CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Deputada Paulinha rebate ataques após usar decote em sua posse

"Não pretendo me violentar para agradar ninguém” sustentou Paulinha, agressivamente atacada pelo traje que escolheu para sua posse na Alesc

Por: Redação

A deputada estadual, Ana Paula da Silva (PDT-SC), 43 anos, rebateu os ataques e ofensas que recebeu após comparecer à posse, na Assembleia Legislativa (Alesc), com um macacão vermelho decotado. “Vou continuar vestindo o que eu quero. Não pretendo me violentar para agradar ninguém”, afirmou a deputada em entrevista à Rádio Bandeirantes.

A deputada, ex-prefeita de Bombinhas – cidade a 70km de Florianópolis – publicou uma foto dizendo que era o momento de “trabalhar”, mas a maioria das pessoas reparou apenas no decote.

Pela falsa impressão de anonimato que a internet traz, pessoas se encorajaram a postar comentários como: “espera que a deputada mostre a capacidade sem tirar a roupa”. Outro comentário questiona se ela é a “representante das prostitutas”, uma mulher também falou que era “melhor trabalhar pelada”.

Crédito: Reprodução: facebook/@deputadapaulinhacomentários criticam a deputada Paulinha no Facebook

Ana Paula que tornou-se a quinta parlamentar mais votada entre os 40 deputados eleitos no estado (5 mulheres e 35 homens), com 52 mil votos, apontou ainda que “a participação da mulher na sociedade é tão minúscula que um decote pode ficar enorme”, em entrevista ao blog do Paulo Sampaio

Questionada sobre como foram os ataques, a deputada apontou que as mulheres foram cruéis e os homens violentos. “As mulheres são mais cruéis. Existe um machismo que elas próprias patrocinam, às vezes até por uma questão de educação. É algo internalizado. Por sua vez, os homens tem um tipo de agressividade mais assustadora. Eles não falam mal da roupa, mas em compensação podem ser violentos. O número crescente de casos de abuso sexual e feminicídio estão aí para mostrar. Santa Catarina é o quarto estado que mais maltrata mulheres no Brasil”, afirmou.

“Quero me vestir como mulher, e ser a mulher que eu sou (…) penso que não tenho de prestar contas dos meus trajes para o contribuinte, mas da qualidade do meu trabalho e dos meus atos na vida pública”, concluiu a deputada.

Representação

A Alesc emitiu nota de repúdio aos ataques. “A Assembleia Legislativa de Santa Catarina repudia os comentários misóginos feitos em relação à deputada Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT). Reforçamos que este tipo de visão não cabe mais em uma sociedade diversa, onde todo cidadão tem o direito de se expressar. E que o ataque a qualquer parlamentar é também um ataque ao Parlamento e, por consequência, à democracia”.

Posted by Paulinha on Friday, February 1, 2019

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.