Cazuza é homenageado em exposição gratuita no Centro do Rio

Exposição 'Cazuza 60 anos' reúne fotos, réplicas de objetos pessoais e músicas do cantor e compositor
Até
14
de dezembro 2018
Segunda - Terça - Quarta - Quinta - Sexta
Das 10h às 19h

Teatro

Em cartaz no Teatro Firjan SESI, 'Cazuza 60 anos' revive a trajetória do cantor através de fotos, réplicas de objetos pessoais e músicas

O poeta está vivo! No ano em que faria 60 anos, Cazuza ganha uma homenagem em forma de exposição no Teatro Firjan SESI,no Centro do Rio. Sua trajetória, desde a infância e juventude, é retratada em “Cazuza 60 anos”, passando pelo início da carreira com o Barão Vermelho até seu breve período solo.

O acervo é da Sociedade Viva Cazuza e conta com fotos menos conhecidas pelo público e réplicas de alguns objetos pessoais do o cantor e compositor. Além disso, o visitante também tem acesso a uma playlist com músicas de diversas fases da sua carreira. Aproveita porque a entrada é gratuita!

Cazuza
Crédito: Site oficial/DivulgaçãoExposição 'Cazuza 60 anos' reúne fotos, réplicas de objetos pessoais e músicas do cantor e compositor
Foto do acervo da exposição 'Cazuza 60 anos'
Crédito: DivulgaçãoMostra reúne fotos pouco conhecidas pelo público
Foto do acervo da exposição 'Cazuza 60 anos'
Crédito: DivulgaçãoPúblico pode conhecer momentos da infância e juventude do cantor, o início da carreira com o Barão Vermelho e a fase de carreira solo
Foto do acervo da exposição 'Cazuza 60 anos'
Crédito: DivulgaçãoA exposição é dividida em seis fases diferentes da vida do artista

Sob a curadoria de Leo Eyer, a exposição é dividida em seis temas, inspirados nas letras de Cazuza: “Pro Dia Nascer Feliz” (a infância, a origem do nome e os primeiros passos); “Pode Seguir a Tua Estrela” (curiosidades sobre a formação, a juventude e o início da trajetória como cantor); “Mais Uma Dose? É Claro Que Eu Tô a Fim” (a  fase no Barão Vermelho e o início da fama); “Faz Parte do Meu Show (a carreira solo, os novos caminhos musicais e as performances energéticas); “Até Nas Coisas Mais Banais (momentos íntimos no lar, com amigos e familiares); e “O Tempo Não Para (os últimos anos de sua carreira, a doença e a despedida).

São muitas curiosidades, como a origem do apelido pelo qual ficou famoso, uma entrevista que fez ao lado de Pedro Bial, entre outras. Ao longo de toda a mostra tem ainda vários bloquinhos com frases do artista, que as pessoas podem destacar e levar pra casa.

“Cazuza 60 anos” pode ser vista segunda a sexta-feira, das 10h às 19h, até o dia 14 de dezembro.

15 exposições no Rio de Janeiro para visitar sem pagar nada!

Compartilhe:

Autor: Por: Redação