Retrospectiva de Bob Wolfenson apresenta 200 retratos marcantes

Fotógrafo já clicou Caetano Veloso, Fernanda Montenegro, Rita Lee, Lázaro Ramos, Charles Chaplin e Sophia Loren

Até 09 de dezembro de 2018

Domingo - Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado

De terça a sábado, das 10h às 19h, e aos domingos e feriados, das 10h às 17h

Grátis

O paulistano Bob Wolfenson é um dos principais retratistas da contemporaneidade. Nascido em 1954, ele transita entre a arte e a publicidade ao produzir também fotos de nus, de moda e trabalhos mais autorais.

Parte deste trabalho, desenvolvido ao longo de 45 anos de carreira, está exposta no Espaço Cultural Porto Seguro entre os dias 24 de agosto e 9 de dezembro, com entrada gratuita. A visitação acontece de terça a sábado, das 10h às 19h, e aos domingos e feriados, das 10h às 17h.

A retrospectiva tem curadoria de Rodrigo Vilela e é composta por 200 retratos, vários deles ainda inéditos. Na seleção estão tanto fotos emblemáticas, em que Wolfenson até mesmo discute a própria linguagem, quanto fotografias realizadas em momentos importantes para o Brasil.

Há também uma faceta diferente do fotógrafo apresentada na mostra: sua atividade de “paparazzo”. O público vê relances de figuras encontradas por acaso que ele não poderia deixar passar, como Charles Chaplin e Sophia Loren.

A fotografia mais antiga é um retrato em preto e branco do dramaturgo e diretor teatral José Celso Martinez Corrêa, do Teatro Oficina, feito em 1973. Já um dos mais recentes é o de Sebastião Salgado, feito ainda este ano em Paris.

Mas há também registros de Hélio Oiticica, Fernanda Montenegro, Caetano Veloso, Tais Araújo, Marília Gabriela, Lázaro Ramos, Camila Pitanga, Anitta, Ludmila, Laerte, Lula, Fernando Henrique Cardoso, Paulo Maluf, Luiza Erundina, Eduardo Suplicy, Pelé, Ronaldo e muitos outros.

Sobre Bob Wolfenson

Bob Wolfenson iniciou a trajetória profissional aos 16 anos, no estúdio da Editora Abril, até que, em 1982, deixou São Paulo para morar em Nova York e atuar como assistente do fotógrafo norte-americano Bill King.

Ele já foi publicado nos principais veículos do país, como Folha de S.Paulo, Veja, Vogue, ELLE, Playboy, Harper’s Bazaar, Marie Claire e Rolling Stone. Também expôs em mostras individuais, como A Caminho do Mar (2007) e Nósoutros (2017), ambas na Galeria Millan, e em coletivas, como Modos de Ver o Brasil (2017), na Oca, do Ibirapuera.

Muitas de suas obras estão em acervos de importantes instituições, como o Museu de Arte de São Paulo (Coleção Pirelli-MASP), Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP), Museu de Arte Brasileira da FAAP, Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC-USP), Zacheta National Gallery of Art da Varsóvia, além de diversas coleções particulares.

Em parceria com Agência Fática

A Fática é uma agência de comunicação especializada em produzir conteúdos sobre cultura em suas diferentes linguagens.