Exposições no Rio de Janeiro: descubra as melhores opções

Listão contempla mostras em cartaz no Museu Nacional, MAM, Centro Cultural dos Correios e outros locais perfeitos!

Partiu dar aquele rolé cultural delicinha e sem gastar quase nada? Para a nossa felicidade – e a da turistada  toda-, não faltam exposições em cartaz no Rio de Janeiro!

Nossa lista de exposições contém muita arte e história!
Nossa lista de exposições contém muita arte e história!

Tem de tudo e mais um pouco nos museus e centros culturais da Cidade Maravilhosa: pinturas, fotografias, gravuras, instalações… Uma belezinha que só!

Bora com a gente para o Rio de Janeiro apreciar toda essa boniteza?

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL

  • OSGEMEOS

Com a curadoria de Sergio Burgi e Janaína Damaceno, a exposição conta com quase mil itens, que revelam a vida e obra d’OSGEMEOS. Um dos destaques da exposição é a configuração renovada de “Templo” e de “Gigante”, obras adaptadas especialmente para o espaço do CCBB Rio de Janeiro.

Exposição revela vida e obra dos grafiteiros OSGEMEOS.
Créditos: Divulgação.
Exposição revela vida e obra dos grafiteiros OSGEMEOS.

Parte da exposição é dedicada ao registro fotográfico dos artistas brasileiros produzidos em murais do mundo todo. Estão incluídas imagens de seus novos murais, tais como, um no Queens (Nova York) e outro em Ishinomaki (Japão), para o Reborn Art Festival.

Quando? Até 23 de janeiro | Segunda a sábado, das 09h às 21h; Domingo, das 09h às 20h

Onde? CCBB Rio | R. Primeiro de Março, 66 – Centro

Quanto? Grátis | Retire seu ingresso aqui

  • Walter Firmo

Com cerca de 266 fotografias, a exposição do artista carioca Walter Firmo traça um panorama dos mais de setenta anos de sua trajetória. Produzidas desde o início da carreira do fotógrafo, nos anos 1950 até 2021, as imagens retratam a população e a cultura negra de diversas regiões do país, revelando ritos, festas populares e religiosas – além de personagens e cenas cotidianas.

A mostra retrata a população e a cultura negra de diversas regiões do país, segundo a visão do Walter Firmo
Créditos: Divulgação.
A mostra retrata a população e a cultura negra de diversas regiões do país, segundo a visão do Walter Firmo

Firmo é responsável por registros icônicos de grandes nomes da música popular brasileira, que também podem ser encontrados em um dos segmentos da mostra.

Quando? Até 27 de março | Segunda a sábado, das 09h às 21h; Domingo, das  09h às 20h

Onde? CCBB Rio – R. Primeiro de Março, 66 – Centro

Quanto? Grátis | Retire seu ingresso aqui

  • Vestígio Urbanos

A ativação artística promove um diálogo entre títulos que trazem o protagonismo da geografia urbana da cidade do Rio de Janeiro.

Promovendo a arte urbana, a mostra passa por histórias fictícias, poesias, biografias, discursos e também registros artísticos
Créditos: Divulgação.
Promovendo a arte urbana, a mostra passa por histórias fictícias, poesias, biografias, discursos e também registros artísticos

Tendo o grafite como representação foco, os artistas produziram a intervenção em busca de trazer narradores urbanos para desenhar um mapa de referências dos livros do acervo do CCBB. O percurso da ativação passa por histórias fictícias, poesias, biografias, discursos e também registros artísticos.

Quando? Até 23 de janeiro | Segunda a sábado, das 09h às 21h;Domingo, das  09h às 20h

Onde?  CCBB Rio – R. Primeiro de Março, 66 – Centro

Quanto? Grátis

 

MUSEU DO AMANHÃ

  • Amazônia

A mostra “Amazônia”, de Sebastião Salgado, chega ao Museu do Amanhã para uma temporada de seis meses. Composta por quase 200 painéis fotográficos, a exposição já passou pela França (Museu da Música, Filarmônica de Paris), Itália (MAXXI Museu, em Roma) e Inglaterra (Museu da Ciência, em Londres).

Exposição revela o resultado de sete anos de experiências e expedições de Sebastião Salgado na Amazônia brasileira
Créditos: Divulgação.
Exposição revela o resultado de sete anos de experiências e expedições de Sebastião Salgado na Amazônia brasileira

As 194 imagens impressas são o resultado de sete anos de experiências e expedições de Sebastião Salgado na Amazônia brasileira e revelam a floresta, rios e montanhas, assim como a vida em várias comunidades indígenas entre elas os povos Awá-Guajá, Zo’é, Suruwahá, Yawanawá, Marubo, Asháninka, Korubo, Yanomami e Macuxi.

