Economia criativa brasileira ganha documentário inédito

A produção percorreu todas as regiões do país para mostrar o impacto social, econômico e cultural do empreendedorismo criativo

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Acaba de ser lançado o BRASIL CRIATIVO.DOC, primeiro documentário exclusivo sobre a Economia Criativa brasileira. De Caxias do Sul a Manaus, passando por Salvador, Rio de Janeiro e Brasília, a equipe viajou o país para contar a história de empreendedores que contribuem para o desenvolvimento da Economia Criativa nacional.

Dividido em episódios, a produção apresenta a trajetória de doze empreendedores e negócios vencedores da terceira edição do Prêmio Brasil Criativo, a premiação oficial da Economia Criativa brasileira.

O projeto retrata a diversidade das iniciativas e a potência da criatividade através de criações e inovações em diversas áreas como arquitetura, design, moda, publicidade, games, tecnologia, pesquisa e desenvolvimento, música, expressões culturais, patrimônio, editorial e artes cênicas.

O média-metragem traz diferentes abordagens da Economia Criativa em cada episódio, além da participação especial dos curadores e jurados, entre eles Tiago Yonamine, fundador da plataforma Trampos.CO, Bárbara Almeida, fundadora da Dress & Go, Hamilton Berteli, vice-presidente da IBM, Mariana Ribeiro, ex-coordenadora da Secretaria de Economia Criativa do Ministério da Cultura e Cristian Cunha, diretor de relações institucionais da Escola Britânica de Artes Criativas.

O documentário idealizado por Lucas Foster, referência nacional em Economia Criativa, foi dirigido pelo jovem diretor Kaio Garcia, vencedor em 2014 da premiação Narrativas do Brasil, concedida pelo YouTube Brasil e considerado uma das promessas da nova geração de diretores brasileiros.

“O Prêmio Brasil Criativo tem como missão fortalecer o ecossistema criativo do nosso país e nós acreditamos na importância do audiovisual como uma poderosa ferramenta de inspiração e exportação do talento e do potencial criativo dos nossos empreendedores. Depois de ter recebido a chancela do Ministério da Cultura  e o apoio institucional da UNESCO, tínhamos a certeza que era a hora de levar as histórias dos empreendedores criativos brasileiros para o mundo.”, afirma Foster, idealizador do evento.

Ao longo de três meses, o Prêmio Brasil Criativo recebeu 585 inscrições, com 275 projetos habilitados para a fase classificatória e com 36 projetos finalistas em doze categorias da premiação. As categorias contemplam diversos segmentos criativos abarcados pela definição de Economia Criativa, feito pelas Nações Unidas em suas publicações periódicas.

O documentário, gravado antes da Pandemia do novo coronavírus, visitou todas as cidades em que os vencedores criam seus projetos para entender a realidade de cada empreendedor e poder retratar da forma mais verdadeira e sensível, dificuldades e as conquistas destes brasileiros.

O documentário ainda faz uma homenagem ao jornalista Gilberto Dimenstein, diagnosticado em 2019 com um câncer no pâncreas, vindo a falecer em maio de 2020, aos 63 anos e considerado por Lucas Foster, a primeira pessoa que acreditou na ideia do Prêmio Brasil Criativo.