Conheça as alunas mais criativas em design que irão representar o Brasil no campeonato da Adobe

Certiport's Adobe Certified Professional World Championship acontece em julho, nos Estado Unidos

Entre os dias 28 e 31 de julho, na Califórnia, Estados Unidos, acontece o campeonato Certiport’s Adobe Certified Professional World Championship. A competição irá premiar os três alunos de design mais criativos do mundo, de mais de 80 países, nas ferramentas Adobe Photoshop, Illustrator e InDesign.

As representantes brasileiras são Maria Eduarda da Silva, 21, de Cachoeirinha, no Rio Grande do Sul, e Manuela Pellegrini Taddeo, 20, de São Paulo, capital. Para chegarem a final, as duas estudantes precisaram passar pela Seletiva Adobe Brasil 2024, promovida pela ENG DTP & Multimídia, e se destacaram entre os 152 trabalhos desenvolvidos por alunos de 15 estados do país.

Na seletiva brasileira, os estudantes tiveram três horas para desenvolver um carrossel, com quatro posts, e um story para o Instagram da ONG Grupo Brasil Vida, que desde 1997 atua nos direitos das pessoas idosas. O objetivo era apresentar o projeto utilizando os materiais de paleta de cor, logo, além de banco de imagens disponibilizado pela competição.

Os finalistas do Certiport’s Adobe Certified Professional World Championship estão concorrendo a prêmios de U$ 2 mil a US$ 8 mil, mais entradas para a Disneyland para os três melhores colocados.

Do sétimo lugar ao topo

Maria Eduarda ficou em primeiro lugar na seletiva brasileira e irá representar o país no campeonato da Adobe
Créditos: Arquivo Pessoal
Maria Eduarda ficou em primeiro lugar na seletiva brasileira e irá representar o país no campeonato da Adobe

Maria Eduarda é veterana na seletiva brasileira, em 2023, ficou em sétimo lugar e garantiu o prêmio de participação. Assim, esse ano, a estudante se preparou muito para ter um resultado melhor, mas não esperava alcançar o primeiro lugar. 

“Quando eu consegui ficar em primeiro, eu fiquei em choque, fiquei sem palavras porque é uma oportunidade única e que eu não imaginava que fosse acontecer tão rápido uma coisa tão legal assim. Mas fiquei muito feliz, foi muita gratidão, muita felicidade, emoção e demorou uns dias pra cair a ficha”, relembra Maria Eduarda.

A estudante começou um curso de design gráfico aos 14 anos no Senai, por meio da empresa em que a mãe trabalhava. “Quando eu terminei o meu curso, eu já fui para o mercado de trabalho, depois eu recebi o convite do Senai para participar de uma competição deles, a WorldSkills”, conta Maria Eduarda.

“Eu fiquei um ano nesse treinamento que terminou ano passado porque a gente fez a prova nacional e eu acabei ficando com medalha de prata no Brasil. Eu voltei para o mercado de trabalho, comecei a trabalhar no Senai como estagiária em design e surgiu essa oportunidade de fazer a prova da Adobe”, acrescenta.

Pódio na estreia

Manuela ficou em segundo lugar na seletiva brasileira e irá representar o país nos EUA
Créditos: Arquivo Pessoal
Manuela ficou em segundo lugar na seletiva brasileira e irá representar o país nos EUA

Manuela conta que sempre foi uma criança criativa, então sempre soube que seguiria uma profissão mais artística. “Eu sempre gostei muito de desenhar e quando eu descobri que tinha um curso de design gráfico, eu tinha uns 14 anos,  ali eu soube que era isso que eu ia querer fazer. Quando eu me formei na escola, entrei na faculdade de design gráfico e vi que realmente era o que eu queria”, explica a estudante.

A paulistana participou da Seletiva  Adobe Brasil, conseguiu se destacar e ficou em segundo lugar. “Eu sabia da seletiva desde o ano passado, mas não participei. No começo desse ano a minha coordenadora de curso falou pra mim que achava que seria legal se eu participasse, e aí eu resolvi participar. Eu me inscrevi, fiz a certificação do Illustrator, passei na certificação e, assim, eu participei do campeonato”, relembra Manuela.

“Eu estou muito feliz, é uma oportunidade muito única. Sempre quis participar de uma coisa assim, campeonato, uma oportunidade de ganhar um prêmio e eu fico muito feliz de ser uma das escolhidas e ainda mais assim sabendo que o Brasil é um dos países que dá mais valor para a criatividade”, comemora a estudante.

“Acredito que eu tenho bastante potencial, mas pensei no campeonato como uma oportunidade, algo bom para eu treinar e fazer portfólio, então eu fui pensando nisso”, declara a paulista. “Não estava esperando que eu fosse ficar no top 2 porque confesso que no dia do campeonato eu estava muito nervosa. Eu achei que o meu não estava tão legal, fiquei me criticando um pouco e não estava com tanta esperança, mas passei e fiquei muito feliz”, acrescenta. 

Brasil é grande conhecido da competição

Representantes brasileiras do Certiport’s Adobe Certified Professional World Championship
Créditos: Arquivo Pessoal
Representantes brasileiras do Certiport’s Adobe Certified Professional World Championship

O Certiport’s Adobe Certified Professional World Championship acontece há 15 anos, o Brasil participa desde 2021 e sempre se destaca no Top 3. Dessa forma, já na estreia do país na competição, Gustavo Oliveira, de Goiânia (GO), foi o vice-campeão mundial entre representantes de 80 países. 

Em 2022, o feito se repetiu com a participante brasileira Manoela Campos, de Porto Alegre (RS), que também foi vice colocada geral. No ano passado, o Brasil conquistou mais um pódio, desta vez com Egberto Oliveira, de Maceió (AL), na 3ª posição geral da competição entre 164 criativos, de 82 países. 

“Cada estado do Brasil tem uma criatividade diferente, uma cultura diferente, eu acredito que o Brasil seja um dos países mais criativos, se não o mais criativo. Já ficamos três vezes no pódio Mundial, duas vezes com prata, uma vez com bronze e espero que esse ano, seja eu ou seja a Manu, a gente consiga trazer o ouro esse ano para casa, até por esse momento tão caótico, quem sabe trazer um presente para o nosso país”, finaliza Maria Eduarda.