20 shows incríveis (e baratinhos) para curtir nos Sescs de SP

A choperia do Sesc Pompeia também vai receber showzões!
Até
30
de setembro 2018
Segunda - Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo
Diversos horários
array(3) { ["address"]=> string(22) "São Paulo, SP, Brasil" ["lat"]=> string(11) "-23.5505199" ["lng"]=> string(18) "-46.63330940000003" }

Diversos locais em São Paulo

São Paulo, SP, Brasil

Cidade

Em setembro tem Emicida, Chicho César, Barbatuques, Vanessa Da Mata, Ilê Aiyê e muito mais!

Falou do Sesc São Paulo, o coraçãozinho catraqueiro até pula de felicidade! E para compartilhar todo esse amor com vocês, selecionamos 20 shows lindos, maravilhosos e dançantes pra tu curtir até o dia 30 de setembro. Tem atração gratuita e paga, mas nada ultrapassa os R$ 60.

E óh, sem desculpas para não aproveitar o rolê, pois os shows rolam em dezenas de unidades, englobando as zonas norte, zul, leste e oeste de SP. Preparados?! Então bora!

Sesc Pompeia
Crédito: Google Street ViewA choperia do Sesc Pompeia também vai receber showzões!
  • 1. 1 a 9 de setembro

    • Tulipa Ruiz
      Sesc Santo Amaro | Rua Amador Bueno, 505
      Sábado, 1 de setembro | 20h
      R$ 20 (inteira) | R$ 10 (meia-entrada) | R$ 6 (associado Sesc)

    Em formato intimista, cantora e compositora paulista reúne canções inéditas e releituras de seu repertório no show do disco mais recente, o TU. No palco, a artista canta acompanhada do seu irmão, o produtor do trabalho e violonista Gustavo Ruiz, e do baterista Samuel Fraga. Na ocasião do show no teatro do Sesc Santo Amaro, será lançado o vinil do disco.

    • Emicida, Rael & Capicua (POR)
      Sesc Itaquera | Avenida Fernando Espírito Santo Alves de Mattos, 1000
      Domingo, 2 de setembro | 15h30
      GRÁTIS

    O álbum “Língua Franca” é uma produção dos rappers brasileiros Emicida e Rael, do rapper português Valete e da rapper portuguesa Capicua, e traz o idioma lusófono como ponto em comum.

    Com repertório inédito, o projeto “Língua Franca” celebra a língua portuguesa promovendo a união do rap brasileiro e português. Em dez dias, Rael, Emicida, Capicua e Valete se reuniram em um estúdio de Portugal para finalizar e gravar as dez músicas do álbum, produzido por Kassin, Fred Ferreira e Nave, onde juntam seus diferentes sotaques, rimas e cadências.

    • Bia Ferreira
      Sesc Campo Limpo | Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120
      Domingo, 2 de setembro | 18h
      GRÁTIS

    Bia Ferreira é uma multi-instrumentista, cantora de jazz, blues e soul brasileira. Nascida no interior de Minas Gerais, mudou-se para Aracaju e depois para São Paulo. Iniciou seus estudos na música cedo, tendo o piano como base musical. A temática social, especialmente relacionada ao feminismo negro, torna-se uma importante característica do seu trabalho.

    Define sua música como MMP – Música de Mulher Preta. Faz uso de sua música para educar, conscientizar e passar informações a respeito das demandas de luta do movimento anti-racismo no Brasil.

    • Cris SNJ
      Sesc Avenida Paulista | Avenida Paulista, 119 – Bela Vista
      Quinta e sexta-feira, 6 e 7 de setembro | 21h e 18h
      R$ 20 (inteira) | R$ 10 (meia-entrada) | R$ 6 (associado Sesc)

    No show “Evoluindo através dos tempos” Cris SNJ apresenta canções inéditas e autorais do seu primeiro CD solo, como “O bonde” canção vinculada ao clipe que está com milhares de visualizações, “Estilo Negona” em que a artista faz um auto retrato e um relato de todas as dificuldades que passou, como mulher, negra, MC entre outras. É um show de empoderamento feminino, Cris ainda relembra alguns sucessos do grupo SNJ do qual faz parte. Nos dois dias, haverá participação da rapper Danna Lisboa.

    • Adriana Calcanhoto
      Sesc Pinheiros | Rua Paes Leme, 195
      Quinta-feira a domingo, 6 a 9 de setembro | 21h, 18h, 21h e 18h
      R$ 50 (inteira) | R$ 25 (meia-entrada) | R$ 15 (associado Sesc)

    Inspirada pelo movimento modernista brasileiro dos anos 20, no seu “Manifesto da Poesia Pau-Brasil”, a sua influência sobre o Tropicalismo (toda a informação externa deve ser devorada e reinventada nos seus próprios termos), e com base na aprendizagem, pesquisa e trabalhos desenvolvidos como professora e Embaixadora da Universidade de Coimbra, Adriana Calcanhotto cria um novo espetáculo, no qual reflete sobre todas estas novas experiências. Sucessos, novas canções, novas leituras e reinvenções.

    Nestes concertos, Adriana Calcanhotto será acompanhada por dois músicos se alternando entre guitarra, mpc, piano e baixo.

    • La Mambanegra (Colômbia)
      Sesc Pompeia | Rua Clélia, 93
      Sexta-feira, 7 de setembro | 18h30
      R$ 30 (inteira) | R$ 15 (meia-entrada) | R$ 9 (associado Sesc)

    A banda colombiana de Cali é uma mistura de música jamaicana, funk, hip-hop e salsa, criando o break salsa, gênero criado por eles. Criada em 2012, o grupo é dirigido pelo compositor, produtor, saxofonista e cantor Jacobo Vélez ¿El Callegüeso’.

    • Anelis Assumpção
      Sesc Campo Limpo | Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120
      Sábado, 8 de setembro | 20h
      GRÁTIS

    Em seu terceiro trabalho solo, lançado em fevereiro, Anelis Assumpção junta a fome com a vontade de comer. Parcerias da vida, letras esculpidas na cozinha e músicas para serem digeridas com a alma. “Taurina” faz referência não só ao astrologicamente conhecido signo dos teimosos e gulosos, como reflete uma sutil elaboração comparativa entre a mulher e a vaca – animal generoso que alimenta o ser humano ou endeusada, aparece como divindade em culturas orientais. Um animal que, resignado, se doa e serve. Ou ainda com o termo usado como xingamento para mulheres de atitude que incomodam. Taurina também é silêncio.

    Ela está solo, mas nunca sozinha. Russo Passapusso e Saulo Duarte são parceiros em “Amor de Vidro”, Russo também está no samba “Caroço”. Com Ava Rocha, ela divide “Mortal à toa” e Rodrigo Campos é seu par em “Água”. Em “Escalafobética”, parceria com João Donato, Anelis cria um jogo de ritmos com palavras inventadas único, ou gracilianamente típico.

    • Fernanda Abreu
      Sesc Pompeia | Rua Clélia, 93
      Sábado, 8 de setembro | 21h30
      R$ 30 (inteira) | R$ 15 (meia-entrada) | R$ 9 (associado Sesc)

    “Amor Geral – O Show” é a celebração do amor através da música e da dança. O repertório traz seis músicas do álbum “Amor Geral”, além de sucessos da carreira da artista.

    • Hamilton De Holanda
      Sesc Belenzinho | Rua Padre Adelino, 1.000
      Sábado e domingo, 8 e 9 de setembro | 21h e 18h
      R$ 20 (inteira) | R$ 10 (meia-entrada) | R$ 6 (associado Sesc)

    Show do mais recente trabalho do bandolinista e compositor, que cria uma experiência que é fruto da fusão entre o som feito ao vivo e as imagens autorais projetadas. Em cada apresentação, a trilha musical original tem a possibilidade colaborativa de ser transformada. Os músicos são livres para, como no improviso do jazz, levarem o expectador a experimentar o inusitado, fazendo de cada noite um momento único.

