Informar

Alunos contestam uso de R$ 14,26 para auxiliar vítima ferida

Por: Redação | Comunicar erro

Um grupo de alunos da Universidade Federal do ABC (UFABC) enviou ao Ministério Público Federal uma denúncia contra o apoio prestado pela instituição para a aluna Deborah Gonçalves Fabri, de 20 anos, que ficou ferida em um protesto.

PM joga bomba de gás lacrimogêneo pra dispersar manifestantes
PM joga bomba de gás lacrimogêneo pra dispersar manifestantes

Ela, infelizmente, perdeu a visão de um dos olhos ao ser atingida por estilhaços de uma bomba disparada pela Polícia Militar do Estado de São Paulo.

O apoio prestado a vítima, segundo a Universidade, foi de R$ 14,26 para buscar o pai da jovem na rodoviária, além de acompanhamento psicológico.

O grupo que fez a denúncia, apoiador do MBL (Movimento Brasil Livre), pretende que o dinheiro seja devolvido aos cofres da universidade. A alegação é que houve mau uso de recursos públicos, humanos e materiais ao apoiar a aluna por um fato que ocorreu fora do período de aulas.

Ou seja, devido ao posicionamento político da estudante que foi ferida pelo Estado, o grupo universitário acredita que não deve haver apoio à ela.

Já a Universidade Federal do ABC se defendeu dizendo que, conforme a Constituição Federal e seu Estatuto interno, “possuímos autonomia sobre a gestão financeira e patrimonial e cabe à Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários formular, propor e conduzir políticas afirmativas e as relativas a assuntos comunitários”.

Agora, caberá ao MPF decidir se aceita ou não a denúncia.

Confira a nota oficial completa divulgada para a imprensa:

“Informamos que a Universidade Federal do ABC, assim como a imprensa, tomou conhecimento da investigação do Ministério Público Federal pelas redes sociais de internet, porém ainda não recebeu nenhuma notificação formal. Caso seja notificada, a Universidade prestará todos os esclarecimentos necessários para a investigação do caso pelo MPF.

Até o esclarecimento da situação, a UFABC respeitará o pedido da aluna por discrição e não divulgará mais dados sobre o caso.”

Compartilhe: