Bienal de Artes do Ouvidor 63 propõe a construção de novos mundos

Evento no centro de São Paulo apresenta obras de mais de 300 artistas divididas em 13 andares

Até 07 de outubro de 2018

Todos os dias

Das 14h às 20h

Recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência não informados pelo próprio organizador do evento

Grátis

Os amantes das artes têm um novo ponto de encontro em São Paulo: a Ouvidor 63, maior ocupação artística da América Latina. Até o dia 7 de outubro, das 14h às 20h, o prédio de 13 andares localizado no centro da cidade recebe a 2ª edição da Bienal de Artes do Ouvidor 63.

O evento tem o objetivo de propor a construção de novas realidades a partir da cultura de compartilhamento, da inclusão e da abundância. O ponto de partida foram os 24 laboratórios gratuitos e abertos ao público interno e externo em áreas como história da arte, estética, estudos socioambientais, instalação, skate, marcenaria/cenografia e tatuagem.

Mais de 300 artistas independentes criaram coletivamente as obras expostas ao longo deste mês – o que já é um contraponto entre a maioria das bienais de arte, cujos processos não são coletivos.

Este movimento extrapola o propósito da Bienal e cria uma Universidade Livre para que qualquer artista possa ter voz, espaço, liberdade e apoio para expressar a sua arte independentemente de seu estilo, nível de conhecimento ou situação social.

Até o dia 16 de setembro estão previstos cursos, palestras e sessões de cinema temáticas. Alguns destaques são o debate “Grafite como direito humano”, que acontece no dia 12, às 15h; o Cineclube Underground com o tema “Experimentalismo Independente” e workshop de Chroma Key, previsto para o dia 13, das 13h às 19h; a palestra “Cuidar das hortas e águas da cidade”, por Claudia Visoni  , no dia 15, às 16h; e o debate “Da manobra à arte: skate que transcende o esporte”, no dia 16, às 16h20.

Acompanhe a programação completa aqui.

 Sobre a Ouvidor 63

A Ouvidor 63 nasceu com o objetivo de ser um espaço de liberdade para os artistas produzirem de acordo com os seus anseios. Assim, desde 2014 e com gestão horizontal, nasceu a maior ocupação artística da América Latina. São mais de 100 artistas vinculados à instituição, com trabalhos nas áreas de música, pintura, circo, xilogravura, performances, instalações, esculturas e muito mais.

O espaço cultural funciona em um prédio de 13 andares na Rua do Ouvidor que passou 20 anos desocupado e em estado de deterioração.