Michelin lança selo verde para restaurantes que poupam ambiente

Guia de referência mais respeitado do mundo estabelece parâmetros para credenciar estabelecimentos que reduzem pegada ecológica

Quanto vale uma estrela no Michelin? Trata-se do mais respeitado guia de referência de restaurantes e hotéis do mundo. Pois, agora, a publicação também passa a mensurar o tamanho da pegada ambiental que leva à mesa os pratos dos lugares para comer. Para tanto, criou um selo verde para restaurantes sustentáveis.

O Le Bichat é um dos dez estabelecimentos de Paris que já foram agraciados com o selo verde para restaurantes
Crédito: Reprodução/EcotableO Le Bichat é um dos dez estabelecimentos de Paris que já foram agraciados com o selo verde para restaurantes

O lançamento da certificação não poderia ter sido em cidade mais apropriada. Aconteceu em Paris, incensada por sua gastronomia.

Conhecido pelo rigor em seus critérios de avaliação, o Michelin não deixou por menos no quesito sustentabilidade.

Para ganhar o selo verde para restaurantes, batizado de Ecotable, o estabelecimento deve obedecer a uma série de parâmetros. Eles incluem itens como emissão de carbono, ingredientes utilizados e rede de prestadores de serviço da casa, como fornecedores e empresas de tratamento de resíduos.

O processo de análise começa com um questionário online. Em seguida, é realizada uma entrevista presencial no restaurante.

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis

Os dez primeiros agraciados com a chancela são restaurantes localizados em Paris.

Eles se encaixaram em critérios como ter ao menos 15% dos produtos provenientes de agricultura orgânica e/ou local. E incluir ao menos um prato vegetariano no cardápio.

Também foram reconhecidos por utilizar frutas cítricas naturais nos preparos, além de descartar o lixo em sacos de papelão, entre outras obrigatoriedades para obter o selo verde para restaurantes.

Uma vez avaliado, o estabelecimento é condecorado com até três selos Ecotable.

O certificado é dividido em nove categorias: VEGG, 100% vegetariano; VEG, 100% vegano; BIO (biológico), natural/orgânico; F, flexitariano, com opções de prato sem carne; WB (wanna bio), parcialmente natural/orgânico; L (locavore), com alimentos produzidos localmente; Z, lixo zero; TF (tupper friendly), que usa embalagens sustentáveis; e O, amigo do oceano.

Leia também: Tambores de óleo reciclados viram móveis e objetos de decoração

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, presidente da GranBio e especialista em soluções sustentáveis.

Compartilhe: