CORONAVÍRUS
Tudo o que você precisa saberÚltimas notícias e tudo que você precisa saber

Exposição no MuBE traz a realidade das ruas das cidades de Santos e São Paulo

Artista alemão Jan Siebert retrata, em pinturas, os personagens da noite nas praças, bares e bordéis dos municípios paulistas

Por: Redação

É à noite que o alemão Jan Siebert realiza suas pinturas. Esse período é o mais propício para mostrar a essência íntima dos “personagens urbanos”, que serão retratados pelo artista plástico na exposição Aquém do Concreto, no MuBE (Museu Brasileiro da Escultura) a partir do dia 6 de agosto.

Em trinta telas pintadas a óleo, algumas delas inéditas, Jan apresenta moradores de rua, prostitutas, frequentadores da noite de São Paulo e de Santos, além das construções antigas das duas cidades. Há também obras que são resultado de sua recente passagem pelo Rio de Janeiro.

Nesse trabalho de cunho realista, o foco principal do artista é o ser humano, muitas vezes ignorado nas metrópoles consumistas e aceleradas pelo trabalho coletivo diário. Não por acaso, Siebert escolheu a noite, quando é possível se aproximar dos “personagens” escolhidos. Ele esteve nos centros e nas periferias e interagiu com as pessoas, trazendo ainda mais realidade às suas obras. Com seu cavalete, pintou ao vivo, detalhes como “expressões corporais” e rachaduras nos imóveis históricos.

Para a curadora da exposição, Lilian Heitor, o artista não mostra apenas o lado sombrio das madrugadas das cidades. “O que prevalece em seu trabalho é uma melancolia romântica. E há beleza nessa vida diferente do ser humano em espaços únicos da cidade”, afirma.

Sobre o artista

Jan Siebert nasceu em Hamburgo, na Alemanha, em 1971. Ainda estudante, fez várias viagens pela América Central (México, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Costa Rica). Morou na Cidade do México de 1996 a 1999 e, durante quatro anos, em Veracruz, também no México.

Em 2005, morou na Argentina, e, na sequência, fixou moradia no Brasil. Siebert já expôs suas obras no “Museo Macay” e no Instituto Goethe, do México; na Galeria do Levantehaus e no Goethe-Institut, na Alemanha; no Clube Transatlântico, em São Paulo, no Museo Pagu, em Santos, entre outros.