Exposições no Rio de Janeiro para visitar sem pagar nada!

Listão contempla mostras em cartaz no MAR, MAM, CCBB e outros espaços culturais

Por: Redação

Partiu dar aquele rolé cultural delicinha? Para a nossa felicidade e da turistada, não faltam exposições no Rio de Janeiro!

Tem de tudo e mais um pouco nos museus e centros culturais da Cidade Maravilhosa: pinturas, fotografias, gravuras, instalações, esculturas, documentos históricos, filmes, realidade virtual… São obras de diferentes suportes, estilos e épocas, assinadas por artistas como Carlos Vergara, Mac Adams, Maureen Bisilliat e até Leonardo Da Vinci!

De olho no circuito cultural carioca, a Catraca Livre garimpou mostras em cartaz em vários espaços. Todas para visitar sem pagar nada!

Se liga no listão e chama geral:

MUSEU DA REPÚBLICA

  • “Jardim do Éden”
Obra "Jardim do Éden"
Crédito: Divulgação“Jardim do Éden” (2019) é a obra que dá o nome à exposição de Patrizia D’Angello

Na exposição “Jardim do Éden”, a artista paulistana Patrizia D’Angello exibe 25 pinturas inéditas que se relacionam às obras e aos banquetes realizados no Palácio do Catete, que abrigou a sede do Governo Federal entre 1896 e 1960 e onde hoje funciona o Museu da República. As pinturas exploram os limites do real, da mímesis e as grandes implicações no mundo contemporâneo.

Para realizar a mostra, Patrizia pesquisou as obras do acervo do museu relacionadas às recepções e piqueniques realizados nesse lugar histórico, sobretudo documentos, convites, menus, fotos, vasos, pratarias, sancas e mobiliário. A artista também traz para a sua obra a influência da Pop Art e da Tropicália, além de questões do feminino/feminismo.

Quando? De terça a sexta, das 10h às 17h; aos sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h | até 15 de março
Onde? Museu da República – Galeria do Lago | Rua do Catete, 153, Catete
Quanto? Grátis

CASA ROBERTO MARINHO

  • Duplo Olhar: Pintura e Fotografia Modernas Brasileiras
Tela "O Touro" (1925)
Crédito: Divulgação/Coleção Roberto MarinhoPintura “O Touro (paisagem com touro)” (1925), de Tarsila do Amaral, é um dos destaques da exposição na Casa Roberto Marinho

A exposição coletiva “Duplo Olhar: Pintura e Fotografia Modernas Brasileiras”, com curadoria de Marcia Mello e Paulo Venancio Filho,  reúne 60 quadros em diálogo com 160 imagens da Coleção Roberto Marinho, com a proposta de traçar um paralelo entre a produção dessas duas linguagens artísticas no século 20.

As obras estão divididas em sete eixos curatoriais:“eu e minha imagem”, “eu e o outro”, “natureza-morta”, “cenas brasileiras”, “a presença do mar”, “a linguagem da natureza” e “abstrações”. Entre os artistas plásticos, destacam-se Alfredo Volpi, Di Cavalcanti, Iberê Camargo, Candido Portinari, Lasar Segall, Tarsila do Amaral e Hélio Oiticica.

Alguns dos fotógrafos são Cristiano Mascaro, Fernando Lemos, Gaspar Gasparian, Marc Ferrez, Thomaz Farkas, Pierre Verger, Hermínia Nogueira Borges, German Lorca e Geraldo Barros.

Quando? Terça a domingo, das 12h às 18h | até 26 de abril de 2020
Onde? Casa Roberto Marinho | Rua Cosme Velho, 1105, Cosme Velho
Quanto? Grátis às quartas-feiras

  • “O Jardim”
"Momentos (momento I, momento II, momento III e momento IV)" (2019), de Vânia Mignone
Crédito: Divulgação/Coleção Roberto MarinhoAs xilogravuras “Momentos” (2019), de Vânia Mignone, são um dos destaques da mostra

Projetados pelo famoso paisagista Roberto Burle Marx, os jardins da Casa Roberto Marinho inspiram a exposição coletiva “O Jardim”, que reúne obras de 11 artistas contemporâneos: Angelo Venosa, Beatriz Milhazes, Carlito Carvalhosa, Hilal Sami Hilal, Iole de Freitas, Luciano Figueiredo, Maria Bonomi, Paulo Climachauska, Regina Silveira, Suzana Queiroga e Vania Mignone.

