5 restaurantes em São Paulo comandados por refugiados

Grande parte deles são de comida árabe - e isso faz muito sentido, já que do total de refugiados no Brasil, 36% são representados por sírios

Por: Publi

O número de restaurantes em São Paulo comandados por refugiados cresce assim como os números de pessoas que buscam um novo lar para morar aqui no Brasil.

Segundo a ACNUR, São Paulo é o terceiro estado da federação em número de solicitações: foram 9.977, em 2018, perdendo para Roraima (50.770) e Amazonas (10.500), respectivamente.

restaurantes são paulo refugiados
Crédito: DivulgaçãoListão com o melhor da gastronomia paulistana feita por refugiados!

Isso se reflete na quantidade de restaurantes comandados por refugiados na capital paulista. Ao menos cinco você pode conhecer com essa lista repleta de cultura gastronômica que montamos pra você!

Grande parte deles são de comida árabe – e isso faz muito sentido, já que do total de refugiados no Brasil, 36% são representados por sírios, seguidos de congoleses (15%) e angolanos (9%).

ONDE ENCONTRAR OS MELHORES CANNOLI DA MOOCA, MÊO!

Colaí! E não esquece de chamar seu 99 quando for conferir de pertinho os sabores dessa lista!

Restaurante vegano de comida africana, o Congolinaria serve comida típica da República Democrática do Congo, privilegiando ingredientes naturais ao invés de industrializados.

Quem abriu o restaurante foi o Pitchou Luhata Luambo, que chegou ao Brasil no começo de 2010, fugindo dos conflitos armados do Congo.

pitchol criou o congolinaria restaurantes em são paulo de refugiados
Crédito: DivulgaçãoRodízio, comida vegan e africana é o que você encontra no Congolinaria!

O professor de francês, advogado e militante de direitos humanos viu na gastronomia da sua terra natal uma oportunidade de se manter aqui no país.

Entre os pratos principais do Congolinaria, estão o KUKU, acarajé na cama de quiabo na mwamba (pasta de amendoim), acompanhado por arroz branco cozido no suco de gengibre e chips de batata-doce e mix de Sambusas, pasteizinhos típicos africanos, recheados com sabores variados de vegetais, acompanhados por chatini assado. Ufa! Que delícia!

Onde: Avenida Prof. Alfonso Bovero, 382 – Sumaré.
Horário de Funcionamento: Terça a sábado, das 12h às 15h e das 19h às 22h; domingo, das 12h às 15h.

Um dos mais famosos restaurantes comandados por refugiados em São Paulo, o Al Janiah existe desde 2016 e se tornou muito mais do que um restaurante de culinária árabe.

A casa comandada por Hasan Zarif, brasileiro filho de palestinos, funciona como um centro cultural com shows, debates, exposições, cursos e exibições de filmes, além de receber refugiados sírios, palestinos e africanos.

pessoas no al janiah restaurantes são paulo refugiados
Crédito: DivulgaçãoAl Janiah é o mais conhecido entre os restaurantes comandados por refugiados em SP

No cardápio há porções como a Da Janiah, homus com carne de shawarma e castanha de caju (sem glúten), e pastas como laban, que é uma coalhada seca sem glúten. Ambos os pratos são servidos com cesta de pão árabe e azeite.

Uma das especialidades da casa é o fatha, pão frito com recheios como grão-de-bico e berinjela, acrescido de tahine, manteiga derretida e castanha de caju.

Onde: Rua Rui Barbosa, 269 – Bela Vista.
Horário de Funcionamento: Terça a quinta, das 18h às 0h30; sexta e sábado, das 18h30 às 2h; domingo, das 18h30 a meia-noite.

Tala Shawarma

O refugiado sírio Amin abriu o pequeno Tala Shawarma Árabe há pouco tempo com a proposta de servir comida rápida e barata, atraindo principalmente jovens estudantes ali do centrão.

tala shawarma árabe
Crédito: DivulgaçãoO Tala Shawarma fica perto do Mackenzie é um ótimo mata-larica para quem tá pelos bares ali da região

No restaurante, você encontra esfihas a partir de R$ 5, que vão dos tradicionais carne e queijo, até coalhada seca e chocolate.

Pratos como Tawook e Falafel, shawarmas de carne, frango e kafta também estão no cardápio – e são ótimos – além dos doces sírios que a gente conhece.

Onde: Rua Dr. Cesário Mota Júnior, 562 – Vila Buarque.
Horário de Funcionamento: Segunda a sábado, das 12h a meia-noite.

A gastronomia palestina do Majâz é feita com ingredientes árabes tradicionais, a partir de receitas familiares que viajaram um longo caminho até o Brasil, misturando as raízes dos campos palestinos ao paladar brasileiro, sensível à comida simples, saborosa e farta.

As paredes do restaurante são decoradas com nomes de campos de refugiados palestinos, e o cardápio tem pratos que valorizam a cultura árabe.

majâz restaurantes são paulo refugiados
Crédito: DivulgaçãoOito árabes (palestinos e sírios) comandam a cozinha do Majâz

Se você é fã de bebidas, o restaurante comandado pelos refugiados Mohammed e Raame Othman serve o café árabe com cardamomo, o chá preto, e também uma variedade de drinks de inspiração palestina e brasileira.

Majâz em árabe significa “travessia”, algo que a casa leva como bandeira, a fim de ser um lugar de boa acolhida e encontros felizes para todos os que passarem por lá.

Onde: Rua Fortunato, 88 – Vila Buarque.
Horário de Funcionamento: Terça a quinta, das 18h a meia-noite; sexta, das 18h às 2h; sábado, das 12h30 às 2h; domingo, das 12h30 às 18h.

  • Restaurante Syria

Esfihas, espetinhos e pastas vegetarianas, além de doces árabes, em espaço simples com forno tradicional. É isso o que você encontra no restaurante Syria, comandado pelo libanês Ahmed Merhi.

Ahmed é um velho conhecido de quem come pelo centro de São Paulo. Ele era proprietário do Vovô Ali, que funcionou na região da Avenida Rio Branco e depois na Rua Barão de Limeira.

shawarma do restaurante syria do vovô ali
Crédito: DivulgaçãoVovô Ali foi para o Líbano, voltou para o Brasil e abriu o Restaurante Syria com comida barata e deliciosa!

Depois de uma temporada no Líbado, Merhi voltou às terras tupiniquins para abrir, em 2018, o Restaurante Syria, pertinho do Largo do Arouche.

A proposta é a mesma do Vovô Ali: comida farta e barata, feita com ingredientes trazidos do Líbano, como o docinho de pistache, com calda de água de flor de laranjeira e rosas.

O Shawarma da casa é um dos pratos mais pedidos, nas versões com carne bovina, kafta, frango, falafel ou misto, assim como as esfihas.

Se você estiver de bobeira pelo centro, vale dar uma passada lá para tomar um cafézinho com cardamomo e trocar uma ideia com o seu Ahmed.

Onde: Avenida São João, 1248 – Santa Cecília.
Horário de Funcionamento: Segunda a quarta, das 12h às 21h; quinta a sábado, das 12h às 22h.

Quer mais dicas legais para explorar SP? Seus problemas acabaram: fica de olho aqui na Catraca Livre, que a gente tem roteiros incríveis para você colar com o seu 99, que garante a dupla imbatível preço e qualidade!

Mais restaurantes em São Paulo (só que não de refugiados):

1
BH: Jetiboca tem café incrível a R$ 3, pão de queijo e muito amor
Um dos lugares mais incríveis e inusitados no centro de Belo Horizonte, em Minas Gerais, é o Mercado Novo. Há …
2
3 trilhas no Rio com vistas de tirar o fôlego
Esse vídeo é para os amantes de ecoturismo, ou mesmo para quem quer começar a fazer trilhas e se conectar …
3
Parque da Pedra Branca no RJ: a maior floresta urbana do país
Pega um calçado confortável, passar protetor e repelente e Colaí nessa caminhada pelas trilhas do Parque da Pedra Branca, a …
4
Roteiro zen para fugir do caos de SP
Viver em SP é estar sempre ligadão no 220. Mas é legal dar uma freada no corre corre, né não? Colaí …
5
3 rolés pra curtir no Baixo Tijuca no Rio de Janeiro
A região do Baixo Tijuca tem muito o que oferecer quando o assunto é cerveja gelada! Colaí que eu tenho as …
6
Arena Digital de Curitiba: cinema e planetário no mesmo lugar
Ver as estrelas, mergulhar no fundo do mar, conhecer de pertinho todo o sistema solar. Tudo isso é possível em …
7
Uma voltinha no Mercado Público de Porto Alegre
Mais do que um ponto turístico, o Mercado Público de Porto Alegre concentra consumo, crença, cultura e tradição no centro …
8
3 jóias gastronômicas antigas de São Paulo
Afinal, panela velha é a que faz comida boa? Se depender da Casa Mathilde, da Padaria Santa Tereza e do …