Meninas de Bangladesh usam surf para desafiar cultura machista

Por: Mayara Penina Comunicar erro

Numa praia de uma cidade turística de Bangladesh, Cox’s Bazar, uma coisa incrível está acontecendo: oito meninas estão aprendendo a surfar. Todos os dias pela manhã, elas saem das aldeias tradicionais onde moram e seguem para a praia, onde trabalham vendendo jóias, água, sanduíches e artesanato.

Para a maioria das meninas de Bangladesh, esta seria a sua única atividade que podem fazer até chegarem na idade do casamento, geralmente antes dos 18 anos. Essas meninas, em especial, viraram o jogo e foram aprender a surfar. Tudo aconteceu com o apoio do surfista e salva-vidas Rashed Alam e sua esposa americana, Venessa Rude. O casal acredita que  é uma forma de empoderar essas garotas, além de ser uma maneira de as tirar do trabalho por um tempo, fazendo com que se sintam crianças novamente.

A fotógrafa norte-americana Allison Joyce, que dedica seu trabalho para questões em direitos humanos, passou mais de um ano documentando as aulas das jovens.  “Agora elas tem sonhos, e normalmente meninas de lá não têm este tipo de sonhos”, diz Joyce. “Eles dizem: ‘Eu quero ser um salva-vidas”, ou “Eu quero ser um surfista profissional.” Quero ser médica.”

Joyce se envolveu tanto com o trabalho que teve a ideia de criar uma campanha de crowdfunding  na plataforma GoFundMe para arrecadar dinheiro com a finalidade de garantir um transporte seguro para a praia e uma refeição saudável a cada dia.

Confira as imagens

Com informações de National Geographic

1 / 1
1
02:01
As mentiras sobre as vacinas matam
Dr. Gonzalo Vecina, médico e fundador da Anvisa,  fala sobre as mentiras sobre as vacinas e o quanto o calendário …