No Ceará, jovens constroem primeiro museu de plástico do Brasil

foto: divulgação
Ecomuseu de Pacoti.

Pacoti é uma pequena cidade no interior do Ceará, localizado na Serra de Baturité. Os alunos da Escola de Ensino Médio Menezes Pimentel constaram uma grave situação: A maioria dos habitantes de Pacoti não conhece a história da cidade e a natureza ali existente.

“O imaginário do brasileiro é que no Ceará só tem terra rachada de sol. Mas não, aqui também tem mata e um patrimônio imaterial riquíssimo”, afirma o professor Levi Juca. A escola constatou que 90% das pessoas desconheciam aspectos importantes sobre o passado e a biodiversidade do lugar.  A partir de expedições na região, os alunos idealizaram – e começaram a construir – o primeiro Ecomuseu de Pacoti.  O projeto foi um dos vencedores do Desafio Criativos da Escola que premiou iniciativas protagonizados por crianças e jovens de todo o país.

Durante o século XIX, cientistas liderados pelo botânico Francisco Freire Alemão chegaram a mandar trazer camelos da África para usar como transporte nos “escaldantes desertos sertanejos” que pensavam ser “primos” do Saara.

Em 2015, os jovens estudantes, orientados pelo professor Levi Juca também exploraram a região em expedições e mapearam de trilhas ecológicas e espécies de animais. Foi com o intuito de divulgar essas descobertas e valorizar o patrimônio da cidade que conseguiram construir um Ecomuseu para informar à comunidade serrana e seus visitantes.

A Universidade Estadual do Ceará (Uece) cedeu o terreno e o material e serviço de montagem foram doados por pelo engenheiro Joaquim Caracas que inventou um tipo de construção com paredes fabricadas de módulos plásticos, tornando o Ecomuseu de Pacoti o primeiro museu feito de plástico reciclável do Brasil.

“Tinha gente que dizia que a gente só queria se mostrar, mas a gente não desistiu, o que a gente construiu vai ser da cidade, do Brasil e do mundo todo”, afirmou uma jovem durante a premiação.

Mas ainda há muita coisa a ser feita. O Museu precisa ser equipado e para isso, foi criada uma campanha de financiamento coletivo na plataforma Kickante. Clique aqui para apoiar.

“Aprendemos que a gente só ama aquilo que a gente conhece”, finalizou o professor.

Conheça os outros grupos vencedores do Criativos da Escola

Ar

Escola de Ensino Fundamental e Médio Murilo Braga / Porto Velho (RO)
Os alunos construíram um sistema para coletar a água que pingava das centrais de ar condicionado da escola, que era desperdiçada, e reaproveitá-la na irrigação do jardim, horta e áreas externas.

Gaiolas

Escola Estadual Professora Maria Araújo / Parnamirim (RN)
Alunos transformaram gaiolas que eram utilizadas para captura de animais silvestres em bibliotecas itinerantes.

Grupo

Colégio Estadual Hermes Miranda do Val / Simão Dias (BA)
Núcleo de jovens mediadores que dialogam com os demais alunos sobre os conflitos e desafios que emergem nas relações no dia a dia da escola e que, com isso, zeraram o número de ocorrências no ambiente escolar.

História
Centro de Educação Nery Lacerda / Sobradinho (DF)
Projeto planejado pelos próprios alunos para aumentar o rendimento na disciplina de História a partir do jogo Minecraft. Jovem Explorador e o Ecomuseu – Escola de Ensino Fundamental e Médio Menezes Pimentel / Pacoti (CE).

Compartilhe:

1 / 2
1
02:01
As mentiras sobre as vacinas matam
Dr. Gonzalo Vecina, médico e fundador da Anvisa,  fala sobre as mentiras sobre as vacinas e o quanto o calendário …
2
05:29
Como o estresse interfere na saúde do bebê
Claudio Basbaum, obstetra na Maternidade de São Luiz, é conhecido como o médico que implantou no Brasil o parto humanizado. Esse …