Egressas do sistema prisional recebem treinamento do Google

O foco do programa Women Will é a geração de renda às mulheres, seja através do emprego ou do empreendedorismo

Por: Heloisa Aun Comunicar erro
evento Women Will
Crédito: Divulgação / Women WillO programa Women Will oferece ferramentas para as mulheres buscarem novos rumos na carreira

“Na minha vida, eu já caí e levantei muito, já montei e perdi 9 casas, já fiz faculdade, mas não terminei, já tive uma amiga que morreu nos meus braços, vi meu pai morrer no hospital assassinado… Hoje, devido à crise, a minha profissão não dá mais dinheiro. Perdi as esperanças. Eu não consigo me levantar mais. Então, eu espero receber deste treinamento conhecimento para ter foco nos meus objetivos.”

O depoimento acima foi feito por Marcela Conceição dos Santos, no dia 23 de julho, durante o Women Will, programa do Google de capacitação para criar oportunidades econômicas e promover o desenvolvimento de mulheres ao redor do mundo. Esta edição do projeto, feito em parceria com a Rede Mulher Empreendedora (RME), teve como foco mulheres egressas do sistema prisional.

Cerca de 80 mulheres, sendo grande parte delas ex-detentas, participaram do treinamento no Campus do Google para startups, em São Paulo. Segundo a porta voz da empresa, Jimena Tomás, o Women Will, que compõe o Cresça com o Google, acontece a cada três meses e já reuniu diferentes grupos, como mulheres negras, pessoas trans e mulheres 50+.

Cada edição dispõe de dois dias de curso. O primeiro, reúne palestras voltadas ao empoderamento, como, por exemplo, sobre autoimagem, liderança feminina e organização financeira. No segundo dia, é abordado o conteúdo do Google, o que inclui aulas de segurança online e ferramentas digitais para capacitar as participantes.

“O foco em si do programa é a geração de renda, seja através do emprego ou do empreendedorismo. Nesta edição, com as egressas, um dos critérios para seleção foi a mulher estar desempregada e/ou ser moradora de bairros mais pobres da cidade”, afirma a porta-voz.

Ana Minuto
Crédito: Divulgação / Women WillAna Minuto falou sobre liderança às mulheres presentes no programa

Conseguir um trabalho é um dos maiores entraves na vida de egressas, pois ainda há muito preconceito contra elas. No entanto, ter a própria renda, para esse público, é o que faz a diferença para elas saírem de um círculo de violência, como explica Ana Lúcia Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora. “Se você consegue fazer com que a mulher tenha a própria renda, isso diminui que ela e sua família fiquem numa situação de vulnerabilidade”, ressalta.

“Visto que temos um mercado extremamente preconceituoso, a gente mostra a elas a possibilidade de empreender e formar redes de relacionamento entre mulheres para ajudar umas às outras”, completa Fontes.

Algumas das selecionadas para o treinamento já são empreendedoras, como Vanessa Akama Barbosa. Ela e uma amiga, também egressa do sistema prisional, criaram um e-commerce de moda feminina há três meses, chamado Giulianna Modas.

Vanessa foi presa por tráfico de drogas e permaneceu seis anos detida. Ainda no presídio, ela prestou ENEM e conseguiu o Prouni. Atualmente, está cursando estética e trabalha em uma empresa, que apoia um projeto social para ajudar mulheres egressas.

No treinamento, a empreendedora buscou novas ideias e ferramentas para a gestão de seu e-commerce. “Administrar tudo isso e fazer o negócio se tornar rentável, para que a gente sobreviva só dele, é o nosso maior desafio.”

Crédito: Divulgação / Women WillO treinamento contou com a participação de cerca de 80 mulheres

Women Will no combate à desigualdade

Quando o assunto é desigualdade econômica, o Brasil está em 91º lugar de 144 países no relatório de desigualdade de gênero elaborado pelo Fórum Econômico Mundial em 2016. Essas distâncias foram ressaltadas devido à crise econômica e política que o país tem enfrentado nos últimos anos. Prova disso é o fato do desemprego entre as mulheres ser 37% maior na comparação com os homens.

Investir na formação das mulheres é incentivar que encontrem novas oportunidades de trabalho, melhorem suas carreiras e abram seus próprios negócios. Além disso, é uma maneira de garantir crescimento para o país, pois o PIB poderia ser 30% mais alto se as mulheres participassem do mercado de trabalho na mesma proporção que os homens.

Por isso, o principal objetivo do Women Will é capacitar mulheres brasileiras a criar suas próprias oportunidades econômicas, tornando-as confiantes e habilitadas para aproveitar todo o potencial do digital, seja iniciando um empreendimento, mudando de carreira ou encontrando um emprego.

O Brasil é o quinto país a receber o programa. Em 2017, o Google um piloto do programa com 100 moradoras de Paraisópolis e Brasilândia, em São Paulo, para entender quais são as necessidades reais delas e construir um treinamento relevante e efetivo. A experiência foi registrada em um documentário produzido e dirigido pela Hysteria, braço feminino da Conspiração Filmes (assista abaixo).

Em 2018, o projeto foi realizado mensalmente no Campus São Paulo e também contou com edições especiais em Brasília, Teresina, Natal, Salvador, Fortaleza e João Pessoa. Em São Paulo foram 16 horas de treinamento, divididas em dois dias, focando especialmente em grupos femininos que não tiveram acesso a programas de capacitação, como mães de filhos pequenos, mães solo, mulheres maduras 50+ e mulheres transgêneros. Até momento, mais de 14 mil mulheres já foram treinadas.

Confira o filme sobre o projeto:

Compartilhe:

Por: Heloisa Aun

Feminista, vegetariana e repórter de Cidadania no Catraca Livre. ("nossas costas / contam histórias / que a lombada / de nenhum livro / pode carregar" - Rupi Kaur)

1 / 8
1
08:59
Lobão analisa a relação de Bolsonaro com seus filhos
Um dos poucos nomes do meio artístico a apoiar a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), o músico Lobão revelou recentemente …
2
08:31
Lobão explica como funciona a mente de Olavo de Carvalho
Em entrevista ao vivo no estúdio da Catraca Livre para o jornalista Gilberto Dimenstein, o cantor Lobão, ex-afeto de Olavo …
3
03:39
Alter do Chão sofre com incêndio de grandes proporções
As chamas que consomem uma área de preservação ambiental de Alter do Chão, em Santarém, no Pará, voltaram a se …
4
09:33
Glenn Greenwald: Os limites do jornalismo no governo Bolsonaro
Em entrevista a Gilberto Dimenstein, da Catraca Livre, Glenn Greenwald, fundador do The Intercept Brasil, site responsável pela série de …
5
03:50
Clã Bolsonaro nomeou familiares para cargos de confiança
Uma reportagem publicada pela revista Época mostra que 17 familiares de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro,  foram …
6
10:59
David Miranda x Coaf: Glenn Greenwald fala sobre a investigação
Uma matéria publicada pelo jornal O Globo deu destaque para um relatório do Coaf, em que o deputado federal David …
7
05:12
Glenn Greenwald fala qual foi a matéria mais importante da #VazaJato
Qual foi a matéria mais importante da #VazaJato até agora? Quem responde essa pergunta é o jornalista Glenn Greenwald, do …
8
04:32
É possível apoiar a #VazaJato ao mesmo tempo que a Operação Lava Jato?
O jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, deu uma longa entrevista ao jornalista Gilberto Dimenstein sobre a …