Cia. de Deborah Colker com 50% de desconto no Teatro Alfa

São Paulo Cia. de Dança com 50% de desconto no Teatro Alfa


Sob a direção artística de Inês Bogéa a São Paulo Companhia de Dança, criada pelo Governo do Estado de São Paulo em 2008 estreia no Teatro Alfa, em 2018, uma coreografia concebida especialmente para o grupo pela francesa Joëlle Bouvier.

No dia 15/09 às 20h e no 16/09 às 18h, o teatro oferece ao leitor VilaMundo 50% de desconto para até 50 pessoas apreciarem o espetáculo São Paulo Companhia de Dança. Basta entrar no site do Ingresso Rápido, selecionar o preço promocional VilaMundo e escrever o código: CATRACA50.

Um arco que vai do século 19 ao 21 compõe o repertório da São Paulo Companhia de Dança (SPCD), que está completando dez anos de existência. Além de obras clássicas, também apresenta criações de coreógrafos contemporâneos, brasileiros e estrangeiros.

A partir de 1980, quando fundou a companhia l’Esquisse em parceria com Régis Obadia, Joëlle Bouvier inscreveu seu nome na chamada nova dança francesa, movimento que renovou a produção coreográfica da França.

Hoje trabalhando como artista independente, já foi assim definida pela crítica francesa Agnès Izrine: “Joëlle Bouvier é realmente uma mulher que dança. Uma mulher atemporal, que atravessa épocas, modas e estilos… Seu gestual impulsivo, emocional, à flor da pele, afirma um lirismo exacerbado e contrabalançado por uma força motriz cheia de doçura”.

São Paulo Cia. de Dança – Melhor Único Dia, 14’20”, Estreia

Um arco que vai do século 19 ao 21 compõe o repertório da São Paulo Companhia de Dança (SPCD), que está completando dez anos de existência. Além de obras clássicas, também apresenta criações de coreógrafos contemporâneos, brasileiros e estrangeiros.

No programa da Temporada de Dança de 2018 do Teatro Alfa, a São Paulo Companhia de Dança também estreia uma remontagem da coreografia Melhor Único Dia, do brasileiro Henrique Rodovalho. Neste espetáculo, os bailarinos experimentam movimentos expandidos e continuados, permanecendo em cena o tempo todo. As referências vieram de grandes grupos de animais, de suas relações em movimento. “A obra trata do que tem de acontecer neste breve espaço de existência deste grande grupo, relacionado principalmente a algum tipo de prazer”, diz Rodovalho.

A terceira obra do programa é assinada por um dos mais importantes coreógrafos da dança contemporânea. 14’20”, do tcheco Jirí Kylián, foi originalmente concebida para o Nederlands Dans Theatre II, da Holanda, em 2002. Remontada para a São Paulo Companhia de Dança em 2017, trata-se de um extrato de 27”52. O título refere-se à duração do espetáculo, protagonizado por um casal de bailarinos que expressa questões sobre a passagem do tempo, o amor, a vida e a morte.

Compartilhe:

Autor: Por: Redação