Massacre em prisão do Pará mata 57 e traz à tona caso Carandiru

Um confronto entre facções criminosas no Centro de Recuperação Regional de Altamira, no Pará, deixou pelo menos 57 detentos mortos na segunda-feira, 29. O massacre foi o maior do país desde o Carandiru, em 1992.

De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (SUSIPE), internos do bloco A invadiram o anexo onde estavam presos de um grupo rival.

Na confusão, as celas foram trancadas e os presos atearam fogo no local. Muitos morreram asfixiados por conta das chamas e outros 16 foram encontrados decapitados no local.

A presídio de Altamira tem capacidade máxima de 200 pessoas, mas era ocupada por mais de 300 detentos.