Alunas acusam professor de educação física de assédio em SP

Polícia Civil investiga o caso na Escola Estadual Professora Marina Cintra

Por: Redação
professo educação física assédio
Crédito: IStock/LSOphotoAlunas de 11 a 14 anos acusam professor de educação física de assédio sexual

Um professor de educação física de 41 anos da Escola Estadual Professora Marina Cintra, localizada no bairro da Consolação, em São Paulo, foi acusado de assédio sexual por uma aluna de 11 anos de idade. Outras 16 garotas, na faixa dos 11 aos 14 anos, também relataram à direção do colégio terem sido vítimas do mesmo educador. Os depoimentos das garotas estão no livro de registros da escola.

Os pais da garota de 11 anos registraram boletim de ocorrência na sexta-feira, 21. A escola orientou as famílias das outras meninas a fazerem o mesmo. O delegado titular do 4º Distrito Policial instaurou inquérito nesta segunda-feira, 24, para apurar o caso.

Ao jornal Folha de S. Paulo, a aluna de 11 anos contou que, na aula, depois de jogar queimada, pegou um livro para ler enquanto descansava. Foi quando o professor se aproximou, segundo ela, e lhe perguntou se era virgem e se perderia a virgindade com ele.

A garota disse ter se levantado, ligado para sua mãe e procurado pela diretoria. No boletim de ocorrência, a criança ainda afirmou que o professor perguntou se ela lhe mandaria nudes (fotos nuas).

Após a acusação, outras 16 garotas também se levantaram contra o professor e afirmaram terem sido assediadas. Quando o professor foi embora naquele dia, os estudantes chutaram seu carro e quebraram o retrovisor.

A Secretaria de Estado da Educação afirmou que o professor foi imediatamente afastado após as acusações de assédio e não voltará à unidade.

Em contrapartida, o professor de educação física nega as acusações e diz que elas estão causando um transtorno em sua família.

Saiba mais sobre o caso na reportagem da Folha.

COMO DENUNCIAR CASOS DE ASSÉDIO SEXUAL?

O assédio contra mulheres envolve uma série de condutas ofensivas à dignidade sexual que desrespeitam sua liberdade e integridade física, moral ou psicológica. Lembre-se: onde não há consentimento, há assédio!

É importante você, mulher, saber onde recorrer e quem procurar se um dia sofrer um caso de assédio sexual. Guarde este link com você: