CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Ana Paula Xongani denuncia racismo em recebidos de marca de maquiagem

Pra mim é insuportável e inadmissível sermos invisibilizadas", afirmou a apresentadora do GNT

Por: Redação

A influencer e apresentadora do GNT, Ana Paula Xongani publicou um vídeo em suas redes sociais denunciando a marca de cosméticos ‘O Boticário’ por racismo, na noite desta quarta-feira, 27, em sua conta no Instagram.

xongani racismo boticário
Crédito: Reprodução/InstagramAna Paula Xongani denuncia racismo em recebidos de marca de maquiagem

Xongani conta que recebeu, o que deveria ser um presente, do ‘O Boticário’, uma maleta com seu nome gravado em que continha a nova coleção de bases da linha principal da marca, a ‘Make B’. Toda a paleta de cores estava lá, mas nenhuma era do tom de Ana Paula, que é negra retinta. Das oito bases selecionadas para o kit, Xongani não pode usar nenhuma.

O ‘presente’ revoltou Xongani que criticou a marca e ainda relatou que essa não é a primeira vez que isso acontece e que grandes marcas de cosméticos, além do ‘O Boticário’, constantemente ignoram a população negra que é a maioria no Brasil.

“A invisibilidade das mulheres ESCURAS é insuportável pra mim! Mas precisa ser insuportável pra você também! Precisa ser insuportável pra Make B @oboticario também. É muito violento receber uma maleta com meu nome e sobrenome e 8 bases bem mais claras do que o meu tom de pele. Não é a primeira vez, mas quero que seja a última. Eu não aguento mais! É violento demais marcas em pleno 2019 lançarem produtos que não contemplam a maioria da população do nosso país”, denunciou Ana Paula Xongani.

A influencer e apresentadora ainda ressaltou que situações como essa são inaceitáveis. “Eu sou mulher PRETA que venho construindo junto aos meus um lugar melhor para todes! Pra mim é insuportável e inadmissível sermos invisibilizades”, disse.

“Esse post é para Make B., para todes os profissionais de Make, de MKT e de comunicação. Chega! Eu sou preta demais! .”,  finalizou Xongani.

O boticário se pronunciou sobre o caso em uma nota enviada à Catraca. Confira a íntegra:

“O Boticário escuta e respeita o sentimento da Ana Paula Xongani. A empresa reforça que, ao longo de toda sua trajetória, sempre prezou pelo respeito às pessoas e a promoção da diversidade em toda a sua comunicação e no desenvolvimento dos seus produtos. Reforçando que momentos como esse trazem aprendizados e impulsiona a marca a ampliar e acelerar ações que reforcem o seu compromisso de garantir que todas as pessoas estejam representadas em nossos produtos e em tudo que fazemos.  A aceleração da diversidade é uma pauta diária da empresa, que vai seguir colocando energia em diferentes frentes de ação e cocriação.”

Veja o vídeo de Xongani:

View this post on Instagram

A invisibilidade das mulheres ESCURAS é insuportável pra mim! Mas precisa ser insuportável pra você também! Precisa ser insuportável pra Make B @oboticario também. É muito violento receber uma maleta com meu nome e sobrenome e 8 bases bem mais claras do que o meu tom de pele. Não é a primeira vez, mas quero que seja a última. Eu não aguento mais! É violento demais marcas em pleno 2019 lançarem produtos que não contemplam a maioria da população do nosso país. . . Eu sou mulher PRETA que venho construindo junto aos meus um lugar melhor para todes! Pra mim é insuportável e inadmissível sermos invisibilizades. . . Esse post é para Make B., para todes os profissionais de Make, de MKT e de comunicação. . . Chega! Eu sou preta demais! . . . Usado: Base líquida protetora Make B. do grupo @oboticario que oferece 8 tons e 1 sem cor indicada como pré-base ou dias de “no make up” lançada em Out/2019 e enviado para mim em Nov/2019. . . Música da Rainha @tassiareis_ . Obrigada por dizer tanto nessa música! 🖤 . . . #eutenhopressa

A post shared by Ana Paula Xongani (@anapaulaxongani) on

Racismo: saiba como denunciar e o que fazer em caso de preconceito

Racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89 e deve sempre ser denunciado, mas muitas vezes não sabemos o que fazer diante de uma situação como essa, nem como denunciar, e o caso acaba passando batido.

Para começar, é preciso entender que a legislação define como crime a discriminação pela raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, prevendo punição de 1 a 5 anos de prisão e multa aos infratores.

A denúncia pode ser feita tanto pela internet, quanto em delegacias comuns e nas que prestam serviços direcionados a crimes raciais, como as Delegacias de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), que funcionam em São Paulo e no Rio de Janeiro. Para mais informações, clique aqui.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.