Cazuza é homenageado em exposição gratuita no Centro do Rio

Em cartaz no Teatro Firjan SESI, 'Cazuza 60 anos' revive a trajetória do cantor através de fotos, réplicas de objetos pessoais e músicas

Por: Redação
Até
14
de dezembro 2018
Segunda - Terça - Quarta - Quinta - Sexta
Das 10h às 19h

O poeta está vivo! No ano em que faria 60 anos, Cazuza ganha uma homenagem em forma de exposição no Teatro Firjan SESI,no Centro do Rio. Sua trajetória, desde a infância e juventude, é retratada em “Cazuza 60 anos”, passando pelo início da carreira com o Barão Vermelho até seu breve período solo.

O acervo é da Sociedade Viva Cazuza e conta com fotos menos conhecidas pelo público e réplicas de alguns objetos pessoais do o cantor e compositor. Além disso, o visitante também tem acesso a uma playlist com músicas de diversas fases da sua carreira. Aproveita porque a entrada é gratuita!

Cazuza
Exposição 'Cazuza 60 anos' reúne fotos, réplicas de objetos pessoais e músicas do cantor e compositorSite oficial/Divulgação
Foto do acervo da exposição 'Cazuza 60 anos'
Mostra reúne fotos pouco conhecidas pelo públicoDivulgação
Foto do acervo da exposição 'Cazuza 60 anos'
Público pode conhecer momentos da infância e juventude do cantor, o início da carreira com o Barão Vermelho e a fase de carreira soloDivulgação
Foto do acervo da exposição 'Cazuza 60 anos'
A exposição é dividida em seis fases diferentes da vida do artistaDivulgação

Sob a curadoria de Leo Eyer, a exposição é dividida em seis temas, inspirados nas letras de Cazuza: “Pro Dia Nascer Feliz” (a infância, a origem do nome e os primeiros passos); “Pode Seguir a Tua Estrela” (curiosidades sobre a formação, a juventude e o início da trajetória como cantor); “Mais Uma Dose? É Claro Que Eu Tô a Fim” (a  fase no Barão Vermelho e o início da fama); “Faz Parte do Meu Show (a carreira solo, os novos caminhos musicais e as performances energéticas); “Até Nas Coisas Mais Banais (momentos íntimos no lar, com amigos e familiares); e “O Tempo Não Para (os últimos anos de sua carreira, a doença e a despedida).

São muitas curiosidades, como a origem do apelido pelo qual ficou famoso, uma entrevista que fez ao lado de Pedro Bial, entre outras. Ao longo de toda a mostra tem ainda vários bloquinhos com frases do artista, que as pessoas podem destacar e levar pra casa.

“Cazuza 60 anos” pode ser vista segunda a sexta-feira, das 10h às 19h, até o dia 14 de dezembro.

1
BH: Jetiboca tem café incrível a R$ 3, pão de queijo e muito amor
Um dos lugares mais incríveis e inusitados no centro de Belo Horizonte, em Minas Gerais, é o Mercado Novo. Há …
2
3 trilhas no Rio com vistas de tirar o fôlego
Esse vídeo é para os amantes de ecoturismo, ou mesmo para quem quer começar a fazer trilhas e se conectar …
3
Parque da Pedra Branca no RJ: a maior floresta urbana do país
Pega um calçado confortável, passar protetor e repelente e Colaí nessa caminhada pelas trilhas do Parque da Pedra Branca, a …
4
Roteiro zen para fugir do caos de SP
Viver em SP é estar sempre ligadão no 220. Mas é legal dar uma freada no corre corre, né não? Colaí …
5
3 rolés pra curtir no Baixo Tijuca no Rio de Janeiro
A região do Baixo Tijuca tem muito o que oferecer quando o assunto é cerveja gelada! Colaí que eu tenho as …
6
Arena Digital de Curitiba: cinema e planetário no mesmo lugar
Ver as estrelas, mergulhar no fundo do mar, conhecer de pertinho todo o sistema solar. Tudo isso é possível em …
7
Uma voltinha no Mercado Público de Porto Alegre
Mais do que um ponto turístico, o Mercado Público de Porto Alegre concentra consumo, crença, cultura e tradição no centro …
8
3 jóias gastronômicas antigas de São Paulo
Afinal, panela velha é a que faz comida boa? Se depender da Casa Mathilde, da Padaria Santa Tereza e do …