Prêmio Cidadão São Paulo 2014: Categoria Educação

Por: Keila Baraçal

Nos dois anos anteriores, o prêmio chamava-se Cidadão Sustentável. Com a ampliação do seu foco, abrangendo novas categorias, mudou agora para Cidadão São Paulo, com apoio da USP Cidades e Agência Tudo. Confira os indicados na categoria Educação.

1. Braz Rodrigues Nogueira

É  formado em Filosofia, História e Pedagogia; além de ser especializado em Educação Comunitária. Já foi professor de escolas públicas municipais, estaduais e particulares; sendo desde 1995 diretor da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Campos Salles.

Seguindo a ideia de “uma escola sem muros”, os espaços da instituição de ensino foram reorganizados, o que propiciou mudanças tanto nos alunos quanto nos professores. Depois da reestruturação e da mudança metodológica propostas por Nogueira, a escola começou a seguir os seguintes princípios: escola como centro de liderança na comunidade onde está inserida, “tudo passa pela educação”, autonomia, responsabilidade e solidariedade.

2. Denis Mizne

Formou-se  em direito pela Universidade de São Paulo (USP) e foi visiting scholar no Human Rights Advocates Program, da Universidade Columbia, e Yale World Fellow, da Universidade Yale; ambas dos Estados Unidos. Atualmente, é diretor executivo da Fundação Lemann, uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo melhorar a qualidade do aprendizado dos alunos brasileiros e formar uma rede de líderes transformadores.

Mizne, que também é membro do conselho da Fundação Roberto Marinho e do GIFE (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), acumula em sua trajetória profissional anos de trabalho em campanhas contra o uso de armas no Brasil. Ele foi chefe do gabinete e assessor especial do Ministério da Justiça entre 1999 e 2000 e, inclusive, participou do primeiro comitê da Assembléia Geral da ONU, que defendeu a criação de um tratado internacional sobre o controle do comércio internacional de armas.

3. Rachel de Oliveira Braun

Diretora da Escola da Comunidade, projeto do Colégio Visconde de Porto Seguro que desenvolve atividades educacionais, sociais e culturais voltadas para grupos de baixa renda.  A Fundação Visconde de Porto Seguro acredita que a educação é o melhor meio para dar ao nosso país um futuro mais justo. Movida por esse ideal, a Instituição criou, em 1966, a Escola da Comunidade. Nesse primeiro momento, foram acolhidas 36 crianças no curso diurno e 35 adultos no turno da noite, ainda na sede localizada na Praça Roosevelt. O grupo era composto por pessoas de baixa renda, que foram atraídas à região pelo adensamento populacional e pelas obras públicas e privadas.

4. André Gravatá

É  jornalista, mas pode ser definido como um “esticador de horizontes”, sempre atento às transformações ao seu redor. Com o coletivo Educ.Ação, escreveu “Volta ao Mundo em 13 Escolas”, que pode ser baixado e lido gratuitamente. Em maio de 2014, como integrante doMovimento Entusiasmo, organizou com artistas, escolas, educadores, ativistas e estudantes a Virada Educação, um evento de ocupação criativa do centro da cidade de São Paulo.

5. Jair Ribeiro

Sócio e co-presidente do Banco Indusval & Partners, vice-presidente da Sertrading S.A., vice-presidente do Conselho de Administração da CPM Braxis, presidente e fundador da ONG Associação Parceiros da Educação.

A Parceiros da Educação leva à educação pública a experiência e determinação dos empresários para complementar o contínuo desenvolvimento da educação pública brasileira em direção a eficiência e orientação por resultado, formando cidadãos mais qualificados para os desafios do nosso tempo e do futuro.