Operação Lava Jato ignora repasse suspeito de Paulo Guedes

Uma reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo mostra que a Operação Lava Jato poupou o ministro da Economia, Paulo Guedes, de uma investigação de corrupção.

Segundo o texto, o Guedes era sócio de um empresa, a GPG Consultoria, que repassou R$560 para um escritório de fachada, suspeito de lavar dinheiro.

A operação também identificou envolvimento de outras empresas com escritório. Elas foram investigadas, mas o nome do ministro não foi adicionado no processo.

Questionado pela Folha, Paulo Guedes não informou quais serviços justificaram o desembolso. Já a Lava Jato Jato disse que focou pessoas e empresas que apresentavam “prova robusta”. E que, além disso, a investigação não foi encerrada ainda.

Veja mais detalhes no vídeo.