Choque Cultural celebra 15 anos com mostra coletiva e gratuita

Por: Redação
Até
23
de dezembro 2019
Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado
Das 12h às 18h

Posicionar-se como resistência frente às questões políticas e sociais da contemporaneidade e levar arte para os mais diversos públicos é a missão da Choque Cultural. A ideia também é expressa na coletiva Choque XV Anos, mostra que abre em 9 de novembro e dá início à celebração de 15 anos da Galeria.

Crédito: DivulgaçãoBaixo Ribeiro em frente a tela de Daniel Melim

Com obras de Alê Jordão, Coletivo Bijari, Daniel Melim, Jaca, Mariana Martins, Narcélio Grud, Rafael Silveira e Tec, a exposição aponta para os próximos 15 anos da Choque Cultural e fortalece seu manifesto embrionário por atuar no coletivo. Não ao acaso, a curadoria da exposição é coletiva, assinada pelos fundadores da Galeria, Baixo Ribeiro e Mariana Martins, pelos artistas que compõem o corpo da mostra, e pela curadora Laura Rago.

“A Choque tem sido responsável por dar voz a artistas, coletivos e movimentos artísticos diversos, provocando diálogos inesperados entre públicos que não se cruzam normalmente”, afirmam Baixo e Mariana. “Promovemos o choque cultural conectando diferentes para a construção de um mundo mais inclusivo”, completam.

Crédito: Tec FaseDamas Grátis, 2019 | Tec Fase

A mostra reúne obras emblemáticas dos sete artistas e do Coletivo Bijari. São instalações, obras interativas, peças com sensores que ativam alto-falantes, miniaturas, pinturas, esculturas móveis, murais e vídeo-projeções.

Galeria

Fundada em 2004, a Galeria Choque Cultural transformou-se em uma das principais referências globais de arte urbana e linguagens contemporâneas, apresentando jovens artistas ao lado de nomes já consagrados do Brasil e do exterior.

Seu programa de exposições é focado na divulgação integral dos artistas e coletivos que representa, compondo mostras em espaços fechados, virtuais ou mesmo nas ruas, com a exibição de trabalhos das mais variadas mídias.

A galeria investe ainda em intercâmbios, residências, intervenções urbanas, colaborações, imersões e outras experiências multidisciplinares.