Últimas notícias:

Loading...

Homem que atirou em atendente do McDonald’s se apresenta à polícia

O bombeiro Paulo César de Souza Albuquerque mudou sua versão dos acontecimentos e admitiu ter efetuado o disparo, mas alega ter sido acidental

Por: Redação

Homem que atirou em atendente do McDonald’s Mateus Domingues Carvalho se apresentou à polícia, no 32ª DP (Taquara), no Rio de Janeiro, na tarde desta segunda-feira, 9. O bombeiro Paulo César de Souza Albuquerque atirou no jovem de 21 anos após uma discussão sobre cupons de descontos da rede de fast food.

Crédito: Reprodução/TVGloboHomem que atirou em atendente do McDonald’s se apresenta à polícia

Imagens de câmeras de segurança mostram a discussão entre Matheus e Paulo que terminou com o jovem baleado.

Primeiramente o homem que baleou o atendente do McDonald’s alegava, por meio de seu advogado, Sandro Figueiredo, que as imagens não mostraram claramente Paulo atirando no jovem. Porém, depois, a defesa admitiu que o bombeiro atirou, mas disse que se tratou de um disparo acidental.

A Justiça do Rio de Janeiro negou o pedido de prisão contra o bombeiro nesta segunda-feira.

Em nota, o Corpo de Bombeiros informou que o militar responderá pelos seus atos na Justiça comum e que o comandante-geral da corporação, coronel Leandro Monteiro, determinou “a suspensão imediata do porte e posse de armas do militar, além da instauração de um inquérito policial militar para apurar a conduta do profissional e a abertura de um conselho disciplinar”

Veja a íntegra da nota do Corpo de Bombeiros abaixo:

“O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informa que teve conhecimento dos fatos imputados ao 1º sargento Bombeiro Militar Paulo César de Souza Albuquerque, integrante da corporação.

O militar responderá civilmente pelos seus atos na justiça comum. Paralelamente, o comandante-geral da corporação, coronel Leandro Monteiro, determinou a suspensão imediata do porte e posse de armas do militar, além da instauração de um inquérito policial militar para apurar a conduta do profissional e a abertura de um conselho disciplinar.

O CBMERJ acompanha a operação e está à disposição para colaborar com as investigações.

A corporação repudia veementemente todo e qualquer ato criminoso, assim como condutas ilícitas que transgridam os preceitos da ordem, da disciplina e da moral características da profissão de bombeiro militar”.

Compartilhe: