Globo diz que homem que fez repórter refém tem distúrbios mentais

Assim que viu Renata Vasconcellos, por quem procurava, o rapaz soltou a faca que ameaçava Marina Araújo

Por: Redação

A Rede Globo de Televisão divulgou nota oficial explicando o atentado que aconteceu na tarde desta quarta-feira, na sede do jornalismo da emissora, no Jardim Botânico, Rio de Janeiro (RJ).

Segundo comunicado, o homem que fez Marina Araújo refém apresentava distúrbios mentais. Isso porque ele teria largado a faca que ameaçava a repórter assim que viu Renata Vasconcellos, por quem estava procurando ao invadir o canal.

Crédito: Reprodução/TwitterRepórter da Globo é mantida refém após homem armado invadir emissora

“Na tarde desta quarta-feira, um homem invadiu a sede da TV Globo, no Jardim Botânico, portando uma faca. Ele fez a repórter Marina Araújo refém. A segurança da Globo rapidamente agiu, isolou o local e chamou a PM. O comandante do 23° batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu à emissora e conduziu a negociação. O homem, que ameaçava a jornalista, liberou a repórter após alguns minutos. Marina e todos os funcionários que estavam no local não se feriram e passam bem”, disse a Globo em nota divulgada pelo Uol.

“A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política. Um homem que exigia ver a jornalista Renata Vasconcellos. Seguindo instruções do comandante Heitor, Renata compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo ele a viu, largou a faca e libertou Marina. Foi preso imediatamente. A TV Globo agradece à PM, ao coronel Heitor e a todos os policiais, cuja condução foi exemplar. Marina se comportou com coragem, serenidade e firmeza, sendo fundamental para o desfecho da situação. Renata foi corajosa, desprendida, solidária e absolutamente imprescindível para que tudo acabasse bem. As duas profissionais estão bem. E foram recebidas pelos colegas com carinho e emoção”, completou.

O homem apareceu em um vídeo divulgado nas redes sociais segurando a repórter pelo pescoço e, de longe, um policial militar se aproximando dele.

Testemunhas alegaram que ele pulou uma catraca e a primeira pessoa que viu foi Marina Araujo. Contudo, o seu objetivo era falar com a apresentadora do Jornal Nacional. Coincidência ou não, hoje é aniversário de Renata.

Após 30 minutos, ele foi rendido e Marina libertada. Ninguém ficou ferido.

Compartilhe: