GCM agride professores municipais em protesto na Câmara de SP

Bombas de gás lacrimogênio foram lançadas e uma mulher foi espancada pela polícia

Por: Redação | Comunicar erro
Os professores municipais entraram em greve no dia 8 de março

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) agrediu professores municipais durante o protesto realizado em frente à Câmara Municipal de São Paulo nesta quarta-feira, dia 14. Bombas de gás lacrimogênio foram lançadas e uma mulher foi espancada pela polícia, de acordo com relato da vereadora Sâmia Bomfim (PSOL).

O confronto começou quando os manifestantes contrários à reforma da Previdência de servidores municipais tentavam entrar no prédio para acompanhar a audiência que discute o projeto de lei sobre o assunto. O tema faz parte da pauta da Comissão de Constituição e Justiça, que ocorre nesta quarta.

Nas redes sociais, Sâmia publicou fotos da manifestação e relatou o caso de violência contra a professora. “Na semana em que Doria anuncia sua candidatura ao governo, ele espanca professores e servidores em luta contra o fim da aposentadoria”, escreveu.

Em nota, a assessoria de imprensa da Câmara informou que “a Presidência da Casa atuou desde o princípio para garantir o amplo debate democrático do PL 621/16” e “assegurou o acesso de manifestantes ao plenário onde ocorria a reunião da CCJ e ao auditório externo até a lotação máxima dos dois espaços”. “Eventuais excessos das forças de segurança que atuam dentro do Legislativo serão apurados”, diz o texto.

Greve

O texto da reforma prevê o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%, além da instituição de contribuição suplementar vinculada ao salário do servidor. Por isso, o desconto poderá chegar a 18,2%, segundo a prefeitura. A gestão defende que, sem a alteração, a sustentabilidade da previdência municipal não é viável.

Os professores municipais entraram em greve contra a proposta na última quinta-feira, dia 8. A paralisação atinge 93% das 1.550 escolas da administração direta, ou seja, administradas pela própria Prefeitura com o auxílio de funcionários públicos.

De acordo com balanço da Secretaria Municipal de Educação, 46% das unidades de ensino aderiram à paralisação totalmente, 47% funcionam parcialmente e apenas 7% funcionam normalmente.

Além dos professores municipais, servidores de outros setores também estão em greve, como da saúde, da zoonose, do serviço funerário, engenheiros, arquitetos, assistentes sociais, bibliotecários e guardas, segundo o Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep).

Veja os posts da vereadora Sâmia Bomfim:

Na semana em que Doria anuncia sua candidatura ao governo, a polícia espanca professores e servidores em luta. Tudo isso…

Posted by Sâmia Bomfim on Wednesday, March 14, 2018

  • Leia também:

Compartilhe:

1 / 8
1
11:47
Não é Não: tatuagens contra o assédio no Carnaval
Luka Campos, idealizadora da campanha Não é Não, foi a convidada pelo programa Entrevista por Catraca Livre desta semana para …
2
01:40
Desvio em fundos de incentivo para mulheres
O Supremo Tribunal Federal e Tribunal Superior Eleitoral determinaram que 30% dos fundos públicos de financiamiento de campanhas sejam destinados …
3
15:17
Sai Jean Wyllys, entra David Miranda
David Miranda, substituto de Jean Wyllys como deputado federal, é o convidado de estreia do programa Entrevista por Catraca Livre. …
4
01:37
Saiba o que muda com o novo decreto de posse de armas
Conforme prometido durante a campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que flexibiliza a posse de armas no Brasil. …
5
01:27
Rosa para meninas e azul para meninos?
Ao longo da história muita coisa mudou, inclusive a forma como meninos e meninas eram vestidos. No século XVIII, por …
6
01:38
O que é e o que faz o COAF?
O Conselho de Controle de Atividades Financeiras é um órgão de inteligência do governo federal, criado em 1998, para combater …
7
01:51
Brumadinho e a situação das barragens de rejeito no Brasil
De acordo com informações da Agência Nacional de Água (ANA), existem mais de 24 mil barragens no Brasil. Desse total, …
8
01:37
Saiba o que muda com o novo decreto de posse de armas
Conforme prometido durante a campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro assinou na manhã desta terça-feira, 15, o decreto que flexibiliza a …