Publicidade

Informar

Casal recebe por engano cartas para Papai Noel e responde todas

A iniciativa inspiradora se transformou no projeto "Miracle on 22nd Street"

Por: Redação | Comunicar erro
...
Publicidade
Jim Glaub e Dylan Parker criaram um projeto inspirador para alegrar o Natal de centenas de crianças

O casal Jim Glaub e Dylan Parker recebeu por engano, nos últimos sete anos, centenas de cartas de crianças norte-americanas destinadas ao Papai Noel. Moradores do bairro de Chelsea, em Nova York (EUA), eles decidiram criar um projeto inspirador para responder todos os pedidos e enviar os presentes.

Hoje, depois de algum tempo, a iniciativa ganhou repercussão em todo o mundo, tem um site próprio e muitas pessoas se candidatando como voluntárias. O “Miracle on 22nd Street” (“Milagre da Rua 22”) chamou atenção até de Hollywood, com um filme dirigido por Tina Fe sobre a história do projeto sendo planejado para 2019.

A história começou da seguinte maneira: quando Jim e Dylan se mudaram para o apartamento em 2009, foram advertidos pelos inquilinos anteriores que, por algum equívoco desconhecido, cerca de três cartas para o Papai Noel chegavam no local no ano.

A iniciativa conta com voluntários para responder as cartinhas destinadas ao Papai Noel

No entanto, em 2011, o número de cartas chegou a 450 e o casal ficou tocado pela grande quantidade de crianças pedindo itens básicos, como alimentos, roupas de inverno, calçados e cobertores. Mas um pedido em especial ficou guardado com Glaub desde então: de um menina que gostaria que o Papai Noel lhe desse uma cama.

A partir daquele ano, o casal estabeleceu para si a meta de não deixar cartas sem resposta. Para isso, primeiro eles tiverem a ajuda de amigos próximo e, depois, criaram uma página no Facebook, intitulada “Miracle on 22nd Street”, na qual divulgavam as cartinhas que ainda não tinham sido respondidas.

Com o apoio da instituição “Be An Elf”, que doa presentes de Natal a crianças de baixa renda, os americanos realizaram o sonho de centenas de pequenos. E assim as cartas não paravam de chegar. “Recebíamos lotes de 20, 30, 40 cartas todos os dias. Foi uma coisa realmente louca”, disse Glaub ao programa “Good Morning America”.

Atualmente, mesmo depois de sete anos, o endereço continua recebendo as inúmeras cartas direcionadas ao “Bom Velhinho” e o casal segue com o projeto. Glaub e Parker vivem em Londres, mas têm contato com o atual morador do imóvel para coletar as cartas.

  • Leis mais:

Compartilhe:

Publicidade
Publicidade

Evite desperdícios na cozinha com Lee

Como lidar com o latido do seu pet

As dificuldades de um cadeirante em SP

Publicidade