‘Estou disposto a ir debater na casa do Bolsonaro’, afirma Haddad

O petista desafiou o candidato do PSL a debater as propostas de governo para o país

Crédito: reprodução/TV Globo
Fernando Haddad desafiou Bolsonaro para debater projetos de governo para o país

O candidato à presidência da República Fernando Haddad já deixou claro seu desejo de debater as propostas de governo para o país com seu adversário direto, Jair Bolsonaro (PSL), que tem se omitido dos debates nas emissoras de televisão.

Em entrevista exclusiva à Catraca Livre, Haddad afirmou que, se for necessário, ele irá debater com Bolsonaro na casa dele.

“Estou disposto a debater com Bolsonaro na casa dele. No dia em que ele quiser. Na hora em que ele quiser. E nas regras que ele quiser. Proponho um debate sentado. Sem assessores nem plateia. Apenas com os médicos e um mediador da estação de TV”, afirmou o petista.

Mais cedo nesta quarta-feira, 10, Fernando Haddad se propôs ir ate a enfermaria para discutir projetos com o candidato do PSL.

“Vamos fazer um campanha propositiva e demarcar as diferenças entre projetos. Agora, meu adversário precisa participar dos debates. Eu estou disposto a ir até uma enfermaria se for preciso para debater o Brasil. Ninguém pode ser eleito sem apresentar as sus propostas ao povo”, escreveu Haddad.

“Ninguém deve chegar à Presidência sem deixar claro o que vai fazer com o país. Convido meu adversário a debater”, disse o presidenciável em outra postagem.

“Meu adversário falou que não quer se estressar, eu não vou estressar ele. Falarei da forma mais calma possível. Nem olho para ele se ele ficar com receio. Faço o que ele quiser para ele falar o que pensa e debater o país. Com assistência médica, enfermaria em qualquer ambiente”, afirmou Fernando Haddad.

Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira, 10, que não comparecerá ao debate promovido pela TV Bandeirantes, que aconteceria na quinta-feira, 11. O ex-deputado alegou que não recebeu autorização dos médicos para fazer campanha.

Bolsonaro não comparece aos debates desde o ataque que sofreu no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora, Minas Gerais. O presidenciável deixou de comparecer aos debates da TV Gazeta, TV Aparecida, SBT, Record e Globo. Nessa última, no entanto, o político já havia recebido alta médica e, no mesmo dia, concedeu entrevista exclusiva para a Record no mesmo horário do embate entre os presidenciáveis da Globo. Anteriormente, ele já havia falado com a Rádio Jovem Pan e a RedeTV! dentro do hospital.

Na ocasião, Jair Bolsonaro foi chamado de “covarde” por seus adversários que afirmaram que o ex-militar “fugiu” com “medo” do debate da Globo que aconteceu nas vésperas do primeiro turno.

Após anunciar que não participará do debate da Band – embora a emissora tenha anunciado que remarcará o embate para outro dia, a fim de que o mesmo compareça – a hashtag “Bolsonaro cagão” se tornou um dos assuntos mais comentados do dia no Twitter.

Também nesta quarta, o presidente do PDT, Carlos Lupi, afirmou que Jair Bolsonaro é um “covarde fujão” que tem “medo” de debater seu projeto de governo para o país.

Bolsonaro tem medo e é um ‘covarde fujão’, diz presidente do PDT