  • 2. 10 a 16 de setembro

    • Barbatuques 20 anos
      Sesc Consolação | Rua Dr. Vila Nova, 245 – Vila Buarque
      Quinta-feira, 13 de setembro | 21h
      R$ 20 (inteira) | R$ 10 (meia-entrada) | R$ 6 (associado Sesc)

    Em 2017 o Barbatuques completou 20 anos! E para celebrar este marco criou o show com repertório especial que circula por todos os trabalhos do grupo. Clássicos dos primeiros discos como Baianá, Barbapapa´s groove, Carcará e Baião Destemperado, juntam-se ao repertório recente que trazem músicas como Ayú, Skamenco e Kererê. Um apanhado rítmico que representa a sonoridade do grupo desde a sua criação.

    O grupo comemora o marco de carreira artística, como referência em música e percussão corporal.

    • Trupe Chá De Boldo
      Sesc Vila Mariana | Rua Pelotas, 141
      Sábado, 15 de setembro | 21h
      R$ 30 (inteira) | R$ 15 (meia-entrada) | R$ 9 (associado Sesc)

    Trupe Chá de Boldo, que completou dez anos de atividade em 2016, apresenta o show do seu novo disco, lançado em 2017. Verso tem onze músicas, dos artistas: Alzira E, André Abujamra, arrudA, Gero Camilo, Iara Rennó, Juliano Gauche, Léo Cavalcanti, Marcelo Segreto, Negro Léo, Pélico, Peri Pane, Tatá Aeroplano e Tata Fernandes. O desafio de revirar as canções do avesso resultou no panorama de que, na maior parte das faixas, apenas letra e melodia foram mantidas das versões originais.

    • Amelinha
      Sesc Pinheiros | Rua Paes Leme, 195
      Domingo, 16 de setembro | 18h
      R$ 40 (inteira) | R$ 20 (meia-entrada) | R$ 12 (associado Sesc)

    A cantora e compositora cearense, que integrou ao lado de Fagner, Belchior e Ednardo o grupo conhecido no meio artístico como o “Pessoal do Ceará”, lança seu 17º álbum, De Primeira Grandeza – as canções de Belchior.

    Inédito, o show traz 15 músicas no repertório, sendo 9 do disco novo e as outras 6, seus maiores sucessos: “Frevo Mulher”, “Mulher Nova, Bonita e Carinhosa…”, “Foi Deus que Fez Você”, entre outras. Amelinha se apresenta com uma banda de 5 músicos.

  • 3. 17 a 23 de setembro

    • Vanessa Da Mata
      Sesc Belenzinho | Rua Padre Adelino, 1.000 – Belenzinho
      Quinta-feira a sábado, 10 a 22 de setembro | 21h30
      R$ 60 (inteira) | R$ 30 (meia-entrada) | R$ 18 (associado Sesc)

    Após três anos rodando com as turnês de Segue o Som (2014) e do projeto intimista Delicadeza, a cantora volta com novidades trazidas no mais novo CD e DVD Caixinha de Música, gravado ao vivo, em São Paulo.

    Além da faixa “Caixinha de Música”, que dá nome ao novo trabalho, ela ainda apresenta “Orgulho e Nada Mais” e “Gente Feliz”, também registrada em faixa-bônus.

    Os hits de carreira, como “Ai, Ai, Ai”, “Amado”, “Boa Sorte/Good Luck”, “Não Me Deixe Só”, “Ainda Bem”, também estão presentes no show.

    • Ed Motta
      Sesc Osasco | Avenida Sport Club Corinthians Paulista, 1.300 – Jardim das Flores
      Sexta-feira | 21 de setembro | 20h30
      R$ 20 (inteira) | R$ 10 (meia-entrada) | R$ 6 (associado Sesc)

    No show “O baile do Flashback”, o repertório é repleto de temas que tocam até hoje nas rádios segmentadas que muitos conhecem, mas os artistas não ficaram necessariamente conhecidos, como Shalamar, MacFadden & White Head, entre outros. A veia principal do show é o soul/funk dos anos 60 e início dos anos 80, além de músicas que fizeram sucesso na carreira do compositor, como Colombina, Manoel e Fora da Lei.

  • 4. 24 a 30 de setembro

    • Xande De Pilares
      Sesc Belenzinho | Rua Padre Adelino, 1.000 – Belenzinho
      Quinta-feira a sábado, 27 a 29 de setembro | 21h30
      R$ 30 (inteira) | R$ 15 (meia-entrada) | R$ 9 (associado Sesc)

    O ex-vocalista e compositor do Grupo Revelação, agora e m carreira solo apresenta show de seu primeiro álbum solo, Perseverança, além de sucessos do Grupo Revelação.

    • Chico César
      Sesc 24 de Maio | Rua 24 de Maio, 109 – Centro
      Quinta-feira a domingo | 27 a 30 de setembro | 21h, 21h, 21h e 18h

    ‘Mulhero’ é o novo show de Chico César que reúne material das últimas temporadas apresentadas recentemente: o clássico Estado de Poesia e o experimental Preto Perto, que trazia músicas anteriores a sua chegada ao Sudeste.

    Trata-se de oportuna ocasião para ver o artista realizando o repertório que traz canções do próximo álbum e grandes clássicos de sua carreira.

    • Quebrada Queer + Batekoo
      Sesc Santo Amaro | Rua Amador Bueno, 505
      Sábado, 29 de setembro | 19h30
      R$ 20 (inteira) | R$ 10 (meia-entrada) | R$ 6 (associado Sesc)

    A ideia de uma cypher pioneira no Brasil, provavelmente no mundo, deu origem ao Quebrada Queer, coletivo formado por cinco artistas independentes Todos negros e gays que fazem o hip-hop/rap de base para seus sons. A apresentação traz à tona discussões sobre aceitação da sociedade, auto-aceitação e preconceito, relatando também experiências e feridas causadas pelo homofobia, com tudo isso agregando e aquecendo o cenário LGBT com mensagens de conscientização, respeito e positividade.

    A Batekoo é uma festa negra LGBT que carrega uma proposta musical e cultural excepcionalmente negra, representando grande parte da juventude negra LGBT brasileira de forma orgânica. Esse movimento cultural é fruto do rap, hip hop, funk carioca, R&B, Trap, Urban, kuduro, reggae e demais estilos musicais relacionados com a cultura negra, além de muita dança que resulta em grandes performances de forma natural. A festa conta com a presença de 3 Dj’s para animar a pista, além de performers que extravasam a negritude através de danças como Funk, Kuduro, Vogue, Dancehall, entre outras.

    • Ilê Aiyê
      Sesc Pinheiros | Rua Paes Leme, 195
      Quarta-feira, 29 de setembro | 18h
      GRÁTIS

    Surgido em 1974, no Curuzu, Liberdade, bairro de maior população negra do país, com aproximadamente 600 mil habitantes, o Bloco Ilê Aiyê nasce com o objetivo de preservar, valorizar e expandir a cultura afro-brasileira. Com seus três mil associados, o Ilê hoje é patrimônio da cultura baiana, um marco no processo de reafricanização do Carnaval da Bahia.

    • Rico Dalasam
      Sesc Campo Limpo | Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120
      Domingo, 30 de setembro | 18h
      GRÁTIS

    Rico Dalasam se apresenta em Campo Limpo com seu mais novo projeto: “Elefantes, Mantras e Trava-Línguas”, abrindo caminhos para novas possibilidades com o formato experimental do repertório que apresentou nos últimos 3 anos desde que surgiu no cenário musical. Abre suas músicas e entrega-as a mantras a partir de suas melodias e trava-línguas das rimas.

    Nascido em Taboão da Serra, zona sul de São Paulo, Jefferson Ricardo da Silva, ou “Rico”, lançou seu primeiro single em 2014, foi quando tomou conhecido em todo o país. “Aceite-C”. O hit virou uma espécie de hino à aceitação da identidade de gênero e da orientação sexual.

    • Jaloo 
      Sesc Interlagos | Avenida Manuel Alves Soares, 1100 – Parque Colonial
      Domingo, 30 de setembro | 16h
      GRÁTIS

    Jaloo é cantor, produtor e compositor, e trará ao Sesc Interlagos show da turnê “Mestiço”. Com um som que une elementos do pop e da música eletrônica a ritmos mais tradicionais do Pará (como o brega e o carimbó), o artista se firmou nos últimos anos como uma das maiores revelações da cena independente brasileira.


Theatro Municipal de SP recebe maratona de concertos baratinhos

Compartilhe:

Autor: Por: Redação