Últimas notícias:

Loading...

Grande homenagem do Prêmio Cidadão SP vai para Eduardo Saron

Gestor cultural há 18 anos, dirigente do Itaú Cultural recebe o maior prêmio a quem faz a diferença na cidade de São Paulo

“Se há alguma coisa que transforma e desenvolve o país e reforça e reafirma a democracia no Brasil são a arte, a cultura e a educação.” Essa é a avaliação de Eduardo Saron, dirigente do Itaú Cultural e grande homenageado do Prêmio Cidadão SP.

Promovido pelo ReciproCidade, o projeto é conduzido pelo jornalista Gilberto Dimenstein, fundador da Catraca Livre. Neste ano, conta com a parceria da Tegra Incorporadora.

Também serão contemplados o pianista Hercules Gomes (cultura); a ONG Ipepo – Instituto da Visão (saúde); Paulo Borges, idealizador da SPFW (economia criativa); o fundador do RenovaBR, Eduardo Mofarej (cidadania); e a pesquisadora Renata Bertazzi Levy (ciência).

Entre obras

Eduardo Saron - Prêmio Cidadão SP
Crédito: Jessica Senra/DivulgaçãoEduardo Saron, gestor cultural há 18 anos e dirigente do Itaú Cultural, é homenageado no Prêmio Cidadão SP

Eduardo Saron é considerado um dos grandes incentivadores da produção e da difusão de manifestações artístico-intelectuais no país. Além de dirigente do Itaú Cultural, ele é ainda presidente do Conselho de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e diretor do Museus de Arte Moderna de SP.

Também é conselheiro de várias instituições, entre as quais o Masp (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand), a Bienal de São Paulo, o Instituto Cultural do Tribunal de Contas da União, a Associação Pró-Dança, o Museu Judaico e o Instituto CPFL.

Segundo ele, há quem ainda não veja o papel transformador da arte no país. “A gente continua a ser desafiado a discutir o valor da cultura”, disse ele no 10º Congresso GIFE, realizado no ano passado.

Democratização da arte

À frente do Itaú Cultural, Eduardo Saron ajuda a promover programação gratuita tanto em São Paulo, na sede do instituto, quanto em outras cidades, por meio de parcerias com equipamentos culturais e transmissão online de iniciativas.

Na programação estão exposições, mostras de cinema, espetáculos de artes cênicas, atividades literárias, shows, programas educativos e cursos para professores, entre outras iniciativas, com foco no desenvolvimento da arte e da cultura brasileiras.

É dada atenção especial à acessibilidade de pessoas com deficiência. Espetáculos, palestras e debates têm interpretação em Libras (Língua Brasileira dos Sinais). Todas as exposições preveem mecanismos de inclusão, como audiodescrição, audiovisuais em Libras, piso e objetos táteis.

Os projetos são pautados pela diversidade e contemplam, entre outros temas, questões raciais, indígenas, de gênero e grupos periféricos.

Em 2016, o Itaú Cultural criou a Cátedra Olavo Setubal, na USP (Universidade de São Paulo), para discutir questões do universo das artes e da gestão cultural, além de temas científicos e sociais.

“O grande desafio é fazer com que a sociedade e o governo entendam que a cultura é estratégica para o desenvolvimento e para fugir da sazonalidade e do humor do governante e do empresário”, afirmou ele na segunda edição do seminário Economia da Arte, realizado pela “Folha de S.Paulo” e pelo Itaú Cultural em agosto.

Cerimônia

O evento do Prêmio Cidadão SP será realizado no MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo), no dia 25 de janeiro,  aniversário de 466 anos da capital paulista. Uma das mais importantes instituições culturais do país, cravado no simbólico Parque Ibirapuera, ele concentra obras dos principais modernistas do Brasil.

O prêmio já homenageou expoentes como o maestro João Carlos Martins; Danilo Miranda, diretor do Sesc-SP; o jornalista Jairo Marques, da Folha de S.Paulo; e os empreendedores sociais Antonio Nóbrega, do Instituto Brincante, Marcelo Rosenbaum, do A Gente Transforma, e Roberto Kikawa, do Projeto Cies. Instituições como a plataforma de mídia e notícias Quebrando o Tabu e a agência Africa também foram contempladas.

Em parceria com qsocial