Os trabalhos foram encomendados exclusivamente para a exposição, por isso, o público também pode conferir alguns registros do processo de cada artista. São objetos, xilogravuras e serigrafias individualmente interferidas. A curadoria é de Lauro Cavalcanti.

Quando? Terça a domingo, das 12h às 18h | até 26 de abril de 2020
Onde? Casa Roberto Marinho | Rua Cosme Velho, 1105, Cosme Velho
Quanto? Grátis às quartas-feiras

BIBLIOTECA NACIONAL

  •  “Alma do Mundo – Leonardo 500 anos”
Gravura que reproduz o quadro A Última Ceia de Leonardo Da Vinci
Crédito: Divulgação -Biblioteca NacionalA exposição “Alma do Mundo – Leonardo 500 Anos” reúne 78 obras, entre gravuras, ilustrações, vídeos e outros materiais sobre o gênio Renascentista

Pintor, inventor, escultor, matemático, arquiteto e cientista, o italiano Leonardo da Vinci (1452-1519) é um dos maiores mestres do Renascimento e seus estudos influenciam até hoje o desenvolvimento científico da humanidade. Para celebrar todo esse legado, a Biblioteca Nacional recebe a exposição “Alma do Mundo – Leonardo 500 anos”, com obras raras, livros, vídeos, trabalhos de novos artistas que dialogam com esse gênio.

A proposta da mostra é apresentar ao público um lado menos conhecido de Da Vinci, relacionando seus estudos e obras com a geometria fractal contemporânea, a matemática dos fluxos e a técnica de conservação de cadáveres.

Saiba mas sobre a exposição aqui.

Quando? Às segundas, das 12h às 17h; de terça a sexta, das 10h às 17h; e aos sábados, das 10h30 às 14h30 | até 28 de fevereiro de 2020
Onde? Biblioteca Nacional | avenida Rio Branco, 219 – Centro
Quanto? Grátis

CENTRO CULTURAL CORREIOS

  • “Território de Pesca e Poesia”
homem segurando dois peixes na frente dos olhos
Crédito: Luiz Bhering - divulgaçãoExposição retrata a vida da Colônia de Pescadores Z7, localizada na praia de Itaipu em Niterói

A poesia presente na fotografia de Luiz Bhering é o destaque da mostra “Território de Pesca e Poesia”, que exibe 26 imagens impressas em fine art de um ensaio sobre a vida na Colônia de Pescadores Z7, na praia de Itaipu, em Niterói.

Com curadoria de Mirela Araujo, museóloga do Museu de Arqueologia de Itaipu, a mostra registra a atividade pesqueira no litoral fluminense a partir das redes, das pegadas na areia, dos barcos, dos cascos das canoas e das expressões estampadas no olhar de cada pescador.

Quando? de terça a domingo, das 12h às 19h | até 19 de janeiro de 2020
Onde? Centro Cultural Correios | Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro
Quanto? Grátis

CCBB

  • “Egito Antigo: do cotidiano à eternidade”
exposição egito antigo
Crédito: DivulgaçãoExposição ‘Egito Antigo’ reúne 140 peças do Museu Egípcio de Turim, entre elas múmias!

A mostra inédita reúne 140 obras do Museu Egípcio de Turim (Museo Egizio), na Itália. Entre elas, sarcófagos, múmias animais e humana, réplica da tumba de Nefertari, uma pirâmide cenográfica de seis metros… Todas têm em comum a relevância para o entendimento de uma das maiores civilizações da história da humanidade.

Aspectos dessa cultura são apresentados de forma didática e interativa por meio também de esculturas, pinturas, amuletos, objetos cotidianos, um Livro dos Mortos em papiro, objetos litúrgicos e ostracons (fragmento de cerâmica ou pedra usados para escrever mensagens oficiais).

Vem saber mais sobre a exposição!

Quando? Quarta a segunda, das 9h às 21h  | Até 27 de janeiro de 2020
Onde? CCBB | Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Quanto? Gratuito

CAIXA CULTURAL

  • “Ameríndios do Brasil – Antropologia da Beleza”
imagem de uma garota indígena
Crédito: Renato Soares Renato Soares registra a ancestralidade e a diversidade das tribos do Brasil desde 1986

O fotógrafo mineiro Renato Soares mostra 40 imagens que resultaram de suas expedições a aldeias indígenas ao longo dos últimos 25 anos na exposição “Ameríndios do Brasil – Antropologia da Beleza”. As fotografias retratam os costumes de tribos que vivem em regiões como o rio Xingu, no Mato Grosso, onde é possível encontrar mais de 14 etnias indígenas.

Além da beleza estética, a mostra cria uma discussão sobre a luta dos indígenas para manter sua identidade viva e preservar suas terras. Fundador de uma nova expressão artística, a antropologia da beleza, Renato Soares registra a ancestralidade e a diversidade das tribos do Brasil, de norte a sul, desde 1986. A curadoria da mostra é do diretor de arte Ademar Assaoka.

Quando? Terça a domingo, das 10h às 21h| Até 29 de fevereiro de 2020
Onde? Caixa Cultural Rio de Janeiro | Avenida Alm. Barroso, 25, Centro
Quanto? Gratuito

SESC COPACABANA

  • “A Biblioteca à Noite”
exposições no Rio de Janeiro
Crédito: Ex Machina/DivulgaçãoExposição percorre bibliotecas famosas por meio de realidade virtual

Através de realidade virtual, a exposição oferece uma experiência imersiva, seguindo um roteiro de dez bibliotecas famosas, reais ou fictícias. É um convite a uma viagem de Sarajevo até a Cidade do México, passando pela mítica biblioteca de Alexandria até o fundo dos mares a bordo do Nautilus, das “Vinte Mil Léguas Submarinas”, de Júlio Verne.

“A Biblioteca à Noite”, realizada pelo diretor canadense Robert Lepage e a companhia Ex Machina, foi inspirada no livro de mesmo nome do argentino Alberto Manguel. Para visitar a mostra, é preciso fazer agendamento prévio pelo site.

Quando? Terça a domingo, das 9h30 às 20h | Até 26 de janeiro de 2020
Onde? Sesc Copacabana | Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana
Quanto? Gratuito

MAM Rio

  • “Carlos Vergara – Prospectiva”
exposições no Rio de Janeiro
Crédito: DivulgaçãoExposição reúne obras de Carlos Vergara feitas de 2003 até hoje, incluindo trabalhos inéditos

A exposição percorre a produção de Carlos Vergara, desde 2003 até obras recentes e inéditas, como as pinturas em grande formato — as maiores já realizadas por ele — a partir de monotipias feitas no Cais do Valongo e nos trilhos do bonde em Santa Teresa.

Outros destaques são as novas obras da série “Sudário”, com monotipias colhidas em sua viagem ao sul da França, onde percorreu o caminho do sagrado feminino, que teria sido trilhado pelas Três Marias – Maria Madalena, Maria Jacobé (ou Jacobina, mãe de Tiago), Maria Salomé — e Santa Sara, a escrava egípcia que se tornou padroeira dos ciganos. A curadoria é do próprio artista.

Quando? Terça a sexta, das 12h às 18h | Sábado, domingo e feriado, das 11h às 18h | Até 12 de janeiro de 2020
Onde? MAM Rio | Avenida Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo
Quanto? Gratuito às quartas

MUL.TI.PLO ESPAÇO ARTE

  • “Cildo Meireiles: Múltiplos Singulares”
Obra de Cildo Meireles
Crédito: Divulgação /site oficial da Mul.ti.plo Espaço ArteA exposição reúne 16 obras de Cildo Meireles

Depois de 10 anos sem expor seus trabalhos em uma galeria no Rio, o conceituado artista carioca Cildo Meireles ganha esta exposição individual com 16 objetos e gravuras confeccionados com diferentes materiais e formatos ao longo de cinco décadas, sendo que quatro delas são inéditas. A curadoria é de Paulo Venâncio.

Aos 71 anos, Cildo é considerado um dos mais importantes artistas brasileiros de sua geração e tem suas obras integradas ao acervo de famosos museus do mundo, como Tate Modern (em Londres, na Inglaterra), Centro Georges Pompidou (em Paris, na França), MoMA (em Nova York, nos EUA) e Museu Reina Sofía (em Madri, na Espanha).

Quando? de segunda a sexta, das 10h às 18h30; e aos sábados, das 10h às 14h | até 19 de janeiro de 2020
Onde? Mul.ti.plo  Espaço Arte | Rua Dias Ferreira, 417, sala 206 – Leblon
Quanto? Grátis

IMS Rio

  • “Marc Ferrez: território e imagem”
foto de Marc Ferrez
Crédito: Acervo divulgação - Acervo do Instituto Moreira SallesTrabalhadores escravizados em fazenda de café. Vale do Paraíba, c. 1885

Considerado um dos principais fotógrafos brasileiros do século 19, Marc Ferrez (1843-1923) ganha uma exposição com mais de 300 itens, entre fotografias, câmeras, equipamentos, álbuns originais e documentos. As obras foram feitas entre 1867, o início de sua carreira,  e 1922, um ano antes de seu falecimento.

Com curadoria de Sergio Burgi, a mostra reúne imagens de paisagens, o trabalho feito por Ferrez como fotógrafo oficial da Comissão Geológica do Império do Brasil, registros da escravidão e outros temas.

As fotografias expostas fazem parte de uma coleção de mais de 15 mil imagens preservadas pelo neto do artista, o pesquisador Gilberto Ferrez. Esse acervo foi adquirido em maio de 1998 pelo IMS.

Quando? de terça a domingo, das 11h às 20h | até 15 de março de 2020
Onde? IMS Rio | rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea
Quanto? Grátis

  • “Escrever com a imagem e ver com a palavra: fotografia e literatura na obra de Maureen Bisilliat”
exposição de Maureen Bisilliat no IMS Rio
Crédito: Maureen Bisilliat - divulgação - IMSJorge Amado foi o escritor com quem Maureen Bisilliat teve maior proximidade

Conhecida por retratar os costumes, as tradições e as exuberâncias deste nosso Brasilzão, a fotógrafa inglesa naturalizada brasileira Maureen Bisilliat exibe no IMS Rio obras que dialogam com clássicos de grandes artistas brasileiros, como Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade, Euclides da Cunha, Jorge Amado e vários outros.

Curtiu? Saiba mais sobre a exposição aqui

Quando? De terça a domingo, das 11h às 20h | até 23 de fevereiro de 2020
Onde? IMS Rio | rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea
Quanto? Grátis

MAR 

  • “Pardo é o Papel”
Pardo é o Papel
Crédito: Divulgação - site oficial MARNa exposição “Pardo é o Papel, o artista Maxwell Alexandre desenha corpos negros em papel pardo como um gesto político

Morador da Rocinha, o carioca Maxwell Alexandre pinta corpos negros em papel pardo como um ato político. Seu trabalho pode ser conferido na exposição “Pardo é o Papel”, com uma série de autorretratos que passam pela construção de narrativas e cenas estruturadas a partir da vivência do artista na comunidade onde ele nasceu, reside e trabalha.

O trabalho de Maxwell levanta uma discussão sobre o termo “pardo”, que durante muito tempo foi empregado em currículos, certidões de nascimento e outros documentos de negros como uma tentativa de “branqueamento” da identidade dessas pessoas. Dessa maneira, ele também exalta a necessidade de os negros construírem sua autoestima, se identificarem com suas raízes e exercerem a própria voz.

