2,3 milhões de pessoas apoiam fim de festival de carne de cachorro

Assinaturas contra o evento foram recolhidas em petição e entregues por ativistas à Embaixada da China no Brasil e ao Senado Federal

Por: Change.org (Oficial) | Comunicar erro
Crédito: Ativistas independentes A petição, que até ontem somava 2,2 milhões de assinaturas, agora já ultrapassa 2,3 milhões

Ativistas pelos direitos dos animais de todo o país realizaram um ato, nesta quarta-feira, 12, em frente à Embaixada da República Popular da China no Brasil, em Brasília, para impedir a realização do Festival Yulin de Carne de Cachorro. Todos os anos, o evento, que acontece na cidade de Yulin, mata de 10 a 15 mil cães e gatos para que o público consuma a carne dos animais. O protesto reuniu seis organizações e possibilitou a entrega de um abaixo-assinado pelo fim do festival a uma representante da embaixada chinesa e ao Senado Federal.

O abaixo-assinado que se manifesta contra o festival está aberto na plataforma Change.org e já ultrapassou a marca de 2,3 milhões de assinaturas. A petição foi criada pela ativista Raquel J. Sabino, conhecida como Kaz, em conjunto com a Nação Vegana Brasil e recebeu apoio de mais nove países — Estados Unidos, Espanha, México, Rússia, Alemanha, Turquia, Canadá, Chile e França. Kaz explicou que a luta que os ativistas e protetores dos animais se propõem a travar é contra toda e qualquer forma de exploração.

“Toda essa mobilização em torno da luta pelo fim do Festival de Yulin traz para o campo de atuação aqueles e aquelas que já são sensíveis à dor e ao sofrimento dos animais”, destaca. “A nossa luta é abolicionista porque visa o fim de toda e qualquer prática de exploração da vida animal. O nosso ativismo abolicionista vem crescendo justamente por isso, porque nós estamos nos fortalecendo a partir daqueles e daquelas que chegam e percebem que a luta é anti-especista, independente de qualquer espécie”, acrescenta Kaz.

A ativista foi recebida por Vanessa Lopes, que faz parte do setor de comunicação da Embaixada da China. A representante agradeceu aos ativistas pelo “ato de bondade e de amor pelos animais” e disse que fará o abaixo-assinado chegar às mãos embaixador Yang Wanming, comprometendo-se a dar uma resposta o mais rápido possível. Em seguida, os integrantes das seis organizações foram ao Congresso Nacional, onde receberam apoio de parlamentares.

“Fomos recebidos pelo presidente da Casa, senador Davi Alcolumbre, e pelo senador Marcos Rogério, que ouviram tudo o que nós pudemos falar sobre o Festival de Yulin, as práticas que envolve e todo o horror que é”, conta Kaz. “Nossos esforços são vistos como acolhidos, bem recebidos e encaminhados. O nosso clamor por todos esses animais cruelmente abatidos e o clamor desses animais são ouvidos pelo Brasil, pelo nosso país. Isso é muito importante. A causa animal, de fato, vem recebendo a importância que lhe é devida”, completa.

O presidente do Senado recebeu um DVD com as mais de 2,3 milhões de assinaturas e se prontificou a protocolar junto à embaixada chinesa um pedido pelo fim do festival. O deputado federal Fred Costa também demonstrou apoio ao grupo.

A ação foi organizada pela Nação Vegana Brasil e contou com o apoio da ProAnima (Associação Protetora dos Animais do Distrito Federal), FALA (Frente de Ações pela Libertação Animal), Castração Solidária, Mensageiros dos Animais e Veganos de Rondônia.

Crédito: Assessoria Senador Davi AlcolumbrePresidente do Senado, ao centro, demonstrou apoio à causa dos ativistas

A causa animal

Kaz, que é servidora pública do Estado de São Paulo, acredita que o engajamento de milhões em torno da causa revela que as pessoas vêm despertando para a sensibilidade e a consciência de que os animais merecem consideração, respeito e dignidade. “Essa petição reflete esse momento de transformação e de percepção de que o ser humano, como ser responsável por tantas transformações, que seja também responsável pela transformação da libertação de outras espécies da exploração”, ressalta.

Prestes a completar 10 anos, o Festival de Yulin, também chamado de Lychee, surgiu da crença de que a carne de cachorro, quando consumida durante o verão chinês, traz boa saúde e sorte. Todos os anos, comerciantes espalham suas barracas pela cidade de Yulin e oferecem a carne dos cães e gatos aos visitantes. Neste ano, o evento está previsto para acontecer de 21 a 30 de junho, porém, Kaz espera que as mobilizações impeçam sua realização.

“Esse festival foi proposto por comerciantes e temos informações de que moradores de Yulin são contrários a esse festival, protetores locais e ativistas estão combatendo. Não somos somente nós aqui do Brasil lutando, há ativistas de outros países, moradores e moradoras de Yulin que lutam contra esse festival. Então não é uma questão de cultura, há muita crueldade envolvida, é um costume bárbaro. Não é cultura, é violência”, enfatiza a ativista.

Kaz lembra que o evento causa uma matança de cerca de 15 mil cães e gatos num intervalo de apenas 10 dias e que muitos animais são sequestrados de seus donos para serem mortos no festival, além de serem envenenados e passarem por práticas cruéis e extremas de abate. “Não se justifica tanto sofrimento, tanta dor”, desabafa a integrante da Nação Vegana Brasil.

O coletivo do qual a servidora pública faz parte surgiu no início do ano passado, a partir de uma mobilização contra a exportação de bois do porto de Santos (SP) a países do Oriente Médio. Na ocasião, ativistas realizaram vigílias e bloqueios em frente ao Ecoporto de Santos como forma de protesto e passaram a se conectar, criando a Nação Vegana Brasil.

Desde então, os defensores dos animais desenvolvem diversas ações pelo país, como atos contra a farra do boi, em Santa Catarina, pelo fim do comércio de animais e de proteção ao meio ambiente. “A nossa força só vem crescendo, os apoios vêm surgindo de inúmeros Estados e a nossa iniciativa de uma nação vegana vem se materializando”, conclui Kaz.

Compartilhe:

Autor: Change.org (Oficial)

O maior portal de petições online do Brasil. São 280 milhões de pessoas fazendo a diferença em 196 países e 19 milhões só no Brasil. Instagram: https://www.instagram.com/changeorg_br/

Termos da rede:

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário Change.org Brasil da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

1 / 8
1
03:46
‘Pretendo beneficiar um filho meu, sim’ diz Bolsonaro sobre embaixada
Em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a nomeação de seu filho, …
2
03:15
Num ato de coragem, MBL pede desculpas publicamente
O jornalista Gilberto Dimenstein e a Catraca Livre já foram diversas vezes vítimas das milícias digitais do MBL com as …
3
03:04
O real motivo do ataque de Bolsonaro ao filme de Bruna Surfistinha
Jair Bolsonaro decidiu atacar o filme realizado por Deborah Secco sobre a ex-prostituta Bruna Surfistinha. Motivo oficial: o filme, usando …
4
02:13
Entenda os desdobramentos do caso Tabata Amaral no PDT
O PDT suspendeu a deputada federal Tabata Amaral e outros sete parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência, …
5
02:03
Incêndio em estúdio de animação em Japão deixa dezenas de mortos
Dezenas de pessoas morreram durante um incêndio criminoso que tomou conta do estúdio de animação da Kyoto Animation, na cidade …
6
02:19
Barragem abandonada corre risco de rompimento no interior de SP
Uma matéria publicada pelo G1 alerta para o risco de rompimento da barragem de água em Iaras, no interior de …
7
02:30
O que significa a gargalhada de Caetano Veloso?
Um vídeo do cantor Caetano Veloso gargalhando está viralizando nas redes sociais. O motivo da piada é a entrevista que …
8
01:51
Site ‘Não me Perturbe’ permite bloquear ligações de telemarketing
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou o Não me Perturbe, site que permite bloquear ligações de telemarketing. O sistema …