Mostra no Sesc Avenida Paulista projeta clássicos do cinema 35mm

Musical clássico “Pele de Asno” (1970), de Jacques Demy, usa a película para criar truques de câmeras
Nos dias
16/11 - 17/11
18/11
2018
Na sexta-feira, às 20h30; no sábado, às 15h e às 20h30; e no domingo, às 15h e às 17h30

Sesc

site: www.sescsp.org.br

telefone: (11) 3179-3700

Por: Redação | Comunicar erro

Dica para quem ama a sétima arte! Sessões exibem filmes de Jean-Luc Godard, Júlio Bressane, Jacques Demy e Paul Grimault

As películas em 35mm revolucionaram a história do cinema e são usadas até hoje por grandes cineastas – mesmo na era do cinema digital – graças às características peculiares da imagem nesse formato como textura, luminosidade, foco e profundidade de campo. Para destacar a importância dessa tecnologia, uma mostra no Sesc Avenida Paulista chamada “Cine 35mm” exibe filmes de Godard, Bressane e Grimault entre 16 e 18 de novembro.

Paixão de Jean-Luc Godard
Crédito: reproduçãoClássico “Paixão” (1982), do francês Jean-Luc Godard, é um dos destaques da mostra no Sesc Avenida Paulista

Antes de cada projeção, os pesquisadores convidados Sergio Silva, Francis Vogner e Lara Lima falam da importância da película na concepção e desenvolvimento da obra a ser exibida. As sessões são gratuitas e acontecem na praça da unidade (no térreo), com distribuição de ingressos com uma hora de antecedência.

O clássico “Paixão” (Suíça/França, 1982, 88’), do cineasta francês Jean-Luc Godard, dá início à programação na sexta-feira, dia 16, às 20h30. A trama mostra uma equipe que se prepara para gravar um filme sobre pintura renascentista, mas o diretor enfrenta dificuldades ao lidar com os conceitos de luz e imagem. O uso da película no filme é importante para reproduzir a luz dos mestres renascentistas em grandes pinturas vivas.

Cena do filme Educação Sentimental
Crédito: reproduçãoRepresentante do cinema nacional, “Educação Sentimental” (2013), de Júlio Bressane, é uma homenagem à película 35mm

Já o contemporâneo “Educação Sentimental” (Brasil, 2013, 84’), de Júlio Bressane, é uma espécie de despedida da imagem analógica. O longa, que tem sessão no sábado, dia 17, às 20h30, trata da relação de amor e cumplicidade entre uma professora e seu aluno. A história é inspirada no mito grego de Endimião, no qual a Lua se apaixona pelo corpo nu de um rapaz em pleno sono e o acaricia com sua luz.

O musical “Pele de Asno” (França, 1970, 100’), de Jacques Demy, é exibido no domingo, dia 18, às 17h30. A história acompanha um Rei que promete à esposa à beira da morte que só se casará novamente se encontrar uma mulher mais linda do que ela. A única que atende a esse requisito é a própria filha do monarca.

Cena de "Pele de Asno"
Crédito: reproduçaoMusical clássico “Pele de Asno” (1970), de Jacques Demy, usa a película para criar truques de câmeras

Para fugir desse destino, ela foge escondida sobre a pele de um asno. Nesse clássico, a película tem o papel de possibilitar uma paleta específica de cores e truques de câmeras.

A criançada também tem espaço na programação. No sábado e no domingo, às 15h, a mostra projeta a animação “O Rei e o Pássaro” (França, 1980, 87’), de Paul Grimault, sobre o rei vaidoso de Taquicardia, que sempre tem todas as suas vontades atendidas pelos súditos. Certa noite, as estátuas e retratos do monarca ganham vida.

Mostra no CCBB SP celebra militância negra no cinema de Spike Lee

Compartilhe:

Autor: Por: Redação