Quando? Terça a domingo, das 10h às 17h | Até março de 2020
Onde? MAR | Praça Mauá, 5 – Centro
Quanto? Gratuito às terças-feiras

  • “O Rio dos Navegantes” 
exposição 'O Rio dos Navegantes'
Crédito: Daniela Paoliello/Divulgação‘O Rio dos Navegantes’ reúne cerca de 550 peças históricas e contemporâneas

A exposição traz uma abordagem transversal da história do Rio de Janeiro como cidade portuária, do ponto de vista dos diversos povos, navegantes e imigrantes que desde o século XVI passaram, aportaram e por aqui viveram. Estão reunidas 550 peças históricas e contemporâneas, entre pinturas, fotografias, vídeos, instalações, objetos, documentos, esculturas, etc.

A mostra convida o público a refletir sobre os modos de vida que formaram o Rio, a relação entre cariocas e visitantes, a miscigenação, as formas de uso e democratização do espaço público, além dos conflitos geográficos, linguísticos, culturais, econômicos e políticos.

Quando? Terça a domingo, das 10h às 17h | Até março de 2020
Onde? MAR | Praça Mauá, 5 – Centro
Quanto? Gratuito às terças-feiras

CENTRO DE VISITANTES PAINEIRAS

  • “Floresta Protetora” 
Exposição 'Floresta Protetora', do Centro de Visitantes Paineiras
Crédito: DivulgaçãoExposição permanente, ‘Floresta Protetora’ explora a riqueza do Parque Nacional da Tijuca de forma interativa

Toda a riqueza do Parque Nacional da Tijuca pode ser vista na exposição permanente, que ocupa o segundo andar do Centro de Visitantes Paineiras, onde funcionou o antigo Hotel Paineiras. Em uma área de 900 m², a mostra apresenta um panorama da biodiversidade da Mata Atlântica e conta curiosidades e histórias do parque de forma interativa. Às quintas, acontecem visitas guiadas gratuitas em português, inglês e espanhol, das 10h às 14h.

Quando? Diariamente | Das 8h às 19h
Onde? Centro de Visitantes Paineiras | Estrada das Paineiras, s/n
Quanto? Gratuito

Tem muito mais além das exposições no Rio de Janeiro! Vem ver como visitar 9 museus sem pagar nada!

1
BH: Jetiboca tem café incrível a R$ 3, pão de queijo e muito amor
Um dos lugares mais incríveis e inusitados no centro de Belo Horizonte, em Minas Gerais, é o Mercado Novo. Há …
2
3 trilhas no Rio com vistas de tirar o fôlego
Esse vídeo é para os amantes de ecoturismo, ou mesmo para quem quer começar a fazer trilhas e se conectar …
3
Parque da Pedra Branca no RJ: a maior floresta urbana do país
Pega um calçado confortável, passar protetor e repelente e Colaí nessa caminhada pelas trilhas do Parque da Pedra Branca, a …
4
Roteiro zen para fugir do caos de SP
Viver em SP é estar sempre ligadão no 220. Mas é legal dar uma freada no corre corre, né não? Colaí …
5
3 rolés pra curtir no Baixo Tijuca no Rio de Janeiro
A região do Baixo Tijuca tem muito o que oferecer quando o assunto é cerveja gelada! Colaí que eu tenho as …
6
Arena Digital de Curitiba: cinema e planetário no mesmo lugar
Ver as estrelas, mergulhar no fundo do mar, conhecer de pertinho todo o sistema solar. Tudo isso é possível em …
7
Uma voltinha no Mercado Público de Porto Alegre
Mais do que um ponto turístico, o Mercado Público de Porto Alegre concentra consumo, crença, cultura e tradição no centro …
8
3 jóias gastronômicas antigas de São Paulo
Afinal, panela velha é a que faz comida boa? Se depender da Casa Mathilde, da Padaria Santa Tereza e do …