Esta página no Facebook ‘arrumou’ as letras de músicas machistas

Violência contra a mulher e relacionamento abusivo são temas reproduzidos por muitos artistas brasileiros

  • “Sabe aquelas minas cachorra, piranha, sapeca
    Então pode trazer elas que r7 da um trato
    Poem no pelo e goza nela” (“Adestrador de Cadela” – Mc Mm)
  • “Sua boca diz não quer
    E meu ouvido diz duvido, duvido, duvido” (“Então Foge” – Marcos e Belutti)

O que as músicas acima têm em comum, além de serem brasileiras? As letras citadas reproduzem o machismo e a violência contra a mulher na sociedade – aspectos ainda hoje comuns em muitas canções, seja no funk, rock, samba, axé ou sertanejo.

Mas a advogada Camila Queiroz, de 25 anos, decidiu “arrumar” essas canções ofensivas. Nascida em Capitão Leônidas Marques, no interior do Paraná, a jovem criou na última sexta-feira, 24, a página no Facebook “Arrumando Letras“, em ela publica prints das músicas com correções para alterar trechos machistas.

A página faz uma crítica às canções machistas e preconceituosas
A página faz uma crítica às canções machistas e preconceituosas

Camila, que hoje vive em Curitiba, capital do estado, conta que teve a ideia durante uma conversa com duas amigas e colegas de apartamento.

“Percebemos o quanto o machismo estava inserido no nosso cotidiano. Na oportunidade, comentei que isso acontecia muito com letras de músicas, que muitas vezes cantamos sem reparar no conteúdo dentro delas”, diz ao Catraca Livre.

A advogada começou corrigindo letras de sertanejo universitário, pois ela tinha maior proximidade. No entanto, o intuito é abranger todos os gêneros musicais e modificar as canções que tenham conteúdo preconceituoso. E a repercussão do projeto tem sido grande: até a publicação desta matéria, a página já tinha quase 200 mil curtidas.

Sobre a relação com o feminismo, Camila conta que as maiores inspirações foram as moradoras de sua cidade natal e sua mãe. “Ela sempre disse que eu podia ser o que quisesse. Com tantas mulheres guerreiras a minha volta, eu acredito que sempre fui feminista.”

Veja abaixo a lista com algumas das imagens:

1. “Tudo bem, eu vou embora”. Sim, tchau!

2. “Adestrador de Cadela”? OI?????

3. Respeitar a privacidade é o mínimo, né?

4. Não é N-Ã-O!

5. Ciúme não é “desculpa” para ser abusivo.

6. Violência contra a mulher é CRIME.

7. Se ela pedir para apagar, apenas APAGUE.

  • Músicas feministas? Temos também! Confira a lista:

Compartilhe:

1 / 8
1
08:30
Intercept: os principais pontos do depoimento de Moro no Senado
O ministro da Justiça, Sergio Moro, prestou esclarecimentos em audiência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça do Senado) sobre …
2
04:04
E se Carlos Bolsonaro fosse gay?
O ex-deputado Jean Wyllys fez uma série de posts em sua rede social apontando que Carlos Bolsonaro, o filho 02 …
3
03:02
Empresas usaram disparos no WhatsApp durante eleição de Bolsonaro
Uma reportagem publicada pela Folha de S. Paulo mostra que empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para …
4
01:49
Senado diz não e derruba o decreto de armas de Bolsonaro
O Senado votou na terça-feira, 18, o parecer que pede pela suspensão dos decretos que flexibilizam o porte e a …
5
03:54
Bancada do PSL passa vergonha ao convocar e desconvocar Glen Greenwald
O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) apresentou na quarta-feira, dia 12, um requerimento na Comissão de Segurança Pública da Câmara …
6
03:48
O melhor jornal do mundo faz a pior reportagem para Bolsonaro
Essa é a pior reportagem já publicada num jornal estrangeiro contra Jair Bolsonaro. Por dois motivos: saiu no mais importante …
7
03:47
A estranha conexão entre o caso Najila Trindade e Sérgio Moro
O jornalista Gilberto Dimenstein publicou em sua coluna no site Catraca Livre um texto em que conecta dois casos de …
8
03:04
Entendas os possíveis impactos do vazamento das mensagens de Moro
O site The Intercept Brasil divulgou trechos de mensagens trocadas entre o então juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, …