Conheça a Biblioteca Nacional em uma visita guiada 0800

Visita orientada na Biblioteca Nacional acontece de segunda a sexta. E é 0800!

Biblioteca

Qualquer um pode conhecer a história da instituição que abriga um acervo de aproximadamente 9 milhões de peças!

Já parou para pensar que muita gente só conhece museus e outros lugares históricos quando estão no exterior? Então bora mudar isso e conhecer o nosso Brasilzão! No Rio, a Biblioteca Nacional, a mais antiga instituição cultural brasileira, com mais de 200 anos de história, promove visitas guiadas gratuitas de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h.

Qualquer um pode participar! É só ligar para (21) 2220-9484 e se inscrever em um dos horários.

Biblioteca Nacional
Crédito: @bibliotecanacional.br/FacebookVisita orientada na Biblioteca Nacional acontece de segunda a sexta. E você não paga nada!

Responsável pela execução da política governamental de captação, guarda, preservação e difusão da produção intelectual do país, a Biblioteca Nacional abriga um acervo de aproximadamente 9 milhões de itens, entre eles obras raras como o exemplar da primeira edição de “Os Lusíadas” (1572) e a “Bíblia de Mogúncia” (1462), além da coleção Teresa Cristina Maria, com mais de 100 mil peças doadas por Dom Pedro II. Não é à toa que é considerada a maior da América Latina e a sétima maior do mundo!

O imponente prédio histórico, inaugurado em 1910 e restaurado em 2018, impressiona logo de cara, ao subir as escadarias. A arquitetura, as amplas claraboias em vitral colorido, a ornamentação elegante… Tudo é encantador! 

Biblioteca Nacional
Crédito: Karen FidelesBiblioteca Nacional abriga mais de 9 milhões de livros, documentos, jornais, entre outros

A visita começa no saguão, onde o guia conta um pouco da história da Biblioteca Nacional. Durante cerca de uma hora, o público conhece espaços como a sala dos Atlas, Dicionários, Enciclopédias, Guias e Manuais; a Sala de Iconografia, com aquarelas, gravuras e projetos arquitetônicos; o Salão de Obras Gerais, que abriga livros de português, matemática, idiomas e publicações para concursos; e a Sala de Manuscritos. A sala de leitura onde Carlos Drummond de Andrade passou muitos dos seus dias também entra no roteiro.

Enquanto mostra os ambientes, o guia vai dando informações históricas sobre eles e o seu acervo. O visitante não tem acesso ao interior de nenhum setor. Os espaços são protegidos por vidros, de onde são passadas as informações. Só pesquisadores podem entrar para consultar o acervo, depois de registrados.

Nos corredores, no Salão de Obras Raras e no Espaço Cultural Eliseu Visconti é possível ainda conferir exposições temáticas, que reúnem peças de diversas coleções. Rolé cultural imperdível na Cidade Maravilhosa!

  • Fica a dica: leve uma moeda de R$ 1 para colocar no guarda-volumes porque não é permitido fazer a visita com bolsa!

Compartilhe:

Autor: Por: Redação