Aquífero Guarani, algo que facilita a vida de quem quer cair na piscina em pleno inverno. Para dar uma ajuda extra no cenário, o mês de julho é historicamente o mais seco em Olímpia, que costuma registrar 27°C de temperatura média durante o dia.

Piscina com ondas no Hot Beach Olímpia
Créditos: Nathalia Molina @ComoViaja
Piscina com ondas no Hot Beach Olímpia

Julho marca a inauguração de um nova área kids, com dois toboáguas, rio lento interativo e menos profundo e o spray park. Em 2022, o Hot Beach Olímpia recebeu 914 mil pessoas, saltando da oitava para a quarta colocação no ranking dos parques aquáticos mais visitados da América Latina, segundo a associação internacional de criadores de entretenimento (TEA, da sigla em inglês).

Pioneiro não sai moda, vira tendência

E se no meio da noite, do nada, do nadão, der vontade de cair na água? Dá para realizar esse desejo no Parque das Fontes, aberto 24 horas por dia no Rio Quente Resorts. Com cinco hotéis e parque aquático, o complexo (que começou como Pousada do Rio Quente) foi pioneiro ao explorar a água a 37,5°C proveniente de 18 nascentes no estado de Goiás.

Praia do Cerrado, novidade do Hot Park
Créditos: Divulgação
Praia do Cerrado, novidade do Hot Park

Desde os anos 1960, o destino virou imã de turistas de todas as idades e de todas as partes do país, cheguem elas de avião no aeroporto de Caldas Novas ou depois de encararem algumas horas de estrada até o município de Rio Quente.

Inaugurada no início do ano, a atração Turbilhados apresenta duas opções de descida radical, com boia para duas ou quatro pessoas. A praia do Cerrado é outra novidade do parque aquático, que se orgulha de ser o único do mundo a ser abastecido totalmente por águas termais.

Turbilhados, com dois caminhos de descida
Créditos: Divulgação
Turbilhados, com dois caminhos de descida

No Sul, mais quente dentro do que fora

Iretama é mais uma das cidades que faz do Aquífero Guarani seu aliado. A água que abastece das piscinas às torneiras do Jurema Águas Quentes brota dele a 42°C, o dobro da temperatura média registrada em julho no município do interior do Paraná, mais próximo de Maringá (135 km) e Londrina (230 km) do que de Curitiba (400 km).

Piscina do Jurema Águas Quentes, no interior do Paraná
Créditos: Rafael Silva
Piscina do Jurema Águas Quentes, no interior do Paraná

Composto por dois hotéis, o Jurema transformou Iretama no maior destino termal do Sul do país. Além do calorzinho bom dentro das piscinas, as águas do complexo são consideradas aliadas no combate à tensão e à insônia, além de promoverem ação desintoxicante.

Radicalize, vá logo para o Nordeste

Historicamente, o inverno em Fortaleza apresenta 24°C mínima (eu sei, deixe aqui a sua melhor risada). Para você ter ideia, é só um pontinho a menos do que se registra de temperatura mínima no verão cearense, em média. Ainda assim, pode ser interessante encarar esse tempo de calor sem excesso no Nordeste.

O instante que precede a queda, no Beach Park
Créditos: Divulgação
O instante que precede a queda, no Beach Park

Por isso, as atrações Kalafrio e Arrepius soam quase como ironia em uma lista de lugares para cair na piscina em pleno inverno. O complexo do Beach Park reúne quatro hotéis e um parque aquático com cerca de 20 atividades (bem radicais, levemente radicais e as que eu iria mesmo não sendo criança).

De quebra, tem ainda o acesso direto à praia de Porto das Dunas, cujo mar a mais ou menos 23°C pode refrescar a memória do que é água em temperatura ambiente. A menos de 30 km da capital do Ceará, o Beach Park é muitas vezes passeio de um dia para quem se hospeda em Fortaleza.

Confira outras dicas de viagem no Instagram @ComoViaja