Quando? Até 29 de janeiro | Terça a domingo, das 10h às 18h (última entrada às 17h)

Onde? Museu do Amanhã – Praça Mauá, 1

Quanto? Até R$30 | Compre seu ingresso aqui

 

  • Nhande Marandu – Uma História de Etnomídia Indígena

Na mostra, comunicadores e artistas se apropriam de múltiplas linguagens e mídias para reproduzir suas próprias narrativas, sem os estereótipos impostos pela cultura colonial dominante.

Profissionais indígenas participaram de todo o processo criativo da exposição
Créditos: Divulgação.
Profissionais indígenas participaram de todo o processo criativo da exposição

Desde a curadoria, realizada por Anápuáka Tupinambá, Takumã Kuikuro, Trudruá Dorrico e Sandra Benites, passando pela identidade visual, redação e tradução de textos, produção audiovisual e sonora, profissionais indígenas participaram de todo o processo criativo.

Quando? Até 26 de fevereiro | Terça a domingo, das 10h às 18h (última entrada às 17h)

Onde? Museu do Amanhã – Praça Mauá, 1

Quanto? Até R$30 | Compre seu ingresso aqui

 

PAÇO IMPERIAL

  • Daniel Feingold

Com curadoria de Paulo Venâncio Filho, são apresentadas cerca de 60 pinturas recentes e inéditas, em pequenos formatos, em óleo e bastão oleoso sobre tela, que marcam uma nova fase na obra do artista carioca Daniel Feingold, que completa 30 anos de trajetória.

Com cores mais vivas e campos cromáticos inéditos, o desdobramentos de suas novas obras, junto a oito pinturas inéditas em grandes dimensões, produzidas em óleo sobre tela, dialogam com obras de tamanhos menores.

Exposição vem mostrar que Feingold não só mudou o material que utilizava, mas que também mudou suas formas e sua paleta
Créditos: Divulgação.
Exposição vem mostrar que Feingold não só mudou o material que utilizava, mas que também mudou suas formas e sua paleta

Conhecido por suas pinturas monumentais, nas quais escorria o esmalte sintético pela tela, Feingold vem mostrar que não só mudou o material que utilizava, mas que também mudou suas formas e sua paleta, com cores mais vivas, muitas delas em neon, além da introdução do prata, trazendo mais luz e vitalidade para as telas.

Quando? Até 12 de fevereiro | Terça a domingo, das 12h às 18h

Onde? Paço Imperial – Praça XV de Novembro, 48 – Centro

Quanto? Grátis

 

CENTRO CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

  • Gustavo Speridião

No Centro Cultural Justiça Federal está rolando um panorama da obra de Gustavo Speridião, um dos artistas brasileiros mais engajados atualmente! São apresentadas cerca de 150 obras, entre pinturas, desenhos, colagens, fotografias, filmes, objetos e faixa-poema, produzidos entre 2006 e 2022, no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Paris.

Exposição mostra 150 obras de Gustavo Speridião
Créditos: BRUNO LEAO
Exposição mostra 150 obras de Gustavo Speridião

Quando? Até 12 de fevereiro | Terça a domingo, das 11h às 19h

Onde? Centro Cultural Justiça Federal – Avenida Rio Branco, 241 – Centro

Quanto? Grátis

 

MUSEU DE IMAGENS DO INCONSCIENTE

  • Do Asilo ao Parque – 70 anos de história

Cartas, fotografias, manuscritos e obras dos pacientes. No meio de 2022 foi inaugurado um novo espaço no Museu de Imagens do Inconsciente, onde funcionou a pedagogia do hospital psiquiátrico. A ocupação é dedicada ao trabalho da médica brasileira Nise da Silveira, que defendia a arte como terapia.

Cartas, fotografias, manuscritos e obras dos pacientes de Nise da Silveira são apresentadas na mostra
Créditos: Divulgação.
Cartas, fotografias, manuscritos e obras dos pacientes de Nise da Silveira são apresentadas na mostra

Elaborada em parceria com o Itaú Cultural, o encontro do espectador com a doutora faz parte da comemoração de 70 anos do Museu de Imagens do Inconsciente, que reabriu recentemente.

Entre os trabalhos feitos por pacientes em 1946, vale destacar as pinturas de Emygdio de Barros, Raphael Domingues e Carlos Pertuis, além da impressionante escultura que Lúcio Noeman fez depois da lobotomia.

Quando? Até setembro| Terça a sábado, das 10h às 16h

Onde?  Museu de Imagens do Inconsciente – R. Ramiro Magalhães, 521 – Engenho de Dentro

Quanto? Grátis

 

MUSEU DE ARTE MODERNA

  • Atos de revolta: outros imaginários sobre independência

O bicentenário da Independência do Brasil traz a oportunidade de repensar o nosso próprio processo histórico. “Atos de revolta” foca em uma série de levantes, motins e insurreições que antecederam aquele momento ou que ocorreram nas décadas após e durante o Primeiro e o Segundo Reinado e o período regencial.

Exposição traz a oportunidade de repensar nosso próprio processo histórico
Créditos: Divulgação.
Exposição traz a oportunidade de repensar nosso próprio processo histórico

A mostra faz referência à Guerra Guaranítica (1753-56), à Inconfidência Mineira (1789), à Revolução Pernambucana (1817), à Independência da Bahia (1822), à Cabanagem (1835-40), à Revolução Farroupilha (1835-45), à Revolta de Vassouras (1839) e à Balaiada (1838-41), entre outras.

Com o objetivo de abordar os conflitos do sistema colonial, a exposição vem revelar contradições da historiografia brasileira, que produziu o apagamento de personagens determinantes, sobretudo de populações negras, indígenas e mulheres.

Quando? Até 26 de fevereiro | Quintas, sextas, sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h; Domingos, das 10h às 11h, visitação exclusiva para pessoas com deficiência intelectual

Onde? MAM Rio – Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo

Quanto? Até R$20 | Compre seu ingresso aqui

 

CENTRO CULTURAL CORREIOS

  • Arte Alerta VI

Nesta sexta edição do “Arte Alerta”, 16 artistas que integram o Atelier Baluarte, com a direção de Luiz Badia, exiben suas pinturas com diferentes mensagens sobre a sensível questão da preservação como um todo na sociedade.

16 artistas que integram o Atelier Baluarte expõem suas obras
Créditos: Divulgação.
16 artistas que integram o Atelier Baluarte expõem suas obras

Questionando a postura da humanidade em relação à natureza e à vida, além das pinturas, serão oferecidas ações de arte-educação, procurando inserir o público na mostra, convidando-os a produzir arte e a interagir a partir de trabalhos manuais orientados pelos monitores.

Quando? Até 28 de janeiro | Terça a sábado, das 12h às 19h

Onde? Centro Cultural Correios RJ – Rua Visconde de Itaboraí, 20. Centro

Quanto? Grátis

  • O Amargo do Açúcar

Roulien Boechat apresenta a exposição “O Amargo do Açúcar”, onde traz personagens dos cabarés e bares luxuosos do Recôncavo Baiano dos senhores de engenho, pintados pelo artista no escuro, utilizando a luminotécnica.

Exposição traz personagens dos cabarés e bares luxuosos do Recôncavo Baiano
Créditos: Divulgação.
Exposição traz personagens dos cabarés e bares luxuosos do Recôncavo Baiano

Quando? Até 28 de janeiro | Terça a sábado, das 12h às 19h

Onde? Centro Cultural Correios RJ – Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro

Quanto? Grátis

Acessibilidade? A unidade conta com acesso para pessoas cadeirantes

 

  • Passagem

A artista visual Liliane Braga apresenta a exposição “PASSAGEM”, que traz as marcas de um “lugar vivido” durante o período da pandemia, quando se mudou para Lumiar.

Exposição mostra a passagem da artista Liliane Braga durante a pandemia por Lumia
Créditos: Divulgação.
Exposição mostra a passagem da artista Liliane Braga durante a pandemia por Lumia

O projeto nasceu do desejo da artista de viver junto à natureza, com registros que permitem ao observador sentir a transformação do espaço geográfico quando investido de afetos e construído pelas experiências – tanto físicas e mentais, quanto sensoriais – através de imagens, monotipias em papel algodão e uma montagem de barro, folhas e gravetos no chão.

Quando? Até 28 de janeiro | Terça a sábado, das 12h às 19h

Onde? Centro Cultural Correios RJ – Rua Visconde de Itaboraí, 20. Centro

Quanto? Grátis

 

  • Comemoração do Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922

Em Comemoração ao Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, 13 artistas contemporâneos prestam homenagem, com sua arte impressa em banners, aos artistas modernistas da semana de 22.

Exposição celebra a Semana da Arte Moderna
Créditos: Divulgação.
Exposição celebra a Semana da Arte Moderna

A Semana de Arte Moderna apresentou-se como a primeira manifestação coletiva pública na história cultural brasileira em prol de um espírito novo e moderno, opondo-se à cultura e à arte de teor conservador, predominantes no país desde o século XIX.

Quando? Até 28 de janeiro | Terça a sábado, das 12h às 19h

Onde? Centro Cultural Correios RJ – Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro

Quanto? Grátis

Acessibilidade? A unidade conta com acesso para pessoas cadeirantes.


Tem muito mais além das exposições no Rio de Janeiro! Se liga: