Carnaval Sem Assédio
Carnaval Sem Assédio
Carnaval Sem Assédio
Carnaval Sem Assédio

Carnaval Sem Assédio

‘Masculinidade não se reafirma com assédio’, afirma promotora

Para combater violência de gênero no Carnaval, o Ministério Público do Estado de São Paulo lançou iniciativa que conscientiza foliões e oferece atendimento

Por: Lara Santos

promotoras falando sobre assédio

O Carnaval é um período de diversão, mas, muitas vezes, hostil. Para algumas pessoas, a folia também representa beijos forçados, esfregões ou passadas de mão.

No entanto, esse tipo de comportamento é cada vez mais rechaçado pela sociedade. No dia 13 de fevereiro, por exemplo, o Ministério Público do Estado de São Paulo lançou a campanha “O assédio começa depois do não”.

imagem com a seguinte frase "o assédio começa depois do não"

A iniciativa tem como objetivo alertar a importância de se combater comportamentos abusivos durante o Carnaval e também reforça a parceria do MP-SP na campanha #CarnavalSemAssédio, da Catraca Livre.

No evento de lançamento da medida, que ocorreu na Escola Superior do Ministério Público (ESMP), foram promovidas capacitações para os atendimentos da campanha #CarnavalSemAssédio e discutiu-se sobre gênero, preconceito e masculinidade.

Esses assuntos devem ser trazidos à tona, afinal, segundo o Ipea, 527 mil pessoas são estupradas por ano Brasil, e, de acordo com pesquisa do Instituto YouGov,  86% das brasileiras sofrem assédio em espaços urbanos.

Para a promotora de Justiça Fabíola Sucasas, não existe nenhuma justificativa para a violência de gênero. “Masculinidade não se reafirma com assédio. Masculinidade se afirma com respeito”, destaca. E isso não deve ser esquecido, independente da época do ano.

O consentimento é um elemento essencial para ser julgado respeitoso, o que é evidenciado pelo nome da campanha, “O assédio começa depois do não”. Hoje, ações não consentidas são consideradas crimes com pena prevista de um a cinco anos de prisão, graças à lei de importunação sexual, criada em 2019.


Todos os conteúdos da campanha #CarnavalSemAssédio são apoiados oficialmente pela 99.

Compartilhe: