Bolsonaro ataca Biden e diz não aceitar suborno pela Amazônia de US$ 20 bi

"Meu governo está realizando ações sem precedentes para proteger a Amazônia"

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou as redes sociais nesta quarta-feira, 30, para rebater o candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, que prometeu um fundo de US$ 20 bilhões (R$ 112 bilhões) para a preservação da Amazônia.

O mandatário brasileiro citou ainda uma cobiça de outros países pela Amazônia e disse que não aceitará “subornos”.

Amazônia Biden
Crédito: Carolina Antunes/PRPara Bolsonaro, “a cobiça de alguns países sobre a Amazônia é uma realidade

Em um post no Facebook, Bolsonaro afirmou que o Brasil “mudou” e o presidente da República, “diferentemente da esquerda, não mais aceita subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças. Nossa soberania é inegociável”.

Ainda segundo Bolsonaro, “a cobiça de alguns países sobre a Amazônia é uma realidade. Contudo, a externação por alguém que disputa o comando de seu país sinaliza claramente abrir mão de uma convivência cordial e profícua”.

– O candidato à presidência dos EUA, Joe Biden, disse ontem que poderia nos pagar U$ 20 bilhões para pararmos de "…

Posted by Jair Messias Bolsonaro on Wednesday, September 30, 2020

“Custo entender, como chefe de Estado que reabriu plenamente a sua diplomacia com os Estados Unidos, depois de décadas de governos hostis, tão desastrosa e gratuita declaração”, completou Bolsonaro.

“Lamentável, Sr. Joe Biden, sob todos os aspectos, lamentável”, finaliza a nota, publicada em português e inglês.

Entenda a polêmica com Biden

Ontem, o desmatamento na Amazônia brasileira foi um dos temas do primeiro debate entre Donald Trump e Joe Biden.

Ao falar sobre as mudanças climáticas no mundo, Biden afirmou que “as florestas no Brasil estão sendo destruídas” e citou criar um fundo de US$ 20 bilhões para ajudar no fim do desmatamento, com possíveis consequências econômicas ao país caso não cumpra o acordo.

Trump Biden
Crédito: Reprodução/CNNDesmatamento na Amazônia gera discussão em debate entre Donald Trump e Joe Biden

“A Floresta Amazônica no Brasil está sendo destruída, arrancada. Mais gás carbônico é absorvido ali do que todo carbono emitido pelos EUA. Eu tentarei ter a certeza de fazer com que os países ao redor do mundo levantem US$ 20 bilhões e digam (ao Brasil): ‘Aqui estão US$ 20 bilhões, pare de devastar a floresta. Se você não parar, vai enfrentar consequências econômicas significativas’, disse Biden, sem entrar em detalhes sobre que consequências seriam.

A menção ao desmatamento na Amazônia feita por Biden no debate foi, não só uma crítica ao tratamento de Trump ao ambiente, mas também à sua amizade com o presidente Jair Bolsonaro, que vem sendo acusado pela comunidade internacional de incentivar a destruição da região.

View this post on Instagram

🇺🇸 "WOULD YOU SHUT UP, MAN?" 🇺🇸 ⠀ Na noite do primeiro debate das eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, o candidato democrata Joe Biden pediu ao atual presidente, o republicano Donald Trump, que calasse a boca. ⠀ Desde o começo do debate, Trump interrompeu Biden diversas vezes, e o candidato democrata, bastante frustrado com as atitudes do republicano, não hesitou ao mandar calar a boca o presidente dos EUA. "This is so unpresidential" ("isto é tão não-presidencial", em tradução livre), disse Biden. ⠀ Os candidatos discutiram, dentre outros assuntos, a nova composição da Suprema Corte, a pandemia do coronavírus, que já deixou mais de 200 mil mortos nos EUA, e a violência policial contra negros, que despertou diversos protestos no país. ⠀ Biden também confrontou Trump a respeito dos pagamentos de imposto de renda que o atual presidente não teria feito em 10 dos últimos 15 anos. "Mostre seu imposto de renda". Trump é o único presidente nas últimas décadas a se recusar a mostrar. Biden: "Ele paga menos imposto do que a professora da escola paga", disse o democrata. ⠀ Em represália, Trump acusou o filho de Biden de ter negócios corruptos no exterior. O democrata então o chamou de palhaço. "Me deixe responder! Meu filho não fez nada de errado. Esse homem é um desacreditado. É difícil falar qualquer coisa com esse palhaço". ⠀ As eleições presidenciais norte-americanas acontecem em 3 de novembro, e podem ter grandes impactos no Brasil, já que o presidente Jair Bolsonaro tem admiração obsessiva com Trump e surfou na eleição do republicano em 2016. #EUA #Eleições

A post shared by Catraca Livre (@catracalivre) on