Doria retira das escolas apostila que fala sobre ‘ideologia de gênero’

"Não aceitamos apologia à ideologia de gênero", afirmou o governador de São Paulo sobre o livro destinado a alunos do 8º ano do ensino fundamental

Por: Redação

O governador João Doria (PSDB) mandou recolher das escolas estaduais, nesta terça-feira, 3, livros que falam sobre ‘ideologia de gênero’. O material que na verdade apenas explica sobre diversidade sexual é da disciplina de ciências, destinado para alunos do 8º ano da rede estadual de São Paulo.

doria ideologia de gênero
Crédito: Agência BrasilDória recolhe das escolas apostilas que falam sobre diversidade sexual

Segundo professores, a alegação seria uma página da apostila que contém um texto que trata de diversidade sexual explicando as diferenças sobre “sexo biológico, identidade de gênero e orientação sexual”.

doria diversidade sexual
Crédito: ReproduçãoDória recolhe das escolas apostilas que falam sobre diversidade sexual

“Fomos alertados de um erro inaceitável no material escolar dos alunos do 8º ano da rede estadual. Solicitei ao Secretário de Educação o imediato recolhimento do material e apuração dos responsáveis. Não concordamos e nem aceitamos apologia à ideologia de gênero”, escreveu Doria pelo Twitter.

A Secretaria da Educação do governo Doria diz, por meio de nota, que o termo “identidade de gênero” não está de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ministério da Educação (MEC) e com o Novo Currículo Paulista aprovado em agosto, e que a apostila é complementar ao estudo dos alunos.

Em 2017, o Ministério da Educação tirou o termo “orientação sexual” da terceira e última versão da BNCC para o ensino infantil e fundamental, que passou a valer em 2019. Ainda segundo ela, o Conselho Nacional de Educação (CNE) emitiria um documento com orientações específicas sobre orientação sexual e identidade de gênero.

A BNCC define a linhas gerais do que os alunos das 190 mil escolas do país devem aprender a cada ano.

Mais cedo nesta terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro havia usado as redes sociais para falar sobre o mesmo tema. Ele pediu que o Ministério da Educação (MEC) crie um projeto de lei que proíba ideologia de gênero no ensino fundamental.

A Catraca Livre não compactua com a forma como o governo Bolsonaro e João Doria se posicionam sobre o ensino da diversidade sexual nas escolas. Aprender sobre os diversos tipos de identidade de gênero, orientação sexual, e sexo biológico não tem a ver com promover ou incentivar adolescentes, mas sim estimular os jovens em adquirir conhecimento para respeitar a diversidade sexual e diminuir o preconceito em nossa sociedade.

1
Visibilidade trans: a história de Thais de Azevedo
O que é violência para você? Para Thais de Azevedo essa pergunta resume uma trajetória de vida. Como mulher trans, …
2
Qual o impacto do feminismo na periferia ? Luana Hansen dá a letra
Dj, MC e produtora musical, Luana Hansen fez e faz história no movimento hip hop há, pelo menos, duas décadas. …
3
Brumadinho: relatos lembram a maior tragédia socioambiental do Brasil
Há um ano, a cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte (MG) viveria um pesadelo difícil de ser esquecido. Era …
4
Denúncia contra Glenn Greenwald é um ataque à liberdade de imprensa?
Uma denúncia realizada pelo Ministério Público Federal foi vista como um ataque direto à liberdade de imprensa no Brasil. O …
5
9 pontos polêmicos que Sergio Moro se esquivou no Roda Viva
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, foi o primeiro entrevistado da nova temporada do programa Roda Viva, …
6
‘Noivado’ de Regina Duarte com Bolsonaro divide opiniões
“Nós vamos noivar, vou ficar noiva, vou lá conhecer onde eu vou habitar, com quem que eu vou conviver, quais …
7
A queda: entenda a polêmica que custou o cargo de Roberto Alvim
Após praticamente reproduzir um discurso do ministro nazista Joseph Goebbels, o ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim, protagonizou uma polêmica que …
8
Impunidade de Victor não é caso isolado no Brasil de Bolsonaro
Victor Chavez, cantor sertanejo da extinta dupla Victor e Léo, foi condenado por agredir a esposa grávida de quatro meses …