Diversidade: Vão Livre do MASP recebe orquestra multicultural

Sesc Pompeia realiza exposição sobre escola de design da Rússia

Estudo de cores para volume arquitetônico de Kolpakóva está na exposição do Sesc Pompeia
Até
30
de setembro 2018
Domingo - Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado
Terça-feira a sexta, das 10h às 21h30
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

Sesc Pompeia apresenta exposição sobre escola de arte e design Vkhutemas, que revolucionou o pensamento artístico e foi precursora da Bauhaus.

Que tal aproveitar a Copa do Mundo na Rússia para conhecer um pouco mais sobre esse país? Pouca gente sabe, mas entre 1918 e 1930, funcionou na União Soviética uma escola de artes e design que revolucionou o pensamento artístico: a Vkhutemas. Ligada aos ideais de liberdade do novo governo, a instituição levantou as bandeiras da emancipação feminina, da democratização do ensino e do combate ao analfabetismo – e, entre os dias 26 de junho e 30 de setembro, o Sesc Pompeia apresentará uma exposição sobre ela.

Estudo de cores para volume arquitetônico de Kolpakóva está na exposição do Sesc Pompeia
Crédito: Kolpakóva - Ano 1928Estudo de cores para volume arquitetônico de Kolpakóva está na exposição do Sesc Pompeia
Figurino para ópera
Crédito: El Lissitzki - Ano 1923Figurino para ópera "Vitoria sobre o Sol", personagens: esportistas
Projeto de Malevich está na exposição
Crédito: Kazimir Severinovich MalevichProjeto de Malevich está na exposição "Vkhutemas"
Os trajes esportivos de Varvara Stepanova integram e exposição
Crédito: Varvara StepanovaOs trajes esportivos de Varvara Stepanova integram e exposição "Vkhutemas"
Alunos da Vkhutemas em manifestação
Crédito: Autoria desconhecida - Ano 1923Alunos da Vkhutemas em manifestação

Inédita nas Américas, a mostra Vkhutemas: O Futuro em Construção (1918-2018)” recriará cerca de 300 projetos desenvolvidos na escola por 75 artistas. O público conhecerá, por exemplo, as estruturas físicas e tridimensionais de gesso “Arkhitekton”, criadas por Kazimír Maliévitch, o projeto “A Cidade Flutuante”, do arquiteto Gueórgui Krútikov, as peças de roupas desenvolvidas por Liubov Popova e Várvara Stepánova, bem como trabalhos de Vassíli Kandinsky, Konstantín Miélnikov e El Lissítzki.

Com curadoria dos pesquisadores Celso Lima e Neide Jallageas, a mostra faz um resgate histórico da Vkhutemas que, após o endurecimento do regime stalinista, em 1930, foi “apagada” da memória coletiva. A escola esteve sempre ligada à vanguarda do pensamento estético, sobretudo aos movimentos futuristas, suprematistas e construtivistas.

Sua breve existência deixou um grande legado nos campos pedagógico e artístico, principalmente por defender a arte como instrumento de transformação social. Nos anos 1920, 30 mulheres se formaram no curso de Arquitetura, algo raríssimo para a época. Algumas se tornaram mundialmente conhecidas, como Liubov Zaliésskaia, que se dedicou a novos desenhos para o espaço público, virando referência em paisagismo com o projeto do Parque Gorki e a proposta construtivista para residências comunais nos países soviéticos da Ásia Central.

A mudança provocada pela instituição  inspirou, por exemplo, a concepção do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA) e das Oficinas de Criatividade do Sesc Pompeia, projeto arquitetônico e conceitual concebido por Lina Bo Bardi. Além disso, a Bauhaus teve em seu corpo docente muitos mestres que saíram da instituição soviética e um programa de ensino originário dos russos.


  • Quer saber mais sobre a Rússia?

15 comidas típicas da Rússia

Compartilhe:

Autor: Por: Redação