Deborah Colker faz temporada popular de 'O Cão Sem Plumas'

12 exposições no Rio de Janeiro para visitar sem pagar nada!


Listão contempla mostras em cartaz no CCBB, MAR, IMS e outros espaços culturais

Pinturas, fotografias, desenhos, instalações e esculturas são só algumas obras presentes nas diversas exposições no Rio de Janeiro.

De olho no circuito carioca, a Catraca Livre garimpou 12 mostras em cartaz que podem ser vistas sem pagar nada, em museus e espaços culturais como o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), o MAR (Museu de Arte do Rio) e o IMS (Instituto Moreira Salles). Se liga no listão e aproveita!

JEAN-MICHEL BASQUIAT | Procissão [Procession], 1986
Crédito: The Estate of Jean-Michel Basquiat/Licensed by Artestar, New YorkExposição no CCBB reúne pinturas, desenhos, gravuras e outras obras de Jean-Michel Basquiat

Telas de grandes formatos, desenhos, gravuras e pratos de porcelana pintados por Jean-Michel Basquiat (1960-1988) estão reunidos na exposição inédita no país e a maior já realizada na América Latina. São mais de 80 obras — todas pertencentes ao acervo da família Mugrabi — das três grandes fases de Basquiat, feitas entre as décadas de 1970 e 1980.

Quando? Quarta a segunda a quinta, das 9h às 21h | Até 7 de janeiro de 2019
Onde? CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil) | Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Quanto? Grátis

Fotografia 'A Noite dos Generais', de Osmar Gallo, integra a mostra 'Correio da Manhã: uma revolução de imagens nos anos 1960'
Crédito: Osmar GalloMostra ‘Correio da Manhã’ exibe registros da época da Ditadura Militar no Brasil
  • “Correio da Manhã: Uma Revolução de Imagens nos Anos 1960” – CAIXA Cultural

A exposição inédita apresenta  88 fotografias publicadas no extinto jornal carioca “Correio da Manhã”, um dos mais relevantes veículos da grande imprensa brasileira do século XX. São registros dos principais acontecimentos da vida pública do país numa década que mudou o mundo. A política estava em pauta e é um dos cinco temas da mostra: foram eternizados os protestos de estudantes, as passeatas e manifestações de artistas contra a censura; o fechamento do Congresso em 1966; a visita do presidente De Gaulle ao Brasil; o fim da empresa de aviação Panair; e registros dos presidentes militares.

Quando? Terça a domingo, das 10h às 21h | Até 23 de dezembro
Onde? Caixa Cultural | Av. Almirante Barroso, 25 – Centro
Quanto? Grátis

Exposição de fotografias 'Reflexos'
Crédito: Eurivaldo BezerraExposição de fotografias ‘Reflexos’ aborda questões como empatia e quebra de preconceitos
  • “Reflexos” – Cidade das Artes

Quem somos nós além dos rótulos? Em um dos países onde mais se mata por motivos de discriminação social, racial e de gênero, a quebra de preconceitos é pauta na exposição do fotógrafo Eurivaldo Bezerra. Na Cidade das Artes, estão reunidas 40 registros de 20 personagens que levantam questões como libertação de estereótipos e exercício de empatia.

Quando? Terça a domingo, das 10h às 18h | Até 10 de dezembro
Onde? Cidade das Artes | Avenida das Américas, 5300 – Barra da Tijuca
Quanto? Grátis

Exposição 'Floresta Protetora', do Centro de Visitantes Paineiras
Crédito: Alexandre Macieira/RioturExposição permanente, ‘Floresta Protetora’ explora a riqueza do Parque Nacional da Tijuca de forma interativa
  • “Floresta Protetora” – Centro de Visitantes Paineiras

Toda a riqueza do Parque Nacional da Tijuca pode ser vista na exposição permanente, que ocupa o segundo andar do Centro de Visitantes Paineiras, onde funcionou o antigo Hotel Paineiras. Em uma área de 900 m², a mostra apresenta um panorama da biodiversidade da Mata Atlântica e conta curiosidades e histórias do parque de forma interativa. Às quintas, acontecem visitas guiadas gratuitas em português, inglês e espanhol, das 10h às 14h.

Quando? Diariamente | Das 8h às 19h
Onde? Centro de Visitantes Paineiras | Estrada das Paineiras, s/n
Quanto? Grátis

Obra de Willy de Carvalho pode ser vista na exposição 'Valei-me!'
Crédito: Luiz Ferreira/DivulgaçãoExposição ‘Valei-me!’ aborda questões ambientais, mitos e lendas do Rio São Francisco
  • “Valei-me!” – Museu Janete Costa de Arte Popular

A exposição faz um passeio pelo Rio São Francisco para abordar questões ambientais e importantes mitos e lendas da cultura local. O público pode conferir por lá 14 carrancas feitas por Francisco Biquiba Dy Lafuente Guarany e seu filho entre as décadas de 1970 e 1980, obras que retratam o minhocão, a mãe d’água e o caboclo d’água, entre outras.

Quando? Terça a domingo, das 10h às 18h | Até 3 de fevereiro de 2019
Onde? Museu Janete Costa de Arte Popular | Rua Presidente Domiciano, 178, Ingá – Niterói
Quanto? Grátis

Carlos Drummond de Andrade - Rio de Janeiro - 1964
Crédito: Alécio de AndradeMostra no IMS apresenta fotografias de Carlos Drummond de Andrade e outros intelectuais brasileiros, tiradas por Alécio de Andrade
  • “Cartas de Almir de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Antonio Bulhões, Ismael Cardim, Roberto Alvim Corrêa, Marco Aurélio Matos, Elza Proença, Marques Rebelo, Otto Lara Resende, Fernando Sabino a Alécio de Andrade” – IMS

Cerca de 45 imagens do fotógrafo carioca Alécio de Andrade integram a exposição, em diálogo com cartas, livros autografados e outros documentos. São fotografias de escritores, artistas e outras importantes figuras com quem Alécio conviveu no Brasil e, especialmente, em Paris, onde desenvolveu grande parte de seu trabalho. A seleção inclui retratos de nomes como Carlos Drummond de Andrade, Fernando Sabino, Otto Lara Resende, Vinicius de Moraes, Ferreira Gullar, Oscar Niemeyer e Glauber Rocha. O visitante pode conferir ainda um conjunto de cartas originais destinadas a Alécio, escritas por algumas das personalidades retratadas.

Quando? Terça a domingo, das 11h às 20h | Até 24 de março de 2019
Onde? IMS Rio | Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea
Quanto? Grátis

Obra 'Crianças brincam com as armas que receberam de presente dos pais no 2 de novembro, dia dos mortos, Palermo, 1986'. Exposição 'Letizia Battaglia: Palermo'
Crédito: DivulgaçãoFotografias tiradas pela italiana Letizia Battaglia em Palermo ganham exposição no IMS Rio
  • “Letizia Battaglia: Palermo” – IMS 

A exposição reúne 58 fotografias em preto e branco da italiana Letizia Battaglia, exemplares de publicações e filmes, entre eles o documentário “La Mia Battaglia”, do cineasta siciliano Franco Maresco. Ao longo de quatro décadas de carreira, a artista, que sempre encarou a fotografia como instrumento de intervenção e denúncia social, documentou a Guerra da Máfia em Palermo, especialmente de 1970 a 1980. Também registrou o cotidiano, a vida cultural e as transformações da cidade onde nasceu.

Quando? Terça a domingo, das 11h às 20h | Até 17 de fevereiro de 2019
Onde? IMS Rio | Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea
Quanto? Grátis

Exposição ‘Quem Não Luta Tá Morto – Arte Democracia Utopia’
Crédito: DivulgaçãoMais de 60 obras abordam temas como habitação, violência urbana e contra a mulher, racismo e gênero na mostra ‘Quem Não Luta Tá Morto’

Com curadoria de Moacir do Anjos, a exposição apresenta mais de 60 obras de diversos suportes que abordam temas como habitação, violência urbana e contra a mulher, racismo e questões de gênero. São trabalhos de artistas modernos e contemporâneos, como Cildo Meireles, Anna Maria Maiolino, Claudia Andujar, Jaime Laureano e Ayrson Heráclito.

Quando? De terça a domingo, das 10h às 17h | Até 31 de maio de 2019
Onde? MAR | Praça Mauá, 5, Centro
Quanto? Grátis às terças

Obras de Frans Krajcberg na exposição 'Respiração Krajcberg'
Crédito: Mario Grisolli/DivulgaçãoObras de Frans Krajcberg dividem espaço com o acervo permanente da Casa Museu Eva Klabin no projeto ‘Respiração’

O “Projeto Respiração” homenageia Frans Krajcberg, que foi um dos maiores nomes da arte contemporânea brasileira e ativista das causas ambientais. Lado a lado com o acervo permanente do espaço cultural, sete grandes obras, fotos e videoinstalações do artista retratam a destruição da Segunda Guerra Mundial e da natureza, dois momentos marcantes da sua vida.

Quando? De terça a domingo, das 14h às 18h | Até 17 de fevereiro de 2019
Onde? Casa Museu Eva Klabin | Avenida Epitácio Pessoa, 2.480 – Lagoa
Quanto? Grátis aos finais de semana e feriados

Obra 'Morro da Mangueira, Rio, 1965', de Heitor dos Prazeres, integra a mostra 'O Rio do Samba: Resistência e Reinvenção'
Crédito: DivulgaçãoPintura de Heitor dos Prazeres faz parte do acervo da mostra ‘O Rio do Samba: Resistência e Reinvenção’
  • “O Rio do Samba: Resistência e Reinvenção” – MAR

A história do samba carioca desde o século XIX até os dias de hoje é contada na mostra de longa duração. São cerca de 800 itens que exploram os aspectos sociais, culturais e políticos. Entre eles, obras de Candido Portinari, Di Cavalcanti, Heitor dos Prazeres, Guignard, Ivan Morais, Pierre Verger e Abdias do Nascimento; fotografias de Marcel Gautherot, Walter Firmo, Evandro Teixeira, Bruno Veiga e Wilton Montenegro; gravuras de Debret e Lasar Segall; parangolés de Helio Oiticica e uma instalação de Carlos Vergara.

Quando? De terça a domingo, das 10h às 17h | Até 10 de março de 2019
Onde? MAR | Praça Mauá, 5, Centro
Quanto? Grátis às terças

Fotografia 'Mulher em casa' [Xique-Xique, BA, 2013], da Mostra 'O Sertão de João Machado'
Crédito: João MachadoMostra ‘O Sertão de João Machado’ reúne 40 registros do fotógrafo que resgatam memórias da sua infância

A mostra apresenta 40 registros de João Machado, um dos grandes nomes da fotografia documental, feitos na cidade de Xique-Xique, na Bahia, onde o artista nasceu e cresceu. “O Sertão de João Machado” é um recorte do trabalho desenvolvido pelo fotógrafo nos últimos 15 anos e resgata memórias da sua infância, como o céu estrelado do sertão baiano, a terra de chão batido, a poeira amarelada, os romeiros e os carroceiros.

Quando? De terça a domingo, das 10h às 21h | Até 2 de dezembro
Onde? CAIXA Cultural | Avenida Almirante Barroso, 25 – Centro
Quanto? Grátis

Sem título. Bamako, Mali, 1948-1962
Crédito: Seydou Keïta/ caac – The Pigozzi Collection, GenebraFotografias de Seydou Keïta registram as expressões e os gostos dos habitantes de Mali

O IMS (Instituito Moreira Salles) abriga exposição com 130 obras do fotógrafo maliano Seydou Keïta, considerado um dos precursores dos retratos de estúdio na África. Registradas entre 1948 e 1962, as imagens retratam as expressões e os gostos dos habitantes do Mali, e documentam ainda um período de transformação no país, que caminhava rumo à sua independência.

Quando? Terça a domingo, das 11h às 20h | Até 27 de janeiro de 2019
Onde? IMS Rio| Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea
Quanto? Grátis

Peças de teatro 0800 ou baratinhas para curtir no Rio

Compartilhe:

Autor: Por: Redação