Aposentada é assassinada pelo ex-marido por causa de ciúmes

Elza Formighieri Morschheiser, de 66 anos, foi casada com seu assassino por 40 anos

Por: Redação | Comunicar erro

A aposentada Elza Formighieri Morschheiser, de 66 anos, foi assassinada a tiros pelo ex-marido, Elizeu Morschheiser, de 74 anos, em frente a uma igreja em Corbélia (PR)

Elza havia decidido acabar com o casamento de 40 anos depois que o ex-marido a agrediu, em novembro do ano passado, mas ele não aceitou o rompimento. Na época a aposentada registrou ocorrência da violência doméstica.

Crédito: Reprodução/FacebookElza Formighieri Morschheiser, 66 anos, assassinada pelo ex-marido

A idosa estava indo para o serviço de bicicleta, por volta das 10h, quando o ex-marido apareceu de carro, tentando atropelá-la. Após efetuar os disparos, Elizeu cometeu suicídio, com um tiro na testa.

“Ela correu na direção da igreja, mas não conseguiu entrar. A princípio, levou quatro tiros: dois nas costas, um no peito e um na cabeça, mas a necropsia ainda será feita” — disse o delegado Fabiano Moza do Nascimento.

De acordo com a Polícia o revólver calibre 38 de Elizeu estava devidamente registrado.

Quando Elza foi registrar ocorrência na delegacia após ser agredida, em novembro, a filha do casal, de 37 anos, que não teve o nome divulgado, foi junto à mãe prestar queixa. De acordo com o delegado o homem teria agido assim por ciúmes. “A filha chegou aqui duas horas após o ocorrido. Ela já tinha medo disso acontecer”, disse.

O caso de Elza lembra o caso Elaine Perez Caparroz, de 55 anos, que foi espancada por Vinícius Batista Serra, de 27 anos, com quem ela mantinha um relacionamento virtual há oito meses e estava no primeiro encontro.

Crédito: ReproduçãoElaine Perez Caparroz, de 55 anos, sofreu uma tentativa de feminicídio por parte Vinícius Batista Serra

Elaine foi muito criticada por levar para sua casa um homem que conhecia virtualmente há oito meses, mas estava no primeiro encontro. Elza foi assassinada pelo marido, com quem foi casada 40 anos. Nem Elza, nem Elaine são culpadas. Elas são as vítimas.

FEMINICÍDIO

Desde 2015 existe uma lei que considera o feminicídio crime hediondo com pena de 12 a 30 anos de prisão. Feminicídio é o homicídio de mulheres como crime hediondo quando envolve menosprezo ou discriminação à condição de mulher e violência doméstica e familiar. A lei define feminicídio como “o assassinato de uma mulher cometido por razões da condição de sexo feminino”, e a pena prevista para o homicídio qualificado é de reclusão de 12 a 30 anos. Saiba mais aqui.

1 / 8
1
04:53
Netflix e KondZilla lançam ‘Sintonia’, da periferia para o mundo
KondZilla tem razão quando afirma: "A favela venceu". “Sintonia”, a nova série da Netflix, prova isso. A ideia original é dele …
2
04:21
Sinais que indicam problemas no estômago
Ter tosse seca pode ser um sinal que o seu estômago não vai muito bem. Hoje, o Dr. Raul Cutait, médico …
3
03:43
O estrago de Frota é maior que o Bolsonaro poderia acreditar
Após ser expulso do PSL, o deputado federal Alexandre Frota confirmou sua filiação ao PSDB, partido de João Doria, governador …
4
03:03
Câmara aprova projeto de lei sobre abuso de autoridade
A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que define quais situações configuram abuso de autoridade. Agora, o texto …
5
04:07
Um pedido de desculpas à Angela Merkel pelas ofensas de Bolsonaro
Depois de dizer a um repórter que ele deveria fazer cocô dia sim, dia não para preservar o meio ambiente, …
6
03:26
Mortes provocadas pelo fim dos radares deveriam ter nome de Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro determinou nesta quinta-feira, 15, a suspensão dos radares de fiscalização de velocidade móveis em rodovias federais …
7
04:56
‘Risk’, na Netflix, vaza a imagem não autorizada de Julian Assange
Será que, em um ato de coragem, você arriscaria sua própria liberdade para trazer à tona realidades que manipulam a …
8
07:44
Saiba tudo sobre os métodos anticoncepcionais
Prevenção é essencial quando o assunto é relação sexual. Hoje, há outros modos de prevenção que vão além da pílula e …