Boris Schnaiderman – Traduzir Tolstói

Por: Redação
especial
TERTÚLIA: ENCONTROS DA LITERATURA – TRADUTORES
A obra “Romeu e Julieta” foi escrita em inglês. “Dom Quixote”, em espanhol. “As Mil e Uma Noites”, em árabe. “Crime e Castigo”, em russo. A singularidade de todas essas obras é que são grandes livros da literatura universal e que todas nos são possíveis de leitura em português somente graças ao laborioso trabalho de grandes tradutores. Com Tertúlia Tradutores, apresentamos um ciclo de encontros em que importantes tradutores da língua portuguesa apresentarão mestres da literatura, como Shakespeare, Kafka, Gabriel Garcia Márquez, entre outros. Nestes bate-papos, eles discorrerão acerca de obras clássicas que traduziram, a curiosa vida desses escritores imortais e sobre o desafiador ofício da tradução. Idealização e Curadoria de Tiago Novaes.
Boris Schnaiderman – Traduzir Tolstói
Boris Schnaiderman nasceu na Ucrânia em 1917, e já aos oito anos veio ao Brasil. Cursou Agronomia e lutou na Segunda Guerra Mundial. Traduziu as obras de grandes autores russos, como Tchekov, Tolstoi, Dostoievski e Gorki. Foi agraciado pelo governo da Rússia com a medalha Puchkin, e prepara atualmente uma coletânea de textos: Tradução, Ato Desmedido. De Tolstói, traduziu obras como A Sonata a Kreutzer e Anna Karenina. Choperia.
• Transmissão ao vivo
Não recomendado para menores de 16 anos
13/12. Domingo, às18h.
Pompeia

Sobre o projeto

A obra “Romeu e Julieta” foi escrita em inglês. “Dom Quixote”, em espanhol. “As Mil e Uma Noites”, em árabe. “Crime e Castigo”, em russo. A singularidade de todas essas obras é que são grandes livros da literatura universal e que todas nos são possíveis de leitura em português somente graças ao laborioso trabalho de grandes tradutores.

Com Tertúlia Tradutores, apresentamos um ciclo de encontros em que importantes tradutores da língua portuguesa apresentarão mestres da literatura, como Shakespeare, Kafka, Gabriel Garcia Márquez, entre outros.

Nestes bate-papos, eles discorrerão acerca de obras clássicas que traduziram, a curiosa vida desses escritores imortais e sobre o desafiador ofício da tradução. Idealização e Curadoria de Tiago Novaes.

Sobre o autor

Boris Schnaiderman nasceu na Ucrânia em 1917, e já aos oito anos veio ao Brasil. Cursou Agronomia e lutou na Segunda Guerra Mundial. Traduziu as obras de grandes autores russos, como Tchekov, Tolstoi, Dostoievski e Gorki.

Foi agraciado pelo governo da Rússia com a medalha Puchkin, e prepara atualmente uma coletânea de textos: Tradução, Ato Desmedido. De Tolstói, traduziu obras como A Sonata a Kreutzer e Anna Karenina.