Sesc Pompeia realiza exposição sobre escola de design da Rússia

Estudo de cores para volume arquitetônico de Kolpakóva está na exposição do Sesc Pompeia
Até
30
de setembro 2018
Terça-feira a sexta, das 10h às 21h30
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

Sesc Pompeia

Sesc Pompeia - Rua Clélia - Pompeia, São Paulo - SP, Brasil

Publicidade

Sesc Pompeia apresenta exposição sobre escola de arte e design Vkhutemas, que revolucionou o pensamento artístico e foi precursora da Bauhaus.

Que tal aproveitar a Copa do Mundo na Rússia para conhecer um pouco mais sobre esse país? Pouca gente sabe, mas entre 1918 e 1930, funcionou na União Soviética uma escola de artes e design que revolucionou o pensamento artístico: a Vkhutemas. Ligada aos ideais de liberdade do novo governo, a instituição levantou as bandeiras da emancipação feminina, da democratização do ensino e do combate ao analfabetismo – e, entre os dias 26 de junho e 30 de setembro, o Sesc Pompeia apresentará uma exposição sobre ela.

Estudo de cores para volume arquitetônico de Kolpakóva está na exposição do Sesc Pompeia
Crédito: Kolpakóva - Ano 1928Estudo de cores para volume arquitetônico de Kolpakóva está na exposição do Sesc Pompeia
Figurino para ópera
Crédito: El Lissitzki - Ano 1923Figurino para ópera "Vitoria sobre o Sol", personagens: esportistas
Projeto de Malevich está na exposição
Crédito: Kazimir Severinovich MalevichProjeto de Malevich está na exposição "Vkhutemas"
Os trajes esportivos de Varvara Stepanova integram e exposição
Crédito: Varvara StepanovaOs trajes esportivos de Varvara Stepanova integram e exposição "Vkhutemas"
Alunos da Vkhutemas em manifestação
Crédito: Autoria desconhecida - Ano 1923Alunos da Vkhutemas em manifestação

Inédita nas Américas, a mostra Vkhutemas: O Futuro em Construção (1918-2018)” recriará cerca de 300 projetos desenvolvidos na escola por 75 artistas. O público conhecerá, por exemplo, as estruturas físicas e tridimensionais de gesso “Arkhitekton”, criadas por Kazimír Maliévitch, o projeto “A Cidade Flutuante”, do arquiteto Gueórgui Krútikov, as peças de roupas desenvolvidas por Liubov Popova e Várvara Stepánova, bem como trabalhos de Vassíli Kandinsky, Konstantín Miélnikov e El Lissítzki.

Com curadoria dos pesquisadores Celso Lima e Neide Jallageas, a mostra faz um resgate histórico da Vkhutemas que, após o endurecimento do regime stalinista, em 1930, foi “apagada” da memória coletiva. A escola esteve sempre ligada à vanguarda do pensamento estético, sobretudo aos movimentos futuristas, suprematistas e construtivistas.

Sua breve existência deixou um grande legado nos campos pedagógico e artístico, principalmente por defender a arte como instrumento de transformação social. Nos anos 1920, 30 mulheres se formaram no curso de Arquitetura, algo raríssimo para a época. Algumas se tornaram mundialmente conhecidas, como Liubov Zaliésskaia, que se dedicou a novos desenhos para o espaço público, virando referência em paisagismo com o projeto do Parque Gorki e a proposta construtivista para residências comunais nos países soviéticos da Ásia Central.

A mudança provocada pela instituição  inspirou, por exemplo, a concepção do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA) e das Oficinas de Criatividade do Sesc Pompeia, projeto arquitetônico e conceitual concebido por Lina Bo Bardi. Além disso, a Bauhaus teve em seu corpo docente muitos mestres que saíram da instituição soviética e um programa de ensino originário dos russos.


  • Quer saber mais sobre a Rússia?

Publicidade

Compartilhe:

Autor: Por: Redação
Publicidade

Museu de Anatomia Humana da USP exibe peças que ensina como o seu corpo funciona

Cereja Flor: O lugar das taças de sorvetes gigantes em São Paulo

Fondue taiwanês é a próxima delícia que você tem de provar

Médica tira dúvidas sobre anticoncepcional

Refugiados se tornaram microempreendedores em um lava-rápido em São Paulo

Publicidade