Após ser xingado, Luciano Hang faz ‘vaquinha’ para ajudar Olavo de Carvalho

O "guru" do bolsonarismo fez uma série de críticas a Bolsonaro; sobrou até para o dona da Havan

Por: Redação

Um dia após ser xingado pelo filósofo Olavo de Carvalho, o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, decidiu apelar a amigos para ajudar financeiramente o guru do bolsonarismo.

“Temos que ajudá-lo financeiramente. Está chateado, precisa de mais ajuda para continuar lutando pelo Brasil”, escreveu Hang num grupo de WhatsApp. A informação é do jornal O Estado de S.Paulo.

luciano hang e bolsonaro
Crédito: Reprodução/FacebookLuciano Hang, dono da Havan, é um dos principais aliados do presidente Jair Bolsonaro

Hang foi contestado por alguns integrantes do grupo. Um deles respondeu: “Pede para ele vir ao Brasil, então. De longe, é fácil”.

#Xatiado

Em vídeo divulgado na madrugada do último domingo, 7, Olavo de Carvalho aparentemente mostra rompimento com o presidente Jair Bolsonaro e diz que poderia derrubar “essa merda desse seu governo” que não agiria contra crimes.

Influente na chamada “ala ideológica” da Presidência, Olavo diz que Bolsonaro nunca foi seu amigo e continua “inativo” e “covarde” contra o que ele diz ser o “gabinete de ódio contra o Olavo”.

Crédito: Reprodução/YouTubeO escritor Olavo de Carvalho em vídeo que critica Jair Bolsonaro

O escritor responde a processos na Justiça e tem perdido muitos deles. No vídeo, ao pedir proteção ao presidente, Olavo reclama de não estar conseguindo se manter nos Estados Unidos por conta das multas vindas com os processos. E cita quem estaria contra ele há anos: os youtubers Felipe Neto e Henry Bugalho, além dos sites Diário do Centro do Mundo e Brasil 247 e da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP). E afirma: “Nunca houve contra um cidadão particular um massacre jornalístico e judiciário desse tamanho, nem contra narcotraficantes, líderes revolucionários”, disse, num exagero evidente, já que os processos na Justiça surgem após essas pessoas se sentirem vítimas de calúnias, injúrias e difamações vindas de Olavo.

“Milícia, gabinete do ódio, existe há muito tempo, foi inventado contra mim. Não contra o Bolsonaro. E o que ele fez pra me defender? Bosta nenhuma. Chega lá e me dá uma condecoraçãozinha. Enfia a condecoração no cu. Se você não é capaz de me defender contra essa gente toda eu não quero a sua amizade. Porque eu fui seu amigo, mas você nunca foi meu amigo. Você foi tão meu amigo quanto a peppa. Você só tira proveito e devolve o quê?”, disse.

Na sequência, afirma que Bolsonaro teria se “aproveitado” dele e diz que o presidente comete prevaricação.

“Há décadas existe esse gabinete do ódio contra Olavo, porra. Ao invés do presidente dizer que é meu amigo, não é meu amigo não, você simplesmente se aproveitou. Ao invés de me dar uma condecoração, enfia a condecoração no cu. Ta certo? Não quero mais saber. Outra coisa, você não está agindo contra os bandidos, você vê o crime, eles cometem os crimes, você presencia em flagrante e não faz nada contra eles. Isso chama-se prevaricação. Quer levar um processo de prevaricação da minha parte? Esse pessoal não consegue derrubar o seu governo? Eu derrubo. Continue inativo, continue covarde, eu derrubo essa merda desse seu governo.”

Em outra parte da gravação, o escritor chamou o empresário Luciano Hang, dono da Havan, de “palhaço”. Disse ainda que Bolsonaro é “aconselhado por generais covardes ou vendidos”.

Confira a íntegra:

Compartilhe: