Conheça Alexandre Orion, o grafiteiro que faz arte com poluição

O paulistano usa a sujeira presente no ar para fazer suas obras

Por: Redação

O artista paulistano Alexandre Orion, de 35 anos, gosta de fazer intervenções urbanas com um material incomum. Na verdade, sua matéria prima está diante dos olhos de todas as pessoas, mas não é sempre que pode ser vista. Orion faz arte com a poluição da cidade.

A intervenção “Ossário” foi realizada entre 2006 e 2011 através da limpeza seletiva da fuligem depositada nas paredes laterais de túneis de São Paulo. Todas as investidas do artista enfrentaram inúmeras abordagens policiais e a Prefeitura acabou lavando as grades.

A fuligem retirada dos “ossário” foi guardada por Orion, que a usou como pigmento para fazer obras em paredes de prédios de vários países do mundo. Realizadas no México, França, Brasil e Estados Unidos, as os murais somaram uma área de mais de 600 m².

Em 2009, Orion desenvolveu um mecanismo para “imprimir” telas diretamente nos escapamentos dos caminhões. Ao resultado do processo o artista deu o nome de “Polugrafia”.

Todo o trabalho do artista está reunido no livro “Espólio”, lançado no final de outubro de 2013. O documento apresenta todas as etapas de confecção das obras, das abordagens policiais durante a intervenção Ossário à análise da poluição coletada e utilizada por Orion como pigmento realizada pela equipe do Laboratório de Poluição Atmosférica da USP.

Compartilhe: