Aluna é estuprada em universidade por ser contra Bolsonaro

Centro Acadêmico da Universidade do Paraná divulgou nota de repúdio

vítima estupro universidade paraná
Crédito: ReproduçãoVítima de estupro estava dentro da universidade no Paraná

Uma aluna da Universidade Federal do Paraná (UFPR) teria sido vítima de estupro dentro da instituição de ensino, segundo comunicado divulgado na página no Facebook Centro Acadêmico de Ciências Sociais, na última segunda-feira, 15.

De acordo com relato da vítima, a agressão aconteceu como uma espécie de punição praticada por eleitores contrários ao seu posicionamento político. A jovem estava usando um adesivo da campanha “#EleNão” – contrária à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) ao cargo de presidente da república.

“Fui estuprada por garotos no Centro Acadêmico de Ciências Sociais da UFPR por estar com um adesivo do #EleNão. Tive que fazer sexo oral a força com eles ameaçando(…) me violaram”, diz o relato publicado no Mapa da Violência.

“A gestão ¡Aquí se Respira Lucha! foi comunicada de uma denúncia anônima sobre um caso de estupro ocorrido dentro do Centro Acadêmico de Ciências Sociais, cometido por apoiadores do candidato Jair Bolsonaro contra uma mulher que usava o adesivo da campanha #EleNão. Viemos por meio desta nota expressar nosso repúdio, além de nos colocarmos à disposição da vítima para auxiliá-la no que for necessário, inclusive para tomar medidas legais e na procura de apoio psicológico”, dizia nota do CA.

O Centro Acadêmico também relatou que pichações de “B17” – inicial do nome do candidato e número de campanha – e suásticas foram encontradas recentemente nas paredes da sede do local: “Nesse momento de profunda intolerância política (…) precisamos nos colocar na linha de frente da luta cotidiana do movimento estudantil”.

O caso continua sendo investigado.

CACS UFPR

Edit: A gestão tomou conhecimento da denúncia por meio do mapa da violência disponível no link: http://mapadaviolencia.org/dt_testimonials/anonimo-mulher-trans-branca-gay-22-pr Até o presente…

Veja como agir caso você seja vítima de assédio ou estupro

Compartilhe: