Homofobia: homem que matou cabeleireiro na Paulista é preso

Cozinheiro alega legítima defesa e nega que ataque tenha relação com homofobia

Por: Redação | Comunicar erro

Foi preso na manhã desta quarta-feira, 26, o responsável pela morte do cabeleireiro Plínio Henrique de Almeida, na última sexta-feira, 21, na Avenida Paulista, em São Paulo. Alegando legítima defesa, o cozinheiro Fúvio de Matos, de 32 anos, confessou o crime à Polícia Civil, porém, negou qualquer relação com homofobia.

O criminoso foi identificado pelas câmeras de segurança de ruas próximas e do metrô, que registraram os envolvidos e a fuga do assassino.

Se condenado, Fúvio de Matos pode pegar pena de, no mínimo, 12 anos – reprodução/TV Globo

Homofobia

Três amigos da vítima, que testemunharam o ataque, reconheceram Fúvio na delegacia. À polícia, o marido de Plínio e um casal de amigos, relataram que, antes esfaquear o cabeleireiro, o homem ameaçou o grupo ao dizer que “gays têm de morrer”.

Ao delegado Hamilton Costa Benfica, do 78º Distrito Policial, Fúvio alegou legítima defesa e que apenas se defendeu de Plínio e dos outros homens que o acompanhavam. Disse ainda que andava com um amigo pela Avenida Brigadeiro Luis Antônio, quando disse para o grupo andar como homem. O que, segundo ele, motivou a briga.

Em entrevista ao Bom Dia SP nesta quarta-feira, 26, o delegado deu mais detalhes sobre o caso. “Ele [Fúvio] confessa o crime, mas, segundo ele, fala que foi se defender. Ele está dando a versão que foi se defender dos quatro rapazes e desferiu o golpe com o canivete. Ele nega a motivação homofóbica. Segundo ele, subia com um colega de trabalho a Brigadeiro, fez uma brincadeira quando uma pequena chuva começou, e disse ‘anda que nem homem'”.

Segundo a polícia, o cozinheiro ainda contou que não queria confusão e se disse arrependido. Na delegacia, ele também teria dito que não sabia da morte de Plinio.

Apesar disso, a polícia pediu a prisão temporária do investigado à Justiça, que decretou que ele fique detido por 30 dias até o fim das investigações. Fúvio ainda deverá ser indiciado pelos policiais por homicídio qualificado por motivo fútil. Para a investigação, o cozinheiro matou o cabeleireiro após discussão motivada por homofobia. Fúvio pode responder à pena de 12 a 30 anos.

1 / 8
1
02:13
Entenda os desdobramentos do caso Tabata Amaral no PDT
O PDT suspendeu a deputada federal Tabata Amaral e outros sete parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência, …
2
02:03
Incêndio em estúdio de animação em Japão deixa dezenas de mortos
Dezenas de pessoas morreram durante um incêndio criminoso que tomou conta do estúdio de animação da Kyoto Animation, na cidade …
3
02:19
Barragem abandonada corre risco de rompimento no interior de SP
Uma matéria publicada pelo G1 alerta para o risco de rompimento da barragem de água em Iaras, no interior de …
4
02:30
O que significa a gargalhada de Caetano Veloso?
Um vídeo do cantor Caetano Veloso gargalhando está viralizando nas redes sociais. O motivo da piada é a entrevista que …
5
01:51
Site ‘Não me Perturbe’ permite bloquear ligações de telemarketing
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou o Não me Perturbe, site que permite bloquear ligações de telemarketing. O sistema …
6
02:10
Danilo Gentili faz a mais impactante piada sobre Eduardo Bolsonaro
Foi o ataque mais devastador à Jair Bolsonaro. Não apenas porque suas piadas sobre a indicação de Eduardo Bolsonaro viralizaram …
7
02:59
É exagero comparar Joel Santana com Eduardo Bolsonaro?
Você pode achar que o título desse vídeo é exagerado. Afinal, poucas coisas podem ser piores do que o inglês …
8
03:49
Curiosidades sobre os 50 anos da chegada do homem à lua
Há exatos 50 anos um grupo de astronautas americanos pousava na lua pela primeira vez. O momento foi um dos …