Últimas notícias:

Loading...

Ex-assessor de Pazuello vira réu por estupro de criança da própria família

Os nomes não foram divulgados para evitar constrangimento da vítima

Por: Redação

Ex-assessor do general Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde, o ex-deputado federal e empresário Airton Antonio Soligo, de 57 anos, virou réu por estupro de vulnerável. A vítima é criança da própria família.

Crédito: Jefferson Rudy/Agência SenadoO empresário e ex-assessor do Ministério da Saúde, Airton Antonio Soligo, conhecido como Airton Cascavel, virou réu por estupro

A decisão foi tomada juiz substituto Nildo Inácio, da Vara de Crimes Contra Vulneráveis, em Boa Vista, na última quinta-feira, 23.

A mãe da criança registrou boletim de ocorrência no dia 14 de setembro, em uma delegacia da capital de Roraima.

Ela contou que, após uma visita de fim de semana, a criança voltou para casa “reclamando de dores nas partes íntimas”. A vítima foi lavada ao hospital e recebeu ajuda médica e psicológica.

A investigação corre em sigilo e os nomes não foram divulgados para evitar constrangimento da criança.

Ex-assessor na CPI

Crédito: Jefferson Rudy/Agência SenadoEmpresário e ex-assessor do Ministério da Saúde, Airton Antonio Soligo, conhecido como Airton Cascavel

Chamado de Airton Cascavel, ele chegou a ser foi ouvido pela CPI da Covid no Senado sobre a sua atuação como assessor no Ministério da Saúde do governo Bolsonaro e apontado como o “número 2” da pasta.

À Comissão Parlamentar de Inquérito, o empresário negou ter participado da negociação de compra de vacinas e disse que fazia atendimento aos estados durante a crise sanitária da pandemia.

Airton Cascavel contou que conheceu Pazuello durante a “Operação Acolhida” (2018), criada para receber os venezuelanos que entravam em território brasileiro por meio da fronteira com Roraima.

Como denunciar

Diariamente, crianças e adolescentes são expostos à violência sexual. No Brasil, até abril de 2019, o Disque 100 recebeu mais de 4 mil denúncias de abuso infantil em todo o Brasil. Há algumas formas de denunciar casos de violência sexual a menores de idade:

Disque 100 recebe denúncias de abuso infantil

Disque 100

Como nos casos de racismo, homofobia e outras violações de direitos humanos, qualquer cidadão pode fazer uma denúncia anônima sobre casos abuso infantil pelo Disque 100. A denúncia será analisada e encaminhada aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização em direitos humanos, respeitando as competências de cada órgão.

Aplicativo Proteja Brasil

Depois de instalar o aplicativo gratuito em seu celular, o usuário rapidinho, respondendo um formulário simples, registra a denúncia, a qual será recebida pela mesma central de atendimento do Disque 100. Se quiser acompanhar a denúncia, basta ligar para o Disque 100 e fornecer dados da denúncia.

Ouvidoria Online

Crédito: Getty Images/iStockphotoEx-assessor de Pazuello vira réu por estuprar criança da própria família

O usuário preenche o formulário disponível aqui e registra a denúncia, a qual também será recebida pela mesma central de atendimento do Disque 100. Se quiser acompanhar a denúncia, basta ligar para o Disque 100 e fornecer dados da denúncia.

Compartilhe: