Estupro na Vila Mariana gera medo e repercute nas redes sociais

Outros supostos ataques a mulheres foram denunciados em grupos de WhatsApp

Por: Redação
Crédito: Reprodução / InstagramMensagens sobre os casos se espalharam pelas redes sociais

Supostos ataques a mulheres na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, repercutiram nas redes sociais nos últimos dias. As denúncias começaram após uma jovem relatar ter sido estuprada ao pedir ajuda a funcionários de uma estação do metrô na região.

Desde o último sábado, 18, publicações alertam quem passa pelas ruas do bairro. “Precisamos nos unir, estou publicando abertamente para todas as mulheres que frequentam esse lugar se sentirem à vontade pra entrar no grupo que vou criar. Lá vamos criar uma palavra de emergência e deixar as localizações, caso alguém precise”, escreveu uma jovem.

Entre os grupos de estudantes no WhatsApp, mensagens afirmam que homens estariam puxando as vítimas para dentro de veículos na saída do metrô. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, não há nenhum registro de estupro ou tentativa de estupro no período pela Polícia Militar nem pela Polícia Civil.

O único caso confirmado é que na manhã de sábado, 18, uma jovem pediu ajuda a funcionários da estação Vila Mariana e contou ter sido estuprada fora das dependências do metrô. Ela não quis ser encaminhada para o hospital e registrar uma denúncia oficial, então acabou sendo levada até a casa dos pais por funcionários da companhia.

Estupros em São Paulo

No primeiro semestre deste ano, foram registrados 1.331 casos de estupro na cidade de São Paulo. A média superior a 7 por dia representa um aumento de 12% em relação ao mesmo período de